Miguel Nagib

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Miguel Nagib
Miguel Nagib na Comissão de Educação, Cultura e Esporte (CE) em 2016.
Nome completo Miguel Francisco Urbano Nagib
Conhecido(a) por Fundador do Movimento Escola sem Partido
Nascimento 9 de novembro de 1960 (61 anos)
Mogi das Cruzes, SP, Brasil
Nacionalidade Brasileiro
Ocupação Procurador do Estado de São Paulo
Religião Católico

Miguel Francisco Urbano Nagib[1] (Mogi das Cruzes,[2] 9 de novembro de 1960)[3] é um advogado brasileiro,[4] conhecido por ser fundador do chamado programa Escola sem Partido, iniciado em 2004, e idealizador do texto que originou diversos projetos de lei homônimos com o objetivo de impedir o abuso da liberdade de ensinar dos professores na sala de aula, explicitando a primazia dos pais sobre a educação moral e religiosa de seus filhos, conforme consta do Pacto Internacional de Direitos Humanos de San Jose - Costa Rica[5] e avançar uma agenda de cidadania no território nacional.[6][7]É casado com Ruth Kicis, irmã da deputada federal Bia Kicis, portanto Miguel é cunhado da deputada.

É procurador do Estado de São Paulo em Brasília desde 1985 e foi assessor de ministro do Supremo Tribunal Federal de 1994 a 2002.[8]

Para o cientista político Luis Felipe Miguel, Nagib busca impedir o livre debate e o pensamento crítico nas escolas. Sua justificativa é baseada num tipo de teoria da conspiração, o "marxismo cultural", que faz uma leitura distorcida da obra de Antonio Gramsci e equivale sua noção de luta pela hegemonia a uma suposta "doutrinação ideológica"[9]. Importante na agitação política dos setores radicalizados da direita brasileira, o Escola sem Partido é visto como obscurantista e autoritário pelos principais educadores do país[10].

Referências

  1. «Informativo Jurídico». www.apesp.org.br. Consultado em 20 de maio de 2017 
  2. «Mogiano quer escola sem partido - Seu Planeta». www.seuplaneta.com.br. Consultado em 5 de março de 2018 
  3. «Limites - www.buscaoficial.com». www.buscaoficial.com. Consultado em 20 de maio de 2017. Arquivado do original em 15 de dezembro de 2017 
  4. «Procurador Miguel Nagib, criador do Escola sem Partido, diz que projeto da Câmara tem trecho "inaceitável"». Justiça em Foco. 28 de março de 2017. Consultado em 7 de maio de 2017 
  5. [http://www.pge.sp.gov.br/centrodeestudos/bibliotecavirtual/instrumentos/sanjose.htm «Tratado Internacional - Conven��o Americana de Direitos Humanos - Pacto de S�o Jos� da Costa Rica»]. www.pge.sp.gov.br. Consultado em 19 de abril de 2022  replacement character character in |titulo= at position 31 (ajuda)
  6. «"O professor da minha filha comparou Che Guevara a São Francisco de Assis"». El País. 26 de junho de 2016. Consultado em 7 de maio de 2017 
  7. Hermida, Jorge Fernando; Lira, Jailton de Souza (9 de junho de 2020). «Quando fundamentalismo religioso e mercado se encontram: as bases históricas, econômicas e políticas da escola sem partido». Roteiro: 1–32. ISSN 2177-6059. doi:10.18593/r.v45i0.23216. Consultado em 22 de janeiro de 2022 
  8. Portal CEULP/ULBRA (16 de setembro de 2016). «Fórum protestante de 2016. Debater a Educação». ulbra-to.br. Consultado em 20 de maio de 2017 
  9. Miguel, Luis Felipe (2016). «Da "doutrinação marxista" à" ideologia de gênero"-Escola Sem Partido e as leis da mordaça no parlamento brasileiro/From "Marxist indoctrination" to "gender ideology": Escola Sem Partido (non-partisan school) and gag laws in Brazilian congress». Revista Direito e Práxis. 7 (15): 590–621. doi:10.12957/dep.2016.25163 
  10. «Por que o Escola Sem Partido vai contra o papel da escola». Centro de Referências em Educação Integral. Consultado em 27 de junho de 2020 
Ícone de esboço Este artigo sobre um jurista ou advogado(a) é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.