Miguel Pais do Amaral

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa

Miguel Maria de Sá Pais do Amaral CavHDM (Lisboa, 31 de Julho de 1954) é um engenheiro, empresário e piloto amador do automobilismo português.[1][2]

Biografia[editar | editar código-fonte]

Família[editar | editar código-fonte]

É o único filho de Manuel José Maria de Sá Pais do Amaral e de sua mulher Maria Mafalda de Figueiredo Cabral da Câmara.

Pelo lado paterno é descendente de Sebastião José de Carvalho e Melo, 1.º Marquês de Pombal e 1.º Conde de Oeiras, de D. Pedro I do Brasil e IV de Portugal, dos Duques de Schleswig-Holstein-Sonderburg-Beck e da irmã de Aurora Stjernvall, por sua vez descendente duma irmã de Gustavo I da Suécia.

Pelo lado materno é descendente de Luís, conde de Narbonne-Lara (filho bastardo de Luís XV de França), duas vezes de Isabella Margherita Farnese (filha natural de Alessandro Farnese, Duque de Parma e Piacenza) e duas vezes de D. Nuno José Severo de Mendoça Rolim de Moura Barreto, 2.º Marquês e 1.º Duque de Loulé e 9.º Conde de Vale de Reis, e da Infanta D. Ana de Jesus Maria de Bragança (filha de D. João VI de Portugal e de D. Carlota Joaquina de Bourbon).

É primo em terceiro grau do ator Rodrigo Menezes e da atriz Rita Salema.

Percurso empresarial[editar | editar código-fonte]

Engenheiro mecânico, diplomado com um Master of Business Administration pelo INSEAD, Fontainebleu, França[3], Pais do Amaral destacou-se como empresário no setor da comunicação social.

Após comprar a Luís Nobre Guedes, em 1991, a maioria do capital da SOCI, responsável pela edição do jornal O Independente, transformou esta empresa na Media Capital e, sob a sua direção, comprou a Rádio Comercial, a Rádio Nostalgia (posteriormente Rádio Clube Português) e a posição maioritária da TVI.

Depois de transformar a TVI em líder nacional de audiências, vendeu a sua maioria no grupo Media Capital à espanhola Prisa (dona do diário El País, entre outros), em 2005.[4]

Os seus atuais interesses de negócios estão concentrados na Quifel Holdings, e inclui as seguintes atividades: [5]

  • LeYa[6], o líder operador de educação e publicação de livros em Portugal (proprietária, entre outras, das Edições ASA, a Editorial Caminho, a Edições Gailivro, a Edições Nova Gaia e a Texto Editora);
  • Reditus[7], uma das companhias líder de IT em Portugal;
  • The Edge Group[8], um conjunto de holdings de investimento e capital de risco;
  • Quifel Resources[9], uma companhia de recursos naturais e energias renováveis;
  • Companhia das Quintas, uma companhia de produção de vinho sediada em Portugal.

Automobilismo[editar | editar código-fonte]

Ávido fã de desportos motorizados, começou a correr no Campeonato Nacional de Todo–o–Terreno, bem como no Campeonato Português de Carros de Turismo. Em 2001 fez equipa com Pedro Couceiro para conduzir no Campeonato Espanhol de GT, antes de os dois se mudarem para a Equipa ASM. Nos dois anos seguintes fez equipa com Miguel Ángel de Castro conduzindo um Porsche 911 GT3 RSR, e em 2009 ganhou o Troféu Ibérico de GT.

Em 2006 Miguel Amaral comprou o protótipo de Le Mans Lola B05/40, antes conduzido pela Chamberlain-Synergy Motorsports na Série de Le Mans. Após uma vitória sob o nome da Chamberlain, a equipa obteve mais duas vitórias como ASM, mas isto impediu Pais do Amaral e os seus co-pilotos Miguel Ángel de Castro e Ángel Burgueño de obterem a vitória por classe. Pais do Amaral e a Equipa ASM continuaram a correr o seu Lola na Série Le Mans em 2007 e 2008. Em 2009 Pais do Amaral e Olivier Pla correram com um Zytek 09 e venceram o Campeonato de LMP2.

Casamento e descendência[editar | editar código-fonte]

Casou em Cascais, Estoril, a 5 de Novembro de 1983, com Maria da Luz Lagos do Amaral Cabral, nascida a 19 de Outubro de 1960, filha do advogado Joaquim Emílio do Amaral Cabral, e de sua mulher Maria Elisabeth da Silva Lagos. Tem duas filhas: Maria da Assunção de Sá Pais do Amaral e Carolina Rita de Sá Pais do Amaral. O casal se separou depois 27 anos de união.[10]

Referências