Nadir Figueiredo

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Nadir Figueiredo
Razão social Nadir Figueiredo Indústria e Comércio S/A
Tipo Empresa de capital aberto
Cotação BM&F Bovespa: NAFG3; NAFG4
Indústria Vidro
Gênero Sociedade anônima
Fundação 1912 (105 anos)
Fundador(es) Nadir Dias de Figueiredo
Sede  Brasil
Produtos Copos de vidro
Subsidiárias Vidraria Santa Marina
Website oficial www.nadir.com.br

Nadir Figueiredo Indústria e Comércio S/A (BM&F Bovespa: NAFG3; NAFG4) é uma empresa brasileira fabricante de vidros. É conhecida principalmente pela fabricação de copos e outros artigos de vidro.

Constitui-se na maior fabricante nacional de artigos de vidro para mesa e cozinha, entre os quais se destaca o "copo americano". Usa as marcas "NF Brazil", "Nadir NF" ou "NF".[1]

História[editar | editar código-fonte]

Question book.svg
Esta página ou secção não cita fontes confiáveis e independentes, o que compromete sua credibilidade (desde Março de 2013). Por favor, adicione referências e insira-as corretamente no texto ou no rodapé. Conteúdo sem fontes poderá ser removido.
Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)

Remonta a uma pequena oficina de conserto e venda de máquinas de escrever e equipamentos elétricos constituída por Nadir Dias de Figueiredo em 1912, no Largo da Liberdade. No ano seguinte (1913), recebe como sócio o irmão Morvan Dias de Figueiredo e, com a colaboração de seis operários, passam a produzir artigos de iluminação e aparelhos elétricos.

À época, na cidade, a energia elétrica começava a substituir a iluminação a gás, e a empresa conhece um período de expansão, para o que contribui grandemente as dificuldades de importação trazidas pelo contexto da Primeira Guerra Mundial. Mais tarde, em 1919, o irmão mais novo, Zely Dias de Figueiredo, ingressa na sociedade e, em 1923, inicia-se a construção de uma sede própria, à Rua Independência. Neste período os negócios prosperam e se diversificam, chegando a empresa a produzir postes para iluminação pública e material para iluminação de ferrovias.

Com a eclosão da Revolução Constitucionalista (1932, a empresa suspendeu as suas atividades normais e passou a produzir munições. Com o fim do conflito, recebeu mais um sócio, Francisco de Gregório Spino. A crise de 1929 e a revolução levaram a que um dos fornecedores de globos de vidro e outras peças de vidro para a empresa venda-lhe a fábrica, o que redefiniu os rumos da Nadir S/A.

A Segunda Guerra Mundial trouxe a escassez de combustíveis e os modernos fornos de fundição da empresa necessitaram ser substituídos por fornos a lenha. Ao final do conflito (1945) e empresa importou a mais avançada tecnologia de vidro à época, iniciando-se a construção da atual fábrica à avenida Morvan Dias de Figueiredo, com uma linha de produção totalmente automatizada. Essa planta industrial supriria o mercado interno do país com uma extensa linha de produtos de vidro para uso doméstico. Ainda nesta década de 1940 iniciou-se a produção do copo americano.

A década de 1950 foi marcada pela introdução do conceito de copos de vidro como embalagens, inicialmente para geleias de frutas. Em 1958 o grupo adquiriu uma nova fábrica, no Rio de Janeiro, passando a produzir, além de artigos de vidro de uso doméstico, blocos e venezianas do mesmo material.

No início da década de 1970 a empresa passou a produzir peças em vidro para forno e mesa, resistentes a choque térmico, surgindo assim a "Brasividro" (1971. Em 1972 amplia a sua linha de produção instalando duas máquinas automáticas do tipo LS, passando a fabricar garrafas e potes. Dois anos depois (1974, incorporou a firma coligada "Louvidro Mercantil e Administradora Ltda", ampliando a sua linha de produção e a sua produtividade.

Na década de 1980 as exportações da empresa atendiam a 70 países, número que na década de 1990 chegou a mais de 120, nos cinco continentes. Em 2002 conquistou o "Prêmio Enaex – Empresa Destaque do Comércio Exterior", vindo a participar das mais importantes feiras internacionais do setor, tais como as de Frankfurt (Alemanha) e de Chicago (Estados Unidos. Neste período foi lançada a linha de mesa em vidro colorido "Amber".

O seu fundador, Nadir Dias de Figueiredo, foi um dos idealizadores da Fiesp e um dos líderes industriais do país da década de 1950 até à sua morte.

Atualidade[editar | editar código-fonte]

A empresa conta com sociedades com grupos da região Nordeste do Brasil (CIV/Brennand) e do México (Vitro). Além disso, a sua instalação na Argentina permitiu o crescimento da marca na América Latina.[2]

Em 29 de setembro de 2011 anunciou a aquisição da Vidraria Santa Marina, indústria de vidros que pertencia ao grupo francês Saint-Gobain, passando assim a contar com mais duas fábricas (uma na cidade de São Paulo e outra em Canoas/RS), além das tradicionais marcas "Marinex", "Duralex" e "Colorex".[3]

Referências

  1. Nadir Figueiredo. «Copo Americano». Consultado em 30 de Maio de 2012 
  2. hktdc.com. «Nadir Figueiredo - Brazil». Consultado em 30 de Maio de 2012 
  3. Beatriz Olivon (03 de Outubro de 2011). «Nadir Figueiredo compra divisão da Saint-Gobain Vidros». Consultado em 30 de Maio de 2012  Verifique data em: |data= (ajuda)

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Ver também[editar | editar código-fonte]

Ícone de esboço Este artigo sobre uma empresa é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.