2001 Mars Odyssey

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Question book.svg
Esta página ou secção não cita fontes confiáveis e independentes, o que compromete sua credibilidade (desde janeiro de 2012). Por favor, adicione referências e insira-as corretamente no texto ou no rodapé. Conteúdo sem fontes poderá ser removido.
Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)
Current event marker.png
Este artigo ou seção contém material sobre uma missão espacial atual.
As informações podem mudar durante o progresso da missão.
CELstart-rocket.png
2001 Mars Odyssey
Representação artística da Mars Odyssey na órbita de Marte.
Operação Estados UnidosNASA
Tipo de missão Orbitador
Destino Marte
Massa 376 kg

2001 Mars Odyssey é uma sonda espacial não tripulada norte-americana, lançada pela NASA e gerida pelo Jet Propulsion Laboratory, com a finalidade de estudar o planeta Marte.

Foi lançada em 7 de Abril de 2001 a bordo de um foguete Delta II a partir da Estação da Força Aérea de Cabo Canaveral.

Missão[editar | editar código-fonte]

Após cerca de 200 dias de voo interplanetário a Mars Odyssey inicia a órbita de inserção em Marte através do auxílio dos seus propulsores (com uma queima de 20 minutos) e através da técnica de travagem aerodinâmica (durante 90 dias) coloca-se na sua orbita final, de 2 horas, em Abril de 2002.

A missão primária da Mars Odyssey é a de realizar um levantamento global do clima marciano e possível existência de água no presente ou passado por forma a avaliar a possibilidade da existência de vida no planeta. A missão primária da missão terminou em Agosto de 2004 e encontra-se desde então a realizar a missão secundária (ou estendida) que pretende auxiliar futuras missões não robóticas a Marte.

Odyssey-chart-update.jpg

Sonda[editar | editar código-fonte]

A 2001 Mars Odyssey é uma sonda orbital constituída por uma estrutura em alumínio e titânio com sensivelmente 2,2 por 1,7 e 2,6 metros. Colocados sobre esta estrutura, estão os painéis solares que alimentam a sonda de energia eléctrica, a antena de alto-ganho para comunicação com a Terra através Deep Space Network da NASA, bem como alguns intrumentos que não podem estar colocados em proximidade com o corpo da sonda.

Trajeória de inserção da Sonda

A estrutura da sonda está dividida em duas parte distintas. Uma contém os tanques, as bombas e os exaustores do sistema de propulsão; a outra secção contém a parte principal dos instrumentos de pesquisa científica: o sistema imagético de emissão térmica (THEMIS), o espectrómetro de raios gama (GRS), o detector de neutrões de elevada energia (HEND), o espectrómetro de neutrões e a câmara estelar (para posicionamento e navegação).

No lançamento, a sonda tinha um peso de 725,0 kg, em que 332 kg correspondem à estrutura e sub-sistemas, 350 kg ao combustível e o restante aos instrumentos.

PIA06688.jpg

Resultados[editar | editar código-fonte]

Após a conclusão, com sucesso, da sua missão primária, a 2001 Mars Odyssey tem continuado a cumprir objectivos ambiciosos, nomeadamente no auxílio à missão robótica na superfície do planeta (os dois rovers Spirit e Opportunity) realizando a retransmissão das comunicações dessa missão para Terra e vice-versa. Realiza, também, um reconhecimento prévio para preparação da chegada da missão Mars Reconnaissance Orbiter. Entretanto, a sonda demonstrou a existência de fortes evidências de presença de água na superfície (ou mesmo por debaixo da superfície) e realizou estudos importantes sobre as estações marcianas.

A sonda teve uma alteração de nome antes do seu lançamento devido às missões Mars Climate Orbiter e Mars Polar Lander terem falhado os seus objectivos, tendo obtido o seu nome actual em homenagem à novela 2001: Uma Odisseia no Espaço, de Arthur C. Clarke.