InSight

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Gnome globe current event.svg
Este artigo ou seção é sobre uma missão espacial atualmente em curso.
A informação apresentada pode mudar com frequência. Não adicione especulações, nem texto sem referência a fontes confiáveis. (editado pela última vez em 12 de dezembro de 2018)
CELstart-rocket.png


InSight
InSight MarCO Transparent.png
InSight Lander Transparent.png
Renderização artística dos cubesats MarCO (em cima) e do aterrissador InSight (em baixo).
Descrição
Nomes alternativos Interior Exploration using Seismic Investigations, Geodesy and Heat Transport
Tipo Aterrissador
Missão Análise areológica
Operador(es) Estados Unidos NASA
Estados Unidos JPL
Identificação NSSDC 2018-042A
Identificação SATCAT 43457
Website insight.jpl.nasa.gov/insight
Duração da missão 7 meses e 7 dias
Propriedades
Fabricante Estados Unidos Lockheed Martin Space Systems
Massa de lançamento 694 quilogramas (0,69 t)
Massa 358 quilogramas (0,36 t)
Altura 6,1 metros (610 cm)
Largura 2,5 metros (250 cm)
Comprimento 1,4 metros (140 cm)
Potência elétrica 600 watts
Geração de energia Painéis solares fotovoltaicos
Baterias Baterias de íon-lítio
Missão
Contratante(s) Estados Unidos United Launch Alliance
Data de lançamento 5 de maio de 2018 11:05 UTC[1]
Veículo de lançamento Estados Unidos Atlas V 401
Local de lançamento Estados Unidos Base da Força Aérea de Vandenberg
Destino Marte
Data de aterrissagem 26 de novembro de 2018, 19:52:59 UTC
Local de aterrissagem Elysium Planitia (4,5º N' 135,0º E')
Instrumentos
Instrumento 1 SEIS (Seismic Experiment for Interior Structure)
Instrumento 2 HP3 (Heat Flow and Physical Properties Package)
Instrumento 3 RISE (Rotation and Interior Structure Experiment)
Instrumento 4 TWINS (Temperature and Winds for InSight)
Outros
Insígnia da missão InSight Mission Logo (transparent).png


InSight (abreviação de Interior Exploration using Seismic Investigations, Geodesy and Heat Transport, e anteriormente denominada GEMS) é uma atual missão espacial estadunidense operada pela NASA, com destino ao planeta Marte.[2] A sonda foi lançada em 5 de maio de 2018 às 11:05 UTC através de um veículo lançador Atlas V.[3] A missão InSight terá como objetivo colocar uma aterrissador equipado com um sismógrafo e um medidor fluxo de calor, para pesquisar sobre a evolução dos denominados "planetas interiores" ou "planetas rochosos" (Mercúrio, Vénus, Terra, Marte, incluindo até mesmo a Lua).[4]

O aterrissador seria inicialmente lançado em março de 2016,[4] mas devido a problemas relacionados a vácuo encontrados no instrumento SEIS (Seismic Experiment for Interior Structure), a NASA anunciou em dezembro de 2015 que a missão teria de ser adiada, com o lançamento sendo reprogramado em março de 2016 para 5 de maio de 2018. A sonda aterrissou em Marte no dia 26 de novembro de 2018.

A missão é operada pela NASA e gerenciada pelo Jet Propulsion Laboratory (JPL). O programa InSight foi selecionado como o finalista do Programa Discovery, eliminando os programas Titan Mare Explorer (TIME) e o programa Comet Hopper (CHopper) em agosto de 2012.

História[editar | editar código-fonte]

O programa InSight foi inicialmente denominado como GEMS (Geophysical Monitoring Station), mas seu nome foi alterado no início de 2012 a pedido da NASA.[5] De 28 propostas de 2010,[6] foi um dos três finalistas do Programa Discovery, recebendo três milhões de dólares em maio de 2011 para o desenvolvimento de um estudo de conceito detalhado.[7] Em agosto de 2012, o programa InSight foi finalmente selecionada para ser desenvolvido e lançado.[4] O programa é administrado pelo Jet Propulsion Laboratory (JPL) da NASA, com a participação de cientistas de vários países. O orçamento missão é cotada em 425 milhões de dólares, sem incluir o financiamento do veículo de lançamento.[8] A NASA iniciou a construção do aterrissador em 19 de maio de 2014,[9] com testes gerais começando a partir de 27 de maio de 2015.[10]

Uma falha persistente de vácuo no sismógrafo denominado "Seismic Experiment for Interior Structure" (abreviado como SEIS) levou a NASA a adiar o lançamento inicialmente planejado em março de 2016 para maio de 2018. O Jet Propulsion Laboratory assumiu a tarefa de redesenhar e construir um novo recipiente de vácuo do SEIS, com a agência espacial francesa (CNES) sendo responsável pela manipulação de integração de instrumentos e atividades de teste.[11] Em 1976, a NASA teve dificuldades com falhas nos sismógrafos interplanetários das sondas do Programa Viking.[12]

Estado[editar | editar código-fonte]

A sonda InSight foi devolvida à fábrica da Lockheed Martin no estado do Colorado para ser armazenada, e o foguete Atlas V destinado a lançá-la foi utilizado na missão WorldView-4.[13]

A NASA anunciou em 9 de março de 2016 que o lançamento da sonda seria adiado para a janela de lançamento de 2018, com um custo adicional de 150 milhões de dólares.[14][15] A sonda está programada para ser lançada em 5 de maio de 2018, com a data de aterrissamento prevista para 26 de novembro do mesmo ano. O plano de voo permanece inalterado, com o lançamento sendo realizado a bordo de um foguete Atlas V da Base da Força Aérea de Vandenberg, no estado da Califórnia.[14][15]

Em 22 de novembro de 2017, a InSight completou os testes em uma câmara de vácuo térmico, também conhecido como teste TVAC, onde a espaçonave é colocada em condições que simulam a pressão reduzida e as várias cargas térmicas do ambiente espacial.[16]

Objetivos[editar | editar código-fonte]

A InSight tem como objetivo estudar o interior de Marte, e abordar uma questão fundamental da ciência planetária e do Sistema Solar: compreender os processos que moldaram os planetas rochosos do Sistema Solar interno (incluindo a Terra) há mais de quatro bilhões de anos.[17]

O principal objetivo da InSight é estudar a história evolutiva mais antiga dos processos que moldaram Marte. Ao estudar o tamanho, espessura, densidade e estrutura geral do núcleo[18], do manto e da crosta de Marte, bem como a taxa em que o calor é dissipado do interior do planeta, a InSight fornecerá um vislumbre dos processos evolutivos de todos os planetas rochosos do Sistema Solar interno. Os planetas rochosos internos compartilham uma ascendência comum que começa com um processo chamado acreção. A medida que o corpo celeste aumenta de tamanho, seu interior se aquece e evolui para se tornar um planeta terrestre, contendo um núcleo, um manto e uma crosta.[19] Apesar desta ascendência comum, cada um dos planetas terrestres é posteriormente moldado através de um processo mal compreendido, chamado de diferenciação, que os torna diferentes um do outro. O objetivo da missão InSight é melhorar a compreensão deste processo e, por extensão, a evolução terrestre.[19]

A missão determinará se há alguma atividade sísmica, medir a quantidade de fluxo de calor do interior, estimar o tamanho do núcleo de Marte e determinar se o núcleo é líquido ou sólido.[20] Estes dados seriam os primeiros do tipo provindos do planeta. Também é esperado que frequentes quedas de meteoros (de 10 a 200 quedas detectáveis ​​por ano para a InSight) fornecerão sinais sísmicos-acústicos adicionais para investigar o interior de Marte.[21] O objetivo secundário da missão é realizar um estudo aprofundado da geofísica, atividade tectônica e o efeito dos impactos de meteoritos no planeta, o que poderia fornecer conhecimento sobre tais processos na Terra. A espessura da crosta, a velocidade do manto, o raio e a densidade do núcleo e a atividade sísmica devem retornar um aumento na precisão dos dados na ordem de 3 a 10 vezes em comparação com os dados atuais.

Em termos de processos fundamentais que moldam a formação planetária, pensa-se que Marte contém o registro histórico mais profundo e preciso, porque é grande o suficiente para ter sofrido os primeiros processos de acreção e aquecimento interno que moldaram os planetas terrestres, ao mesmo tempo em que é pequeno o suficiente para manter os sinais desses processos.[22]

Design[editar | editar código-fonte]

O design da InSight assemelha-se ao do aterrissador Phoenix, lançada em 2008 também para Marte.[23] Já que sua geração de energia provém de painéis solares, a sonda aterrissará próximo ao equador do planeta, para permitir uma potência ideal para uma vida útil de 2 anos terrestres (equivalente a 1 ano marciano).[24]

A sonda InSight durante a sua fabricação na sala limpa, abril de 2015.

Especificações da sonda[editar | editar código-fonte]

  • Massa de lançamento: 360 quilogramas (790 libras);[25]
  • Dimensões: 6,1 metros (20 pés) de largura (com os painéis solares abertos). A baia de instrumentos científicos possui 2,0 metros (6,5 pés) de profundidade e 1,4 metros (4,5 pés) de altura;[25]
  • Geração de energia: a eletricidade da sonda provém de dois painéis solares de forma circular, cada um com 2,15 metros (7,1 pés) de diâmetro. Os painéis consistem em células fotovoltaicas de junção múltipla, fabricadas com germânio, fosfeto de índio e gálio e uma liga de arsenieto de gálio e índio, dispostos sobre matrizes flexíveis fabricadas pela estadunidense Orbital ATK. Após o pouso na superfície marciana, os painéis são abertos em forma semelhante a de um de leque.[26][27]
  • CubeSats: a missão Mars Cube One (abreviada como MarCO), formada por dois cubesats modelo 6U, será transportada pela InSight e irá ajudá-la na retransmissão de dados de telemetria durante sua fase de entrada, descida e aterrissamento.[28][29] Os dois cubesats (denominados "MarCO A" e "MarCO B") são idênticos,[30] medindo 10 centímetros de altura, 20 centímetros de largura e 30 centímetros de comprimento, e formam um par por motivos de redundância.[31][32] Os cubeSats voarão além de Marte enquanto InSight aterriza. A missão MarCO tem como objetivo demonstrar a capacidade de uma nova tecnologia de comunicação. Se tudo correr bem com o pouso da InSight, as futuras missões a Marte também poderão ser equipadas com sua própria equipe de comunicações de uso único.[33]

Instrumentos[editar | editar código-fonte]

A carga útil da sonda InSight consiste em dois instrumentos principais (SEIS e HP3), com o suporte de instrumentos adicionais.

Uma câmera montada no braço robótico da sonda pode capturar imagens em preto e branco dos instrumentos na baia e uma visão em 3D do solo onde o sismógrafo e o instrumento de fluxo de calor serão colocados. Será utilizado para ajudar engenheiros e cientistas a orientar a implantação dos instrumentos no solo. Com um campo de visão de 45 graus, a câmera também proporcionará uma visão panorâmica do terreno em torno do local de pouso.[46] Uma segunda câmera semelhante, com uma lente de campo de visão de grande angular de 120 graus, será montada sob a borda da plataforma e proporcionará uma visão complementar da área de implantação dos instrumentos.[46]

Uma câmera em cores também foi considerada se determinados critérios fossem cumpridos, como prazos de desenvolvimento e o do orçamento financiamento, mas isso não se materializou.[47] Um instrumento eletromagnético para fornecer dados sobre espessura da crosta, águas subterrâneas e da litosfera do manto também foi considerado.

O programa InSight pode representar uma possível oportunidade para o programa Mars MetNet, e para o desenvolvimento de novos instrumentos científicos para missões futuras.

A sonda também irá conter dois microchips com os nomes de mais de 2,4 milhões de pessoas.[48][49] Os nomes foram gravados em wafers de silício utilizando um feixe de elétrons.[50] As inscrições de nomes estavam disponíveis online durante dois períodos em 2015 e 2017.[48]

Lançamento[editar | editar código-fonte]

Lançamento da sonda a partir do veículo lançador Atlas V, no dia 5 de maio de 2018.

A sonda foi lançada em 5 de maio de 2018 às 11:05 UTC através do veículo de lançamento Atlas V 401 (AV-078) a partir da complexo de lançamento da Base da Força Aérea de Vanderberg, no complexo 3-leste.[51] Essa foi a primeira missão interplanetária americana a ser lançada da Califórnia.[52]

A jornada para Marte vai demorar aproximadamente seis meses e meio, através 484 milhões de quilômetros, para uma aterrissagem programada para o final de novembro de 2018. Caso a sonda venha a aterrissar com sucesso, uma fase inicial de dois meses vai começar como parte de seus dois anos (cerca de um ano marciano) da missão principal.[53][54]

Local de aterrissamento planejado[editar | editar código-fonte]

Como os objetivos científicos da InSight não estão relacionados a nenhuma característica específica da superfície de Marte, os locais de pouso potenciais foram escolhidos com base na praticidade. Os locais candidatos precisavam estar perto do equador de Marte para fornecer luz solar suficiente para os painéis solares durante todo o ano, ter uma baixa elevação para permitir aerofrenagem suficiente durante a entrada atmosférica, ser plano, relativamente sem rochas para reduzir a probabilidade de complicações durante a aterrissagem e ser suficientemente suave para permitir que a sonda de fluxo de calor penetre bem no solo.

Uma área ótima que atende a todos esses requisitos é Elysium Planitia, então todos os 22 locais iniciais de aterrissagem potenciais foram localizados nesta área.[55] As únicas duas outras áreas no equador e em baixa elevação, Isidis Planitia e Valles Marineris, são muito rochosas. Além disso, Valles Marineris tem um declive muito íngreme para permitir uma aterrissagem segura.[56]

Em setembro de 2013, os 22 locais de pouso potenciais iniciais foram reduzidos para 4, com a Mars Reconnaissance Orbiter sendo utilizada para obter mais informações sobre cada um dos 4 locais potenciais antes que uma decisão final fosse tomada.[56][57] Cada local consiste em uma elipse de pouso que mede cerca de 130 quilômetros (81 milhas) de comprimento por quilômetros (17 milhas) de largura.[58] Em março de 2017, cientistas do Jet Propulsion Laboratory anunciaram que o local de pouso havia sido selecionado. Ele está localizado no oeste Elysium Planitia em 4,5° N' 135,9° E'.[59]

Aterrissagem[editar | editar código-fonte]

Composição artística da aterragem da InSight em Marte.

No 26 de novembro de 2018 , aproximadamente às 19h54min UTC (17h54min no Horário Brasileiro de Verão, Horário de Brasília), a NASA recebeu a transmissão de que a InSight aterrissou com sucesso no solo marciando em Elysium Planitia, dando início ao período de três meses para lançamento e configurações dos equipamentos científicos à bordo. Além do beep que iniciou a transmissão que confirmou o pouso, minutos após uma de suas câmeras enviou uma fotografia em preto e branco do solo logo à frente do local de pouso da sonda.

Equipe e participação[editar | editar código-fonte]

A equipe de ciência e engenharia da missão InSight inclui cientistas e engenheiros de várias disciplinas, países e organizações. A equipe de ciência atribuída à InSight inclui cientistas de instituições nos Estados Unidos, França, Alemanha, Áustria, Bélgica, Canadá, Japão, Suíça, Espanha e Reino Unido.[60]

O cientista do projeto Mars Exploration Rover, W. Bruce Banerdt, é o principal cientista da missão InSight e o cientista principal do instrumento SEIS.[61] Suzanne Smrekar, cuja investigação centra-se na evolução térmica dos planetas e que fez uma extensa gama de testes e desenvolvimento de instrumentos destinados a medir as propriedades térmicas e fluxo de calor em outros planetas, é a principal cientista do instrumento HP3.[62] Sami Asmar, um especialista em estudos avançados usando ondas de rádio, é o principal cientista do instrumento RISE.[63] A equipe da missão também inclui o gerente de projeto Tom Hoffman e o vice-gerente de projeto, Henry Stone.[60]

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. Erro de citação: Código <ref> inválido; não foi fornecido texto para as refs de nome sfnow20160309
  2. «Mission». Solar System Exploration. Consultado em 11 de janeiro de 2018 
  3. Agle, D.C.; Good, Andrew; Brown, Dwayne; Wendel, JoAnna (5 de maio de 2018). «NASA, ULA Launch Mission to Study How Mars Was Made». Consultado em 5 de maio de 2018 
  4. a b c Vastag, Brian (20 de agosto de 2012). «NASA will send robot drill to Mars in 2016». Washington Post (em inglês). ISSN 0190-8286 
  5. «JPL changes name of Mars mission proposal – LA Times». latimes.com (em inglês) 
  6. NASA, JPL,. «Mars Mobile». marsmobile.jpl.nasa.gov (em inglês). Consultado em 11 de janeiro de 2018 
  7. «NASA -

    NASA Selects Investigations For Future Key Planetary Mission

    »
    . www.nasa.gov (em inglês). Consultado em 11 de janeiro de 2018
     
  8. «NASA picks project shortlist for next Discovery mission» (em inglês) 
  9. «Construction to Begin on 2016 NASA Mars Lander». NASA/JPL. Consultado em 11 de janeiro de 2018 
  10. «NASA Begins Testing Mars Lander for Next Mission to Red Planet». NASA/JPL. Consultado em 11 de janeiro de 2018 
  11. «The Space Review: InSight's second chance». www.thespacereview.com. Consultado em 11 de janeiro de 2018 
  12. «Viking 2: Second Landing on Mars». Space.com 
  13. «Fate of NASA's InSight Mars mission to be decided soon – Spaceflight Now». spaceflightnow.com (em inglês). Consultado em 11 de janeiro de 2018 
  14. a b «InSight Mars lander escapes cancellation, aims for 2018 launch – Spaceflight Now». spaceflightnow.com (em inglês). Consultado em 11 de janeiro de 2018 
  15. a b Chang, Kenneth (9 de março de 2016). «NASA Reschedules Mars InSight Mission for May 2018». The New York Times (em inglês). ISSN 0362-4331 
  16. «Mars InSight mission passes TVAC testing ahead of 2018 launch – NASASpaceFlight.com». www.nasaspaceflight.com (em inglês). Consultado em 11 de janeiro de 2018 
  17. «Page Not Found». NASA Solar System Exploration. Consultado em 11 de janeiro de 2018 
  18. Voosen, Paul (11 de dezembro de 2018). «Mars lander takes a selfie». American Association for the Advancement of Science. Consultado em 11 de dezembro de 2018 
  19. a b «Science | Insight - NASA Solar System Exploration». NASA Solar System Exploration. Consultado em 11 de janeiro de 2018 
  20. «NASAs Proposed 'InSight' Lander would Peer to the Center of Mars in 2016 - Universe Today». Universe Today (em inglês). 2 de março de 2012 
  21. Stevanovic, J.; Teanby, N. A.; Wookey, J.; Selby, N.; Daubar, I. J.; Vaubaillon, J.; Garcia, R. (1 de outubro de 2017). «Bolide Airbursts as a Seismic Source for the 2018 Mars InSight Mission». Space Science Reviews. 211: 525–545. ISSN 0038-6308. doi:10.1007/s11214-016-0327-3 
  22. «Page Not Found». NASA Solar System Exploration. Consultado em 11 de janeiro de 2018 
  23. a b c Greicius, Tony (7 de junho de 2013). «New Insight on Mars Expected From new NASA Mission». NASA (em inglês) 
  24. «Mission». Solar System Exploration. Consultado em 11 de janeiro de 2018 
  25. a b «In Sight Lithograph» (PDF). Jet Propulsion Laboratory. Julho de 2015. Consultado em 11 de janeiro de 2018 
  26. 954-522-7470, Ideas Design, Inc. «SolAero Awarded Solar Panel Manufacturing Contract by ATK for NASA's InSight Mars Lander Mission | SolAero Technologies». solaerotech.com (em inglês). Consultado em 11 de janeiro de 2018 
  27. «Orbital ATK» (PDF). www.orbitalatk.com. Consultado em 11 de janeiro de 2018 
  28. «NASA Wants New Rocket Rides for Tiny Cubesats». Space.com 
  29. «NASA seeks launchers for smallest satellites». Florida Today (em inglês) 
  30. Schulze-Makuch, Dirk. «CubeSats to the Rescue?». Air & Space Magazine (em inglês) 
  31. «Two Tiny 'CubeSats' Will Watch 2016 Mars Landing». Space.com 
  32. «Mars Cube One (MarCO) – The First Planetary CubeSat Mission» (PDF). Consultado em 11 de janeiro de 2018 
  33. Tiny satellites will relay news of InSight’s Mars landing in minutes, not hours Two CubeSats will send data back to Earth of the lander’s fate as they pass the Red Planet por LISA GROSSMAN, em 18 de novembro de 2018
  34. «NASA and French Space Agency Sign Agreement for Mars Mission». NASA/JPL. Consultado em 11 de janeiro de 2018 
  35. «Listening to meteorites hitting Mars will tell us what's inside». New Scientist (em inglês) 
  36. Kumar, Sunil (1 de setembro de 2006). «Design and development of a silicon micro-seismometer» (PDF). Imperial College. Consultado em 11 de janeiro de 2018 
  37. «New probe to provide InSight into Mars' interior». Ars Technica (em inglês) 
  38. Lognonné, P.; Banerdt, B.; Giardini, D.; Christensen, U.; Pike, T.; Mimoun, D.; de Raucourt, S.; Tillier, S.; Zweifel, P. (1 de outubro de 2011). «The GEMS (GEophysical Monitoring Station) SEISmometer». 1507 páginas 
  39. Panning, Mark P.; Lognonné, Philippe; Bruce Banerdt, W.; Garcia, Raphaël; Golombek, Matthew; Kedar, Sharon; Knapmeyer-Endrun, Brigitte; Mocquet, Antoine; Teanby, Nick A. (1 de outubro de 2017). «Planned Products of the Mars Structure Service for the InSight Mission to Mars». Space Science Reviews. 211: 611–650. ISSN 0038-6308. doi:10.1007/s11214-016-0317-5 
  40. a b c d e f g Banerdt, W. Bruce (4 de outubro de 2012). «InSight – Geophysical Mission to Mars (PDF). 26th Mars Exploration Program Analysis Group Meeting.» (PDF). Consultado em 11 de janeiro de 2018 
  41. a b Grott, M.; Spohn, T.; Banerdt, W. B.; Smrekar, S.; Hudson, T. L.; Zoest, T. V.; Kargl, G.; Morgan, P.; Wieczorek, M. A. (1 de outubro de 2011). «Measuring Heat Flow on Mars: The Heat Flow and Physical Properties Package on GEMS». 379 páginas 
  42. a b «JPL begins work on two new missions to Mars». Los Angeles Times (em inglês). 22 de maio de 2013. ISSN 0458-3035 
  43. «HP3 (Heat Flow and Physical Properties Probe)». Solar System Exploration. Consultado em 11 de janeiro de 2018 
  44. Dehant, V.; Folkner, W.; Le Maistre, S.; Rosenblatt, P.; Yseboodt, M.; Asmar, S.; Marty, J. C.; Banerdt, B. (1 de outubro de 2011). «Geodesy on GEMS (GEophysical Monitoring Station)». 1551 páginas 
  45. a b «NASA's Next Mars Lander Will Peer Deep Into Red Planet's History: Here's How». Space.com 
  46. a b «Technology | Insight - NASA Solar System Exploration». NASA Solar System Exploration. Consultado em 11 de janeiro de 2018 
  47. https://mepag.jpl.nasa.gov/meeting/2014-05/17_Golombek%20MEPAG%20InSight.pdf
  48. a b «NASA probe to carry over 2.4 million names to Mars». newatlas.com (em inglês). Consultado em 11 de janeiro de 2018 
  49. CNN, Cassandra Santiago and Saeed Ahmed,. «Today's the last day to get your boarding pass to Mars». CNN 
  50. mars.nasa.gov. «Names-to-Mars Chip for InSight Spacecraft». Mars planet facts news & images | NASA Mars rover + mission info (em inglês) 
  51. «Launch Schedule». Spaceflight Now. 6 de janeiro de 2018. Cópia arquivada em 8 de janeiro de 2018 
  52. «NASA Awards Launch Services Contract for InSight Mission». NASA. 19 de dezembro de 2013. Consultado em 11 de janeiro de 2014 
  53. Erro de citação: Código <ref> inválido; não foi fornecido texto para as refs de nome Banerdt2016
  54. Erro de citação: Código <ref> inválido; não foi fornecido texto para as refs de nome insight-launch
  55. «NASA searches for (literally) boring Mars landing site». USA TODAY (em inglês) 
  56. a b Greicius, Tony (4 de setembro de 2013). «NASA Evaluates Four Candidate Sites for 2016 Mars Mission». NASA 
  57. «NASA Picks Prime Target for 2016 InSight Mars Lander». NBC News (em inglês) 
  58. «NASA Eyeing Landing Site for 2016 Mars Mission». Space.com 
  59. Golombek, M.; Kipp, D.; Daubar, I. J.; Kass, D.; Mischna, M.; Banerdt, W. B. (1 de março de 2017). «Selection of the 2018 Insight Landing Site». 48. 1515 páginas 
  60. a b «People | Insight - NASA Solar System Exploration». NASA Solar System Exploration. Consultado em 11 de janeiro de 2018 
  61. Banerdt, Bruce. «Science - JPL's Science Division: People: William "Bruce" Banerdt». science.jpl.nasa.gov. Consultado em 11 de janeiro de 2018 
  62. Smrekar, Sue. «Science - Geophysics & Planetary Geosciences (3223): People: Suzanne Smrekar». science.jpl.nasa.gov. Consultado em 11 de janeiro de 2018 
  63. «Science and Technology». 15 de abril de 2012. Consultado em 11 de janeiro de 2018 
Ícone de esboço Este artigo sobre exploração espacial é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.