Michel Tournier

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Ambox rewrite.svg
Esta página precisa ser reciclada de acordo com o livro de estilo (desde Fevereiro de 2008).
Sinta-se livre para editá-la para que esta possa atingir um nível de qualidade superior.
Michel Tournier
Michel Tournier
Nascimento
Paris, França
Morte 18 de janeiro de 2016 (91 anos)
Choisel, França
Nacionalidade França francês
Prémios Prémio Goncourt (1970)
Género literário Romance, contos, ensaios

Michel Tournier (Paris, 19 de dezembro de 1924Choisel, 18 de janeiro de 2016) foi um escritor francês. Define-se como “contrabandista da filosofia” procurando englobar conceitos e refinadas discussões em seus contos e histórias, grande exemplo de seu trabalho é o livro "Sexta-feira, ou, Vida Selvagem"[1] em que retrata Robinson Crusoe num embate permanente entre sua nova vida como naufrago, distante da sociedade, e sua antiga condição de homem civilizado, ele tenta civilizar a sua ilha Speranza também tenta com que ninguém conheça a sua ilha. Michel Tournier julgava o valor das suas obras em função do inverso das idades dos seus leitores. É considerado um autor de crianças, defendendo-se dizendo “eu não escrevo para as crianças, escrevo antes com um ideal de brevidade, de clareza e de proximidade ao concreto”. Considera os seus contos Pierrot e os Segredos da Noite e Amandine ou Les Deux Jardins, como as suas melhores obras porque são de inspiração metafísica e a paixão das crianças de 6 anos.

Michel Tournier vivia em Vallée de Chevreuse, a 40km a sudoeste de Paris no presbitério duma minúscula vila.

Distinções[editar | editar código-fonte]

Obras[editar | editar código-fonte]

Busto de Michel Tournier por Sissy Piana em 2015

Romances[editar | editar código-fonte]

  • Sexta-Feira ou os Limbos do Pacífico - no original Vendredi ou les Limbes du Pacifique (1967)
  • Le Roi des aulnes (roman)|Le Roi des aulnes (1970)
  • Sexta-Feira ou a Vida Selvagem - no original Vendredi ou la Vie sauvage (1971)
  • Les Météores (1975)
  • Gaspard, Melchior et Balthazar (1980)
  • Gilles et Jeanne (1983)
  • La Goutte d'Or (1985)
  • La Couleuvrine (1994)
  • Eléazar ou la Source et le Buisson (1996)

Contos[editar | editar código-fonte]

  • Le Coq de bruyère (1978)
  • La Fugue du Petit Poucet (1979)
  • Pierrot ou les secrets de la nuit (1979)
  • Barbedor (conte)|Barbedor (1980)
  • Uma ceia de amor - no original Le Médianoche amoureux (1989)
  • Sept contes (1998)

Ensaios[editar | editar código-fonte]

  • Le Vent Paraclet (1978)
  • Le Vol du vampire (1981)
  • Vues de dos (1981). Fotobiografias Édouard Boubat
  • Des clefs et des serrures (1983). Com fotografias
  • Petites Proses (1986)
  • Le Tabor et le Sinaï (1988)
  • Le Crépuscule des masques (1992). Fotos e fotógrafos
  • Le Pied de la lettre (1994)
  • Le Miroir des idées (1994)
  • Le Vol du vampire (1994)
  • Célébrations (1999)
  • Journal extime (2002)
  • Allemagne, un conte d'hiver de Henri Heine (2003)
  • Le Bonheur en Allemagne ? (2004)
  • Les Vertes lectures (2006)
  • Voyages et paysages (2010)
  • Je m'avance masqué (2011). Entrevistas com Michel Martin-Roland.

Referências

  1. Tournier, Michel (2001). Sexta-Feira, ou, A Vida Selvagem 1ª ed. Rio de Janeiro: Bertrand Brasil 
Wikiquote
O Wikiquote possui citações de ou sobre: Michel Tournier