Naomi Shemer

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Question book.svg
Esta página ou secção não cita fontes confiáveis e independentes, o que compromete sua credibilidade (desde maio de 2010). Por favor, adicione referências e insira-as corretamente no texto ou no rodapé. Conteúdo sem fontes poderá ser removido.
Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)
Naomi Shemer
Nome nativo נעמי שמר
Nascimento 13 de julho de 1930
Kinneret
Morte 26 de junho de 2004 (73 anos)
Centro Médico Tel Aviv Sourasky
Cidadania Israel
Cônjuge Mordechai Horowitz, Gideon Shemer
Filho(s) Ariel Horowitz
Alma mater Academia de Música e Dança de Jerusalém
Ocupação cantautora, compositora, poetisa, cantora, escritora, autor-compositor
Prêmios Prêmio Israel, Doutor honorário da Universidade de Tel Aviv, Doutor Honorário da Universidade Hebraica de Jerusalém, Doutor honorário da Universidade Ben Gurion do Negev
Causa da morte cancro
Tumba de Naomi Shemer, grande poetisa e cantora hebraica, tendo ao fundo o Lago Kinneret
Aqui, a tumba vista de perto. O túmulo de Naomi Shemer é visitado frequentemente, como atestam as pedrinhas deixadas sobre a lápide - de acordo com a tradição judaica, deixar uma pedra sobre uma lápide num cemitério é uma demonstração de carinho: atesta-se que aquele que jaz no local não será esquecido

Naomi Shemer (em hebraico נעמי שמר‎), nasceu em 13 de Julho de 1930, no kibutz Kvutzat Kinneret, nordeste de Israel, o mesmo onde está enterrada a famosa escritora Rachel Bluwstein. Naomi Shemer faleceu no dia 26 de junho de 2004, em Telaviv, Israel, com a idade de 73 anos.

Seu nome de solteira era Sapir. Em meados dos anos 1950, após servir nas Forças de Defesa de Israel, estudou música na Academia Rubin (actual Academia de Música e Dança de Jerusalém). De seu primeiro marido, a actor Gideon Shemer, teve uma filha, Lali. Divorciaram-se os dois, e posteriormente ela se casou novamente, desta vez com o advogado Mordechai Horowitz, com o qual teve seu filho Ariel. Verdadeira poetisa, continuou a escrever até sua morte, ocorrida em 2004, aos 73 anos de idade, em Tel Aviv. Shemer sofria de cancro.

É considerada a Maior Dama da Música de Israel até hoje, sendo lembrada especialmente pela doce canção Yerushalayim Shel Zahav (1967) e também por Lu Yehi (לו יהי) (1973), esta última uma adaptação hebraica de "Let It Be", dos Beatles. Yerushalayim Shel Zahav, "Jerusalém de Ouro" (ירושלים של זהב), composta em homenagem à cidade mais amada pelos israelitas, é uma espécie de segundo Hino Nacional do país. É a música israelita mais cantada de todos os tempos. Outra canção famosa da artista é Hurshat ha Eucaliptos (חורשת האקליפטוס), composta em 1963, em homenagem a seu kibutz natal, (Kvutzat Kinneret). Esta canção já foi interpretada por inúmeros cantores, entre eles Ishtar, Lara Fabian e Preslava Peicheva.