Saltar para o conteúdo

Maurício Maestro

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Mauricio Maestro
Maurício Maestro
Grupo Boca Livre. Mauricio Maestro é o primeiro da esquerda para à direita.
Informação geral
Nome completo Carlos Mauricio Mendonça Figueiredo
Nascimento 10 de maio de 1949 (75 anos)
Local de nascimento Rio de Janeiro (RJ)
Brasil
Gênero(s) MPB, Samba
Período em atividade 1967 - atualmente
Outras ocupações cantor, arranjador, instrumentista (baixista e violonista) e compositor carioca
Gravadora(s) Philips, Continental, Som Livre, MP, B, Indie Records, Velas, Eldorado, Polygram
Afiliação(ões) Momentoquatro, A Sagrada Família, Boca Livre

Carlos Mauricio Mendonça Figueiredo, mais conhecido como Mauricio Maestro (Rio de Janeiro, 30 de Agosto de 1952) é um cantor, arranjador, instrumentista (baixo elétrico e violão) e compositor brasileiro.

Nasceu no Rio de Janeiro, passando sua infância na Tijuca, na Rua Soriano de Souza, próxima da Praça Sans Pena.[1] Começou sua carreira profissional integrando o grupo vocal Momentoquatro, juntamente com David Tygel, Zé Rodrix e Ricardo Vilas, grupo que acompanhou Edu Lobo em 1967 na apresentação de "Ponteio", no Festival da Rede Record.[2] A partir de 1969 inicia no baixo elétrico estreando profissionalmente como baixista em 1970 e integrante do grupo A Sagrada Família.[3] Foi o arranjador do sucesso de Marcos e Paulo Sérgio Valle "Mustang cor de sangue", gravada por Marcos Valle.[2] Em 1971 forma o trio de Rock Progressivo Paulo, Cláudio & Maurício. O trio era formado por Maurício Maestro (baixo e voz), os irmãos gêmeos Paulo Guimarães (flauta e voz) e Cláudio Guimarães (guitarra e voz) ou PCM. Em 1972 gravaram um compacto duplo (4 músicas) acompanhados, como convidado, do batera Gustavo Schroeter (ex A Bolha e futuro Veludo e A Cor Do Som). No mesmo ano o trio participa do lp de Marcos Valle, o também progressivo Ventos Sul (neste disco há a música "Vôo Cego", composta por Cláudio Guimarães, foi tocada pelo PCM acompanhado de Vinícius Cantuária da banda O Terço na bateria e Fredera da banda Som Imaginário na guitarra, mas, curiosamente, sem o Marcos Valle). PCM foi um dos grupos precursores do rock progressivo brasileiro, a banda sobreviveu no cenário artístico até 1974, interpretando composições próprias. De 1975 a 1977, Maurício Maestro atuou em dupla com a cantora e compositora Joyce.[2] Em 1978 funda o conjunto Boca Livre juntamente com David Tygel, Zé Renato e Claudio Nucci. É casado com a cantora Kay Lyra[4].

Compacto duplo

[editar | editar código-fonte]
  • 1967 - Glória - Philips
  • 1972 - Paulo, Cláudio & Maurício - Odeon/EMI-Odeon
  • 1968 - Momento4uatro - Philips
  • 1979 - Boca Livre
  • 1981 - Bicicleta - Independente
  • 1982 - Folia - PolyGram
  • 1983 - Boca Livre - Independente
  • 1989 - Boca Livre em concerto - Som Livre
  • 1992 - Dançando pelas sombras - MP,B/Warner
  • 1995 - Song Boca - Velas
  • 1996 - Americana - Velas
  • 1997 - Boca Livre convida-20 anos - Indie Records
  • 2000 - Boca Livre e 14 Bis-Ao vivo - Indie Records
  • 2001 - Nossos Cantos
  • 2007 - Boca Livre ao Vivo
  • 2013 - Amizade
  • 2019 - Viola de Bem Querer
  • 2007 - Boca Livre ao Vivo

Referências

  1. «Mauricio Maestro». Consultado em 17 de Setembro de 2012 [ligação inativa]
  2. a b c «Mauricio Maestro». Dicionário Cravo Albin de Música Popular Brasileira. Consultado em 17 de Setembro de 2012 
  3. «Museu Clube da Esquina - Mauricio Maestro». Consultado em 17 de Setembro de 2012. Arquivado do original em 16 de abril de 2012 
  4. «"Maurício Maestro e sua trajetória"». Museu Clube da Esquina. Consultado em 29 de junho de 2020. Arquivado do original em 21 de julho de 2015 

Ligações externas

[editar | editar código-fonte]