Saltar para o conteúdo

Nicolas Trigault

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Nicolas Trigault
Nicolas Trigault
Nicolas Trigault vestido como chinês, por Peter Paul Rubens. 1617.
Nascimento 1577
Douai
Morte 14 de novembro de 1628 (50–51 anos)
Hancheu
Cidadania França
Alma mater
  • Universidade de Douai
Ocupação missionário
Religião catolicismo
De Christiana expeditione apud Sinas, por Nicolas Trigault e Matteo Ricci, Augsburgo, 1615.

Nicolas Trigault (1577 — 1628) foi um jesuíta valão (hoje parte da Bélgica e da França) e missionário na China. Também era conhecido por seus nomes latinizados Trigautius ou Trigaultius, e pelo seu nome em chinês Jin Nige (chinês tradicional: 金尼閣, chinês simplificado: 金尼阁).

Nascido em Douai (então parte dos Países Baixos Espanhóis; hoje, parte da França), tornou-se um jesuíta em 1594. Pe. Trigault deixou a Europa para fazer trabalho missionário na Ásia em torno de 1610, chegando em Nanquim, China, em 1611. Mais tarde, foi levado por Li Zhizao, um católico chinês, à cidade natal deste, Hangzhou, onde trabalhou como um dos primeiros missionários. Permaneceu ali até a sua morte, em 1629.

No final de 1612, Pe. Trigault foi nomeado pelo Superior da Missão na China, Niccolo Longobardi, como Procurador da Missão da China na Europa. Ele partiu de Macau em 9 de fevereiro de 1613 e chegou a Roma no dia 11 de outubro de 1614, pelo caminho da Índia, do golfo Pérsico e do Egito.[1] Suas tarefas envolviam relatar a respeito do progresso da missão ao Papa Paulo V,[2] negociar com êxito a independência da Missão da China à do Japão junto ao Pe. Claudio Acquaviva, Superior Geral da Companhia de Jesus, e viajar pela Europa para arrecadar dinheiro e divulgar o trabalho das missões jesuíticas.[3] Peter Paul Rubens fez um retrato de Trigault, quando, no contexto dessas viagens, esteve em Flandres, em 1617 (à direita).[4]

Ele teria começado a editar e traduzir (do italiano para o latim) o "Diário da China" (De Christiana expeditione apud Sinas), de Matteo Ricci, a bordo do navio, enquanto navegava de Macau para a Índia. No entanto, foi durante a viagem para a Europa que Trigault realizou grande parte do trabalho, publicado em 1615, em Augsburgo e, mais tarde, traduzido para diversas línguas europeias e amplamente lido.[5] A tradução para o francês, que apareceu em 1616, foi feita a partir do latim pelo sobrinho do Pe. Trigault: David-Floris de Riquebourg-Trigault.[6]

Em abril de 1618, Pe. Trigault partiu de Lisboa com mais de vinte jesuítas recém-recrutados, chegando a Macau em abril de 1619.[7][8]

Em 1626, na sua obra Xiru Ermu Zi (chinês simplificado: 西儒耳目资; chinês tradicional: 西儒耳目資; pinyin: Xīrú ěrmù zī; literalmente: Ajuda para os Olhos e Ouvidos dos Letrados Ocidentais), Trigault produziu um dos primeiros sistemas de romanização do chinês, baseando-se principalmente no trabalho anterior do Pe. Matteo Ricci.[9][10][11]. O livro foi escrito na província de Shanxi.[12]

Auxiliado por um chinês convertido ao Catolicismo, ele também produziu a primeira versão chinesa de Fábulas de Esopo (況義 "Analogia"), publicada em 1625.

Nos anos de 1620, Pe. Trigault se envolveu em uma disputa sobre a correta terminologia em chinês para o Deus cristão e defendeu o uso do termo Shangdi, que havia sido proibido em 1625 pelo Superior Geral da Companhia de Jesus, Pe. Muzio Vitelleschi. Um outro colega jesuíta, Pe. André Palmeiro, relata que Pe. Trigaul ficou profundamente deprimido depois de não conseguir defender com sucesso o uso do termo e, em decorrência disso, cometeu suicídio em 1628.[13]

Retrato em versão de alta Definição, cortesia do Museu Metropolitano de Arte, de Nova York.
Retrato de Nicolas Trigault pela Oficina de Rubens. Atualmente mantido no Musée de la Chartreuse de Douai, França.

Publicações

[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. Mungello, David E. (1 de janeiro de 1989). Curious Land: Jesuit Accommodation and the Origins of Sinology (em inglês). [S.l.]: University of Hawaii Press. pp. 46–48. ISBN 9780824812195 
  2. Nicolas Trigault (1577-1628 A.D.
  3. «Portrait of Nicolas Trigault in Chinese Costume | Peter Paul Rubens | 1999.222 | Work of Art | Heilbrunn Timeline of Art History | The Metropolitan Museum of Art». The Met’s Heilbrunn Timeline of Art History. Consultado em 15 de novembro de 2016 
  4. Peter Paul Rubens: Portrait of Nicolas Trigault in Chinese Costume | Work of Art | Timeline of Art History | The Metropolitan Museum of Art
  5. «Biography of Nicolas Trigault SJ, China missionary». Stochastikon Encyclopedia. Consultado em 15 de novembro de 2016 
  6. Histoire de l'expédition chrestienne au royaume de la Chine entreprise par les PP. de la Compagnie de Jésus: comprise en cinq livres esquels est traicté fort exactement et fidelelement des moeurs, loix et coustumes du pays, et des commencemens très-difficiles de l'Eglise naissante en ce royaume (1616) - French translation of De Christiana expeditione by D.F. de Riquebourg-Trigault.
  7. Xiru er muzi (em chinês). [S.l.: s.n.] 1 de janeiro de 1957 
  8. Biography in Chinese Arquivado em 27 de julho de 2007, no Wayback Machine. at the National Digital Library of China
  9. «"Xiru ermu zi" (西儒耳目資) bibliographic information and links». Consultado em 15 de novembro de 2016. Arquivado do original em 8 de setembro de 2006 
  10. "Dicionário Português-Chinês : 葡汉辞典 (Pu-Han cidian): Portuguese-Chinese dictionary", by Michele Ruggieri, Matteo Ricci; edited by John W. Witek.
  11. Yong, Heming; Peng, Jing (14 de agosto de 2008). Chinese Lexicography: A History from 1046 BC to AD 1911 (em inglês). [S.l.]: OUP Oxford. 385 páginas. ISBN 9780191561672 
  12. 汉语, 何大安; chu, Zhong yang yan jiu yuan yu yan xue yan jiu suo Chou bei (1 de janeiro de 2002). 第三屆國際漢學會議論文集: 語言組. 南北是非 : 漢語方言的差異與變化 (em inglês). [S.l.]: Zhong yang yan jiu yuan yu yan xue yan jiu suo. 23 páginas 
  13. Brockney, p87.
  • Liam M. Brockey, Journey to the East: The Jesuit mission to China, 1579-1724, Harvard University Press, 2007.
  • C. Dehaisnes, Vie du Père Nicolas Trigault, Tournai, 1861.
  • P.M. D’Elia, "Daniele Bartoli e Nicola Trigault", Rivista Storica Italiana, ser. V, III, 1938, pp. 77–92.
  • G.H. Dunne, Generation of Giants, Notre Dame (Indiana), 1962, pp. 162–182.
  • L. Fezzi, "Osservazioni sul De Christiana Expeditione apud Sinas Suscepta ab Societate Iesu di Nicolas Trigault", Rivista di Storia e Letteratura Religiosa 1999, pp. 541–566.
  • T.N. Foss, "Nicholas Trigault, S.J. – Amanuensis or Propagandist? The Rôle of the Editor of Della entrata della Compagnia di Giesù e Christianità nella Cina", in Lo Kuang (ed.), International Symposium on Chinese-Western Cultural Interchange in Commemoration of the 400th Anniversary of the Arrival of Matteo Ricci, S.J. in China. Taipei, Taiwan, Republic of China. September 11–16, 1983, II, Taipei, 1983, pp. 1–94.
  • J. Gernet, "Della Entrata della Compagnia di Giesù e Cristianità nella Cina de Matteo Ricci (1609) et les remaniements de sa traduction latine (1615)", Académie des Inscriptions & Belles Lettres. Comptes Rendus 2003, pp. 61–84.
  • E. Lamalle, "La propagande du P. Nicolas Trigault en faveur des missions de Chine (1616)", Archivum Historicum Societatis Iesu IX, 1940, pp. 49–120.
  • Liam M. Brockey, “The Death and Disappearance of Nicolas Trigault, S.J.,” The Journal of the Metropolitan Museum of Art, vol. 38 (2003): pp. 161–167.

Ligações externas

[editar | editar código-fonte]