Natalia Oreiro

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Natalia Oreiro
Nascimento 19 de maio de 1977 (40 anos)
Montevidéu, Uruguai
Nacionalidade uruguaia
Ocupação Atriz, cantora, empresária e modelo
Atividade 1990-presente
Cônjuge Ricardo Mollo

Natalia Oreiro (Montevidéu, 19 de maio de 1977) é uma atriz, cantora, empresária e modelo uruguaia. Após realizar aparições em anúncios publicitários durante a pré-adolescência, Oreiro se mudou para a Argentina em 1994 para continuar sua carreira artística: seus trabalhos mais notáveis incluem as telenovelas Ricos y famosos (1997), Muñeca brava (1998), Kachorra (2002), Sos mi vida (2002) e Solamente vos (2013).[1] Devido a seu êxito internacional, é, por vezes, citada como "Rainha das Telenovelas".[2] No início de sua carreira, Oreiro ganhou um concurso e tornou-se uma das Paquitas do programa El Show de Xuxa produzido pela Telefé da Argentina, e exibido em 16 países da América Latina e Estados Unidos.[3]

No panorama da carreira musical como solista, gravou três álbuns de estúdio com recordes de vendas a nível nacional e internacional. Conquistou a marca de mais de 10 milhões de discos vendidos em todo o mundo.[4][5] Seus maiores sucessos musicais, incluem canções como "Que sí, que sí", "Cambio dolor", "Me muero de amor", "Tu veneno", "Río de la Plata", "Cuesta arriba, cuesta abajo", "Que digan lo que quieran", "Todos me miran", entre otros.[6][7]

Por consequência de sua interpretação em Muñeca brava, pela personagem Milagros Espósito, a atriz foi indicada para o Martín Fierro em 1998 e 1999. Esperanza, trabalho em Sos mi vida, rendeu-lhe o mesmo prêmio na categoria de "melhor atriz de comédia". Também chegou a vencer condecorações internacionais — VIVA de Israel, Gold Otto da Polônia e Story Award da Hungria. Como cantora, foi homenageada pelo Festival Internacional da Canção de Viña del Mar e chegou a ser indicada para o MTV Video Music Awards (VMA) e Grammy Latino.[8]

Carreira artística[editar | editar código-fonte]

Influências[editar | editar código-fonte]

Entre os referentes artísticos de Oreiro, encontram-se artistas variados como Janis Joplin, Pearl Jam, Los Redondos, Los Ramones, Charly Garcia, Sumo, Almendra, Sui Generis, Los Piojos e Fiona Apple. A respeito das grandes diferenças musicais em seus trabalhos e suas influências, ela declarou a revista Rolling Stone que:

Crítica e legado[editar | editar código-fonte]

Natalia é considadera uma das latinas mais reconhecidas graças a suas telenovelas e canções. Devido a sua enorme popularidade internacional com suas ficções, chegou a ser considerada a "rainha das telenovelas".[10] Em países como Rússia e Israel, graças ao grande sucesso televisivo, muitos jovens começaram a estudar a língua espanhola.[11]

Apesar de muitos meios de comunicação julgarem negativamente o talento vocal de Oreiro, ela se posicionou no âmbito musical como uma das cantoras latinas mais populares e premiadas, assim como a uruguaia com maior vendas de discos no mundo. "Cambio Dolor", "Me muero de amor", "Tu veneno", "Rio da prata" e "Que digan o que querem" foram alguns sucessos indiscutíveis a nível internacional.[12] Seu êxito ultrapassou os limites da América Latina, sendo a primeira a receber um disco de ouro na Rússia.[13]

Referências

  1. «La actriz y cantante Natalia Oreiro». Argentina: ViajeaUurguay 
  2. Trzenko, Natalia (3 de março de 2012). «La fórmula secreta de la reina de la telenovela». Argentina: Diario La nación. Consultado em 13 de fevereiro de 2015 
  3. "1000 datos insólitos que un chico debería conocer para saber que en el mundo están todos locos"
  4. «Natalia Oreiro Cine nacional». Argentina. Consultado em 4 de março de 2015 
  5. «Natalia Oreiro Cine manía». Argentina. Consultado em 4 de março de 2015 
  6. «Natalia Oreiro vuelve a probar suerte en el universo musical». Argentina: Diario el Día. Consultado em 4 de março de 2015 
  7. «Entrevista a Natalia Oreiro». Argentina: Revista Para ti. Consultado em 4 de março de 2015 
  8. «Biografía de Natalia Oreiro». Argentina: CMTV. Consultado em 4 de março de 2015 
  9. «Entrevista a Natalia Oreiro en RollingStone». Argentina: Revista Rolling Stone. Consultado em 7 de março de 2015 
  10. «Muñeca y Brava». Diario Página 12. Consultado em 9 de março de 2015 
  11. «Traductora y fan de Natalia Oreiro: "En Rusia la amamos millones"». Tv Show. Consultado em 9 de março de 2015 
  12. «Miradas opuestas: Natalia Oreiro vuelve a cantar». Diario Vos. Consultado em 15 de dezembro de 2013 
  13. «Ritmo Latino TV: Natalia Oreiro». Ritmo Latino FM. Consultado em 7 de março de 2015 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]