Maurílio Biagi Filho

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Maurílio Biagi Filho
Nascimento 1942
Ribeirão Preto
Cidadania Brasil
Ocupação empreendedor
Prêmios Ordem de Rio Branco[1]

Maurílio Biagi Filho ComRB (Ribeirão Preto, 1942) é um empresário brasileiro do setor sucroalcooleiro.[2]

Carreira[editar | editar código-fonte]

Iniciou sua carreira em 1956, como estagiário na Usina Santa Elisa, passando por todos os cargos até a posição de diretor executivo. Durante seu tempo, a Santa Elisa cresceu significativamente, saltando de uma moagem de 118.149 toneladas de cana por safra para o recorde de 7.011.577 toneladas de cana por safra quando em 1998 atingiu a primeira posição no ranking setorial.[3]

Além de ter sido o controlador da usina Santa Elisa até 2012,[4] o Grupo Biagi detinha o controle das indústrias Zanini e Sermatech, fornecedoras de equipamentos para as áreas de produção de açúcar e etanol e geração de energia.[5] Foi proprietário das Bebidas Ipiranga fabricante e distribuidora da Coca-Cola, com fábricas em Riberão Preto, Araraquara, Franca, Mococa e São João da Boas Vista, vendida em 2013.[6][3]

Atuou também na área de plantio de laranjas e produção de sucos e também foi pioneiro no Brasil, em adubos granulados e na inseminação artificial de gado.[3]

Esteve a frente como presidente do conselho da Usina Moema Açúcar e Álcool,[2] diretor executivo da Maubisa Consultoria, diretor da Usina Uroeste, presidente do Comitê de Agroenergia e de Biocombustíveis da Sociedade Rural Brasileira e presidente da Agrishow.

Serviço público[editar | editar código-fonte]

Maurílio contribui com sua experiência para elaboração de políticas públicas de investimentos em energia através do Conselho de Desenvolvimento Econômico e Social[7] da Presidência da República, o CDES. Como conselheiro atua em importantes instituições: na Associação Brasileira da Infraestrutura e Indústrias de Base (ABDIB), na Câmara Americana de Comércio (AMCHAM) e na União da Indústria de Cana-de-Açúcar (UNICA).

Foi agraciado com a comenda da Ordem do Mérito Anhanguera do Governo do Estado de Goiás em 2017.[8]

Referências

  1. BRASIL, Decreto de 12 de abril de 2006.
  2. a b «A luta de uma família por seu império». Isto É Dinheiro. 1 de dezembro de 2016. Consultado em 9 de novembro de 2018 
  3. a b c «Vendi e me arrependi». Isto É Dinheiro. 12 de março de 2015. Consultado em 9 de novembro de 2018 
  4. Márcio Juliboni (3 de julho de 2012). «O fim de uma dinastia na Santelisa». Revista Exame. Consultado em 9 de novembro de 2018 
  5. «Um exemplo de empresa». Zanini. Consultado em 9 de novembro de 2018 
  6. «Companhia chilena compra a Bebidas Ipiranga por R$ 1,2 bilhão». G1 Riberão e Franca. Consultado em 9 de novembro de 2018 
  7. «Biagi Filho: "Nosso setor cometeu um grande erro com Dilma"». NovaCana. 13 de março de 2014. Consultado em 9 de novembro de 2018 
  8. «Confira como foi a homenagem a Maurílio Biagi Filho em Goiás». Juliana Rangel. 4 de outubro de 2017. Consultado em 9 de novembro de 2018 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]