Maurice Herzog

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Maurice Herzog
Parede de escalada Maurice Herzog localizada no Museu Internacional da Montanha em Pokhara, Nepal
Nascimento Maurice André Raymond Herzog
15 de janeiro de 1919
3.º distrito de Lyon
Morte 13 de dezembro de 2012 (93 anos)
Neuilly-sur-Seine
Cidadania França
Cônjuge Marie-Pierre de Cossé Brissac
Filho(s) Félicité Herzog, Benjamin Herzog, Laurent Herzog
Irmão(s) Gérard Herzog
Alma mater
Ocupação político, explorador, membro da Resistência Francesa, montanhista
Prêmios
  • Grã-cruz da Legião de Honra
  • Cruz de guerra 1939-1945
  • Grã-cruz do Mérito com Estrela da Ordem do Mérito da República Federal da Alemanha
  • Medalha de Ouro de Honra por Serviços para a República da Áustria
  • Grande Medalha de Ouro das Explorações (1950)
  • Prémio Ève Delacroix

Maurice Herzog (Lyon, 15 de janeiro de 1919 - Neuilly-sur-Seine, 13 de dezembro de 2012) foi um grande alpinista e um político francês.

Filho de pai de nacionalidade suíça que esteve na Legião Estrangeira, Herzog é irmão de Gérard Herzog, o genro do realizador Jacques Ertaud e neto de Oscar Herzog, o engenheiro encarregado do projeto e realização do Jet d'Eau de Genebra.

Piloto de avião com 1 500 horas de voo, das quais 500 homologadas, foi presidente do Clube alpino francês(CAF) de 1952 a 1955, fundador em 1964 e presidente do Escritório franco-alemão para a juventude, e membro do Comité Olímpico Internacional (CIO) de 1970 a 1994, e posteriormente membro honorário.

Diplomado pela École des hautes études commerciales de Paris[1] tentou entrar para a resistência francesa em setembro de 1944 e foi nomeado capitão do 27.º batalhão de caçadores alpinos.

Alpinista[editar | editar código-fonte]

Ver artigo principal: Expedição francesa ao Annapurna

Maurice Herzog foi o primeiro a atingir com Louis Lachenal - numa expedição da qual faziam parte Gaston Rébuffat, Lionel Terray, Marcel Ichac, Jean Couzy, Marcel Schatz, Jacques Oudot (médico) e Francis de Noyelle apoiado pelo xerpa Adjiba (xerpa) - os 8 000 m do Annapurna, a 3 de junho de 1950. Na expedição perdeu por congelamento alguns dedos dos pés e das mãos, mas as consequências teriam sido muito mais graves sem a preciosa intervenção do médico da expedição, Jacques Oudot.

Toda a expedição foi largamente popularizada pelos meios de comunicação em jornais como Paris Match, filmes e livros.

Maurice Herzog e Louis Lachenal atingiram o cume do Annapurna. No entanto este feito foi depois posto em dúvida por diferentes pessoas próximas de Maurice Herzog, e não só alpinistas mas mesmo pela própria filha que levanta a hipótese de uma mentira e de uma manipulação dos meios de comunicação.[2]

Político[editar | editar código-fonte]

Alto Comissário do estado francês, e homem de confiança do general de Gaulle foi o fundador em 1964 e presidente do gabinete franco-alemão para a juventude, e também a pessoa que se impôs na criação das casas dos jovens e da cultura nos anos 1960 e prefeito de Chamonix-Mont-Blanc entre 1968 e 1977. Também foi presidente do Túnel do Monte Branco e posteriormente da BTP.

De 1970 a 1994 foi membro do Comité Olímpico Internacional (CIO) e posteriormente membro honorário.

Distinções[editar | editar código-fonte]

Bibliografia[editar | editar código-fonte]

Filmes[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. «HEC; Maurice Herzog» (em inglês) 
  2. Charlie Buffet, Maurice Herzog : quand la fille déchire l'étoffe du héros | arquivos: site de Marianne, 15 de setembro de 2012
  3. «PRIX MARIE-CHRISTINE UBALD-BOCQUET» (em francês) 
Fontes[editar | editar código-fonte]