Nights: Journey of Dreams

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Nights: Journey of Dreams
Capa da versão norte-americana.
Desenvolvedora Sonic Team
Publicadora(s) Sega
Diretor Takashi Iizuka
Produtor Takashi Iizuka
Designer Takashi Iizuka
Kazuyuki Hoshino (diretor de arte/líder de design de personagem)
Takahiro Kudo (diretor de arte do mundo)
Compositor(es) Tomoko Sasaki (líder compositor)
Naofumi Hataya (diretor de som)
Jun Senoue (também som fx)
Motor PhysX
Plataforma(s) Wii
Data(s) de lançamento
    Gênero(s) Aventura, Surrealista
    Modos de jogo Single Player, two players, two players online
    Número de jogadores 1 a 2 jogadores
    Classificação Permitido para todas as idades i CERO (Japão)
    Inadequado para menores de 6 anos i ESRB (América do Norte)
    Permitido para todas as idades i OFLCA (Austrália)
    Inadequado para menores de 7 anos i PEGI (Europa)
    Mídia Wii optical disc
    Controles Wii Remote, Wii Remote com Nunchuk, Gamepad, Gamepad do GameCube
    Último
    Último
    Nights into Dreams...
    Próximo
    Próximo

    Nights: Journey of Dreams (ナイツ 〜星降る夜の物語〜,, Hoshi Furu Yoru no Monogatari?) (registrado como NiGHTS: Journey of Dreams) é um jogo eletrônico para o console Wii. É a sequência do título de 1996 do Sega Saturn, Nights into Dreams....[3] É o quarto jogo desenvolvido pela Sega Studio USA, com Takashi Iizuka, o cabeça da marca estadunidense e um dos designers do original, como produtor, diretor, e líder designer de jogo.[4] Como o primeiro jogo, o jogo se passa no mundo dos sonhos de Nightopia, no qual está sob ameaça de criaturas de nightmare chamadas Nightmaren, e a jogabilidade é baseada em torno do voo de um Nightmaren rebelde do tipo curinga denominado Nights.[5]

    Jogabilidade[editar | editar código-fonte]

    Muito parecido com o primeiro jogo, o ponto primário da jogabilidades é voar, em espiral e loop através de mundos variados, passando através de anéis e coletando orbes (chips). Aumentando os poderes pode transformar Nights' na forma de golfinho, dragão, ou míssil, para alcançar áreas não acessíveis. Há também níveis de plataforma onde o jogador controla uma das crianças. Há uma variedade de estilos de jogabilidade, e Nights não é jogável em todos os níveis.[6]

    O jogo apresenta quatro diferentes opções de controle, tendo o Wii Remote como um controle só, o Wii Remote em combinação com Nunchuk, o controle do Nintendo GameCube e o controle clássico.[7]

    Níveis[editar | editar código-fonte]

    O jogador começa escolhendo um dos dois sonhadores, os personagens principais do jogo, e de um pátio central chamado Dream Gate, eles escolhem um dos sete mundos que desejam jogar. Quando um jogador entra em um novo mundo, automaticamente lhes é dado uma primeira missão desse mundo. Depois de completar com êxito a missão e derrotar o chefe do mundo, mais missões ficarão disponíveis, no qual pode ser escolhido quando o jogador entrar neste mundo.[8]

    Quando o mundo é escolhido, o jogador começa como um dos sonhadores. Enquanto o objetivo principal é jogar como, os sonhadores podem explorar o mundo à vontade, embora com só um montante limitado de tempo. Abrindo os baús de tesouro, os jogadores podem estender o tempo com o sonhador. Quando o jogador começa a jogar no nível como NiGHTS, eles precisarão encontrá-la e subir para dentro da prisão de NiGHTS, fazendo com que o sonhador dualize com ela.[9]

    Persona masks[editar | editar código-fonte]

    NiGHTS usando a Dolphin Mask

    A jogabilidade envolve o uso das "persona masks" que transformam NiGHTS e as dão novas habilidades. Com algumas persona masks, NiGHTS é capaz de se transformar na forma da máscara com o sonhador, enquanto algumas são usadas sem o sonhador.[10]

    Quando destravadas, as persona masks podem ser encontradas no mundo lar chamado Dream Gate. Para se acostumar com as novas formas, há tutoriais na área do Dream Gate, assim como acontece quando se começa a jogar e a aprender sobre o voo de NiGHTS. Uma pequena área está localizada nos perímetros exteriores para testar a NiGHTS com a máscara de golfinho.[11] As Persona Masks são:

    • Dragon Mask: permite que NiGHTS resista qualquer vento.[10]
    • Dolphin Mask: transforma NiGHTS em golfinho a permitindo nadar.[10]
    • Rocket Mask: dar a NiGHTS a habilidade de alcançar altas velocidades.[10]

    Na luta final contra Wizeman para ambos os sonhadores, os três personagens são usados em uma ordem aleatória. Duas persona mask adicionais são de propriedade de NiGHTS e Reala, mas as competências destas máscaras nunca são mostradas.

    A ideia das máscaras persona foi inspirado no primeiro jogo, NiGHTS into Dreams ..., onde NiGHTS se transforma em um trenó na pista do estágio Frozen Bell, infla no estágio Soft Museum e cria nadadeiras no estágio Splash Garden. Em Journey of Dreams, ele também pode se transformar em um barco no estágio de Pure Valley, e um carro de montanha-russa na fase Lost Park.

    Modo two-player[editar | editar código-fonte]

    NiGHTS: Journey of Dreams tem dois modos multiplayer: Battle Mode e Speed Mode. O Speed mode é jogável online via Nintendo Wi-Fi Connection.[12] O Speed mode pode ser jogado através de três modos:

    • Perto de um amigo com outro jogador no mesmo console.
    • Com um amigo distante para jogar online com amigos.
    • Pessoa aleatória no mundo para desafio online aleatório com qualquer pessoa no mundo.

    Placar online[editar | editar código-fonte]

    O jogo também manterá os pontos altos feitos nos níveis em single player e os publicará no placar online. Quando o jogador seleciona uma das duas histórias, o jogo automaticamente atualizará seus pontos e os mostrará no rank online.

    My Dream[editar | editar código-fonte]

    De NiGHTS into Dreams..., a característica de vida artificial (A-Life) está de volta em NiGHTS: Journey of Dreams, também conhecida como "My Dream". esta é uma característica onde o jogador pode capturar, criar e combinar os habitantes do mundo de Nightopia e Nightmaren em seu próprio desenvolvimento de ambiente de teste.[13]

    Os Nightopians fora do mundo My Dream agem com inteligência artificial similar como faziam no primeiro jogo: eles seguirão as crianças se as alimentarem com fichas azuis, e entrarão em pânico se os Nightmarens, atrás de NiGHTS, estão por perto.

    Além disto, com os Nightopias, pode-se fazer uma criatura chamada Mepian se de alguma forma conseguir fazê-los ter contato físico com os Nightmarens, da mesma forma como no primeiro jogo.

    O mundo My Dream recebe habitantes quando Nightopians, os ovos de Nightopian, Nightmarens, Mepians, e os ovos Mepian são sugados em um dos Paraloops de NiGHTS. Os Nightopians e Mepians podem ser cuidados. Eles podem ser carregados, cuidados, alimentados com fichas azuis, e jogados. O Nightmarens, por outro lado, comerão Nightopians e Mepians se eles não forem derrotados com fichas azuis primeiro.

    O jogo usa características do Forecast Channel no Wii, modificando as condições de tempo no jogo segundo as condições de tempo do mundo real no mundo My Dream. Também haverá conteúdo especial posto à disposição durante os dias especiais, como a estação de férias.[14]

    Dreamdrops[editar | editar código-fonte]

    Escondidos por todos os estágios há um total de 60 "dreamdrops". Quando uma é encontrada, o dreamdrop é enviada para a fonte do Dream Gate, que mostra o número atual de dreamdrops coletado. Quando todos os 60 dreamdrops são coletados, e a fonte está completamente cheia, o jogador será capaz de jogar como os primeiros heróis, Claris Sinclair e Elliot Edwards, de NiGHTS into Dreams... se pularem dentro dela.

    Enredo[editar | editar código-fonte]

    Gtk-paste.svg Aviso: Este artigo ou se(c)ção contém revelações sobre o enredo.

    Ambiente[editar | editar código-fonte]

    Todas as noites, todos os sonhos humanos são jogados em Nightopia e Nightmare, as duas partes do mundo dos sonhos. Em Nightopia, distintos aspectos da personalidade dos sonhadores são representados por esferas coloridas e luminosas conhecidas como "Ideya". No entanto, o governante mal de Nightmare, Wizeman the Wicked, está roubando a energia dos sonhos dos visitantes do sono, a fim de reunir poder para tomar controle de Nightopia e eventualmente o mundo real. Para conseguir isso, ele cria inúmeros seres chamados "Nightmaren", incluindo dois acrobáticos do tipo coringa, seres capazes de voo chamados NiGHTS e Reala. No entanto, NiGHTS se rebela contra os planos de Wizeman, e é punido sendo preso dentro de um palácio Ideya, um recipiente do tipo gazebo para as Ideya dos sonhadores.

    Sinopse[editar | editar código-fonte]

    William Taylor e Helen Cartwright são os dois novos sonhadores escolhidos. Will é um aspirante a futebolista, enquanto Helen é um violinista prodígio. São ambos de Londres. As duas crianças estão perto de seus respectivos pais, Helen de sua mãe e Will de seu pai. No entanto, a proximidade entre eles mudou ao longo dos anos, Helen optou por passar mais tempo com seus amigos do que com sua mãe praticando violino, enquanto o pai de Will é transferido para outra cidade para trabalhar e deixa seu filho sozinho.[15] Ambas as crianças sofrem pesadelos individuais e são atacadas por Nightmaren, que persegue-os para o mundo da Nightopia. Lá, os dois filhos separadamente conhecem a coruja sábia e o coringa NiGHTS, que tem a capacidade de "dualizar" com as crianças, permitindo-lhes de partilhar o corpo de NiGHTS e voar pelos céus.[16] Depois de saberem o que Wizeman está tramando para dominar o mundo dos sonhos e, em seguida, emergir no mundo real, as crianças e NiGHTS resolvem parar Wizeman, mas encontram impedimento do Nightmaren que ele comanda, especialmente do ex-camarada de NiGHTS, Reala.

    As histórias das crianças são únicas, mas elas compartilham uma estrutura semelhante em alguns pontos e algumas das cut scenes aparecem em ambas as histórias. Elas convergem umas as outras em certos pontos, permitindo que Will e Helen se reúnam em seus mundos de sonho e se ajudem, embora Owl diga que normalmente, isso não deve ser possível. A história atinge o seu clímax, quando uma escada aparece no Dream Gate e Helen e NiGHTS ascendem, apenas para NiGHTS ser preso por Wizeman e puxá-la para a escuridão. Will chega tarde demais e vai atrás deles, chegando no céu noturno sobre a Bellbridge, onde ele descobre que agora tem a habilidade de voar por conta própria usando a sua Red Ideya sem NiGHTS. Ele resgata Helen, e os dois seguem para resgatar NiGHTS que foi preso no alto da torre do relógio da Bellbridge. Reala aparece para parar os seus esforços e aceita o desafio de NiGHTS para um confronto final entre eles (se a condição abaixo for atingida). Derrotando-o, o trio se prepara para enfrentar Wizeman e NiGHTS dualiza com ambas as crianças. Will-NiGHts e Helen-NiGHTS derrotam Wizeman, que lhes assegura que, enquanto os seres humanos temerem, ele nunca desaparecerá realmente. No dia seguinte, as crianças separadamente realizam seus objetivos; Helen toca no palco com sua mãe em um recital com um estrondoso aplauso, enquanto Will faz o gol da vitória para o seu time de futebol depois de ver que seu pai voltou para vê-lo.

    Gtk-paste.svg Aviso: Terminam aqui as revelações sobre o enredo.

    Personagens[editar | editar código-fonte]

    Protagonistas
    • NiGHTS: o(a) protagonista principal do jogo, que Helen e William se tornam amigos.
    • Helen Cartwright: um dos sonhadores,no qual a história do jogo se passa.[8]
    • William Taylor: um dos sonhadores,no qual a história do jogo se passa.[8]
    • Owl: o tutor do jogador e amigo de NiGHTS.
    Inimigos
    • Wizeman the Wicked: o principal antagonista do jogo e criador de Girania, Queen Bella, Donbalon, Bomamba, Chamelan e Cerberus assim como os muitos Nightmarens menores.[9]
    • Reala: O servo inescrupuloso principal de Wizeman, comandante dos Nightmaren, e rival de NiGHTS.

    Desenvolvimento[editar | editar código-fonte]

    Takashi Iizuka primeiro começou a trabalhar em NiGHTS 2 em Novembro de 2005, depois Shadow the Hedgehog foi lançado. Em Maio de 2006 o desenvolvimento atual começou.[17]

    Air NiGHTS[editar | editar código-fonte]

    Pedidos por uma sequência de NiGHTS into Dreams... tem sido forte por muitos anos. Um jogo com o título de Air NiGHTS esteve em desenvolvimento para usar um sensor de movimento no controle analógico do Saturn, e desenvolvimento foi movido mais tarde para o Dreamcast por um tempo, mas eventualmente o projeto foi descontinuado e terminou em um mero protótipo para a tecnologia de sensor de movimento que foi mais tarde usada no jogo da Sonic Team, Samba De Amigo.

    De acordo com o produtor e programador principal do primeiro jogo de NiGHTS, Yuji Naka:

    Eu sei que muitas pessoas amaram e quer que façamos uma sequência, mas para nós é realmente um jogo importante. Do mesmo jeito que Spielberg gosta tanto de E.T. ele não fará um remake, Eu não quero fazer outro NiGHTS.[18]


    Em uma entrevista na edição de Novembro de 2003 da Edge, ele foi questionado Em uma entrevista na edição de novembro de 2003 da Edge, perguntaram-lhe se ele gostaria de desenvolver outro jogo de NiGHTS:

    Em Abril de 2006 a revista japonesa de videogame Famitsu publicou implicando que uma sequência de NiGHTS estava em desenvolvimento para o Wii.[19] Os rumores quanto a uma versão do Wii continuaram aparecendo durante 2006.[20]

    Confirmação na primavera de 2007[editar | editar código-fonte]

    Em Março de 2007, Sega.com fez uma pesquisa de opinião pública titulado "pesquisa de opinião pública intitulada "Que jogo/personagem da você queria ver o regresso?" apresentando "NiGHTS" como uma das opções (junto "com Streets of Rage", "Samba de Amigo", "Virtua Fighter" e "Flicky").[21]

    Em volta do mesmo tempo da pesquisa de opinião pública, a "Revista Oficial da Nintendo" afirmou que um jogo vindouro do Wii seria revelado em sua edição de Maio de 2007. Ela imprimiu as palavras "um jogo clássico faz um regresso vencido longo" embaixo de uma imagem de um constelação em forma do logotipo de "NiGHTS". Isto causou uma nova especulação no futuro da franchise.[22] entretanto, a proximidade da edição ao Dia da mentira deixou a validade do reportagem em questionamento.[23] A Revista oficial da Nintendo deixou claro que a pegadinha era válida, mas também nunca deixaram claro que se referiam a uma sequência de NiGHTS.[24]

    Na capa da edição de Abril de 2007 da revista sueca Gamereactor, um Nights redesenhado suavemente é mostrado, junto com o texto "o regresso do dreamdemon da Sega."[25] A capa foi desde então substituída com um traçado de "NiGHTS", com a "GameReactor" comentando que a Sega tinha os contatado sobre isso.

    Na edição de Abril da revista portuguesa "Maxi Consolas", as primeiras imagens do jogo foram publicadas, finalmente confirmando a existência de um novo jogo de "NiGHS" para o Wii. Os scans do artigo foram postados no artigo para a Jeux-France.[26] O artigo informa que a Sega anunciará oficialmente o jogo no início do Abril.[27]

    Em Abril de 2007, a "Famitsu" anunciou o nome NiGHTS: Journey of Dreams.[28]

    Notas de desenvolvimento[editar | editar código-fonte]

    • Naofumi Hataya, um dos compositores do jogo original, ajudou na música da sequência como diretor de som.[29]
    • Sendo consciente da influência americana pesada nos últimos jogos de Sonic the Hedgehog, Iizuka e a sua equipe optaram por uma influência europeia distinta no jogo, com o Big Ben como torre e o sotaque de "inglês britânico".
    • Takashi Iizuka inicialmente pensou em ter o jogo tirado proveito de um sistema 3D de voo livre que vagaria completamente, contudo não resultou ser divertido.[17]
    • 26 membros da equipe da Sonic team estiveram envolvidos no jogo. Apesar do jogo ter alguns membros principais do jogo original, a equipe inteira "de Shadow the Hedgehog" trabalhou neste jogo. Enquanto o jogo foi desenvolvido em São Francisco, a música e a animação digital foi feita no Japão.[17]
    • Embora tenha um número de personagens que retornaram, Journey of Dreams é uma continuação autônoma de NiGHTS into Dreams..., não um remake’.

    Recepção[editar | editar código-fonte]

    Os reviews totais foram misturados, calculando uma média em volta de 74 %.[3] A "Nintendo Power", revendo o jogo na sua edição de janeiro de 2008, deu ao jogo uma nota de 9 fora de 10, dizendo o "Diretor Takashi Iizuka e a sua equipe bateram fora do parque, entregando uma continuação de modo digno do seu predecessor lendário em todas as maneiras."[30] A "Electronic Gaming Monthly" também reviu o jogo na sua edição de janeiro de 2008, dando o jogo em torno de 7.0, 7.5, e 7.0, calculando a media de pontos de 7.2/10. Eles louvaram o jogo do seu estilo de arte atraente, trilha sonora agradável, e a sua fidelidade ao jogo original, mas criticaram-no pelos segmentos de plataforma 3D, batalhas de chefe confusas, e dizendo que os controles remotos do Wii não trabalham quase bem como o esquema de controle padrão. A IGN marcou o jogo com 6.5/10, dizendo que é só para fãs fíeis do original. A GameSpot marcou o jogo com 7.5/10, e a Game Zone deu-lhe 8/10. A "Famitsu" deu ao jogo uma conta total de 29 fora de 40, louvando-o por sua história agradável e o bom valor de jogar novamente, mas criticando os controles que às vezes aborrecem.[31]

    Ver também[editar | editar código-fonte]

    Referências

    1. a b NiGHTS: Journey of Dreams Relese Date Information for Wii (em Inglês) GameFaqs. Visitado em 6 de outubro de 2010.
    2. NiGHTS : Journey of Dreams en images (em Francês) Gamekyo. Visitado em 6 de outubro de 2010.
    3. a b NiGHTS: Journey of Dreams (em Português) BaixakiJogos. Visitado em 6 de outubro de 2010.
    4. Matt Casamassina (2 de abril de 2007). NiGHTS is Official (em Inglês) IGN. Visitado em 3 de abril de 2007.
    5. SEGA Announces Nights: Journey Of Dreams For Wii (em Inglês) Sega (2 de abril de 2007). Visitado em 6 de outubro de 2010.
    6. Jesús Bella Ceacero (22 de janeiro de 2008). Análisis: NiGHTS: Journey of Dreams (em Espanhol) 3D Juegos. Visitado em 6 de outubro de 2010.
    7. NGamer exclusive - NiGHTS: Journey of Dreams interview (em Inglês) NGamer (20 de abril de 2007). Visitado em 6 de outubro de 2010.
    8. a b c Alec Ribeiro (9 de março de 2009). [Resenha NiGHTS: Journey of Dreams] (em Português) Continue. Visitado em 6 de outubro de 2010.
    9. a b Romendil (23 de janeiro de 2008). Test de Nights: Journey of Dreams (em Francês) JeuxVideo. Visitado em 6 de outubro de 2010.
    10. a b c d Steve West (2 de outubro de 2007). NiGHTS: Journey Of Dreams - Persona Masks And New Screens Gaming Blend. Visitado em 6 de outubro de 2010.
    11. Chris "Atom" DeAngelus (28 de dezembro de 2007). Wii Review - 'NiGHTS: Journey of Dreams' (em Inglês) Worthplaying. Visitado em 6 de outubro de 2010.
    12. Jesse_Costantino (16 de janeiro de 2008). NiGHTS: Journey of Dreams - Wii GameRevolution. Visitado em 6 de outubro de 2010.
    13. O mais novo sonho da Sega invade as noites do Wii (em Português) GameStart. Visitado em 6 de outubro de 2010.
    14. Steen Marquard (7 de abril de 2007). Nights med skiftende vejr Game Reactor.
    15. Ivan Nikolai Barkow Castilho. Análise: NiGHTS: Journey of Dreams (em Português) Wii Brasil.
    16. Kevin VanOrd, GameSpot (18 de dezembro de 2007). It may not have the same magic as its lauded predecessor, but Journey of Dreams is still a fun, if inconsistent platformer that positively drips with style. (em Inglês) GameSpot. Visitado em 6 d eoutubro de 2010.
    17. a b c Chad Chamberlain (20 de novembro de 2007). Q&A session with Sega's NiGHTS producer, Takashi Iizuka. NiGHTS is back and he tells us why. CBS News.
    18. Yuji Naka Doesn’t Want Another NiGHTS News (em Inglês) TVG.
    19. Anoop Gantayat (20 de abril de 2006). NiGHTS Set For Revolution? (em Inglês) IGN. Visitado em 7 de outubro de 2010.
    20. Micah Seff (4 de janeiro de 2007). NiGHTS Sequel Wii-bound? IGN. Visitado em 7 de outubro de 2010.
    21. Mark Whiting (7 de março de 2007). Vote on Which Sega Franchise to Resurrect (em Inglês) 1UP.com. Visitado em 7 de outubro de 2010.
    22. Kevin Cassidy (16 de março de 2007). Official Nintendo Magazine claims world exclusive Wii game in next issue - UPDATE (might be Nights!) Go Nintendo.
    23. Alexander Sliwinski (17 de março de 2007). Rumorang: Nights returning on the Wii -- Part 2 (em Inglês) Joystiq.
    24. Alexander Sliwinski (19 de março de 2007). ONM says 'world exclusive' not April Fools prank (em Inglês) Joystiq.
    25. Gamereactor #46 preview (em Norte Sami) GameReactor (23 de março de2007).
    26. NighTS Wii: Premières Images (em Francês).
    27. Maxi Consolas, May 2007 Issue
    28. NiGHTS : JOURNEY OF DREAMS(邦題未定)』が今冬発売! (em Japonês) Famitsu.
    29. Anon. ("NGamer staff") (2007-04-20). "NGamer exclusive - Nights: Journey of Dreams interview" [interview with Takeshi Iizuka] NGamer/ComputerAndVideoGames.com. Visitado em 2007-04-23.
    30. Thomason, Steve. "Golden Slumber", Nintendo Power volume 224 (january de 2008), p. 86.
    31. Famitsu - review score details (em Inglês) Go nintendo.

    Ligações externas[editar | editar código-fonte]