Nikolay Gamaleya

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Nikolay Gamaleya

Nikolay Fyodorovich Gamaleya ou Mykola Hamaliia (em ucraniano: Мико́ла Фе́дорович Гамалі́я; em russo: Никола́й Фёдорович Гамале́я) (Odessa, 17 de fevereiro de 1859 [ Calendário juliano: 5 de fevereiro ]Moscou, 29 de março de 1949) foi um médico russo/soviético de origem ucraniana e cientista que desempenhou um papel pioneiro na microbiologia e na pesquisa de vacinas.

Biografia[editar | editar código-fonte]

Gamaleya nasceu em Odessa, então parte do Império Russo, em uma família nobre de origem cossaca.[1] Ele formou-se na Universidade Novorossiysky de Odessa (atual Universidade Nacional de Odessa) em 1880 e na Academia Médica Militar de São Petersburgo (atual Academia Médica Militar S.M. Kirov ) em 1883. Ele se tornou um respeitado médico de hospital em sua terra natal depois disso.

Gamaleya trabalhou no laboratório de Louis Pasteur na França em 1886. Seguindo o modelo de Pasteur após seu retorno, ele se juntou a Ilya Mechnikov na organização de uma estação bacteriológica de Odessa para estudos de vacinação antirrábica e para a realização de pesquisas sobre o combate à peste bovina e à cólera, para diagnósticos de escarro para tuberculose e preparação de vacinas contra o carbúnculo.[2] O Instituto Bacteriológico de Odessa tornou-se a primeira estação de observação bacteriológica da Rússia.

Apesar das instalações precárias e da equipe pequena, os cientistas foram capazes de descobrir as condições em que a vacinação antirrábica era mais eficaz. [3] A proposta de Gamaleya de usar bacilos mortos em vacinas anticólera foi posteriormente aplicada com sucesso em larga escala. Estações semelhantes foram logo fundadas em Kiev (1886), Yekaterinoslav (1897) e Chernigov (1897).[4]

Depois de defender sua dissertação de 1892 sobre a etiologia da cólera (publicada em 1893), Gamaleya atuou como diretor do Instituto Bacteriológico de Odessa entre 1896 e 1908. O relatório sobre a lise da bactéria Bacillus anthracis por um "fermento" transmissível em 1898, tornou Gamaleya o descobridor dos anticorpos destruidores de bactérias conhecidos como bacteriolisinas.[5]

Gamaleya iniciou uma campanha de saúde pública de extermínio de ratos para combater a peste em Odessa e no sul da Rússia, apontando o piolho como o portador do tifo.[6] Entre 1910 e 1913, Gamaleya editou o jornal Gigiena i sanitariya (Higiene e Saneamento).[5][7]

O trabalho posterior de Gamaleya, incluindo a organização do fornecimento e distribuição de vacinas contra a varíola para o Exército Vermelho, levou a avanços rumo à erradicação da varíola na URSS. [8]

Autor de mais de 300 publicações acadêmicas sobre bacteriologia, Gamaleya foi membro da Academia de Ciências da URSS e da Academia de Ciências Médicas da URSS.

Gamaleya foi condecorado com altas honrarias soviéticas, dentre elas duas Ordens de Lenin, uma Ordem da Bandeira Vermelha do Trabalho e o Prêmio Estatal da URSS de 1943. Gamaleya faleceu em Moscou . O Centro Nacional de Pesquisa N. F. Gamaleya para Epidemiologia e Microbiologia em Moscou recebeu seu nome.

Referências

  1. «Hamaliia [Гамалія]». Internet Encyclopedia of Ukraine 
  2. Zalkind, Semyon (2001). Ilya Mechnikov: His Life and Work. Honolulu, Hawaii: University Press of the Pacific. pp. 96-98. ISBN 978-0-89875-622-7.
  3. Zalkind, Semyon (2001). Ilya Mechnikov: His Life and Work. Honolulu, Hawaii: University Press of the Pacific. pp. 96-98. ISBN  978-0-89875-622-7.
  4. Melikishvili, Alexander (2006). "Genesis of the Anti-Plague System: The Tsarist Period". Critical Reviews in Microbiology 32, pp. 19–31. ISSN 1040-841X.
  5. a b Melikishvili, Alexander (2008). "Annex: Biosketches of Scientists and Other Public Figures Who Played Important Roles in the Evolution of Tsarist Russia’s Anti-Plague System". In Sonia Ben Ouagrham-Gormley, Alexander Melikishvili, and Raymond A. Zilinskas, The Soviet Anti-Plague System, James Martin Center for Nonproliferation Studies. Acesso em: 26 fev. 2011.
  6. Podolsky, Edward (1972). Red Miracle: The Story of Soviet Medicine. New York: Beechhurst Press. p. 222. ISBN 0-8369-2818-0.
  7. «Hygiene and sanitation». Izdatelstvo Meditsina 
  8. Podolsky, Edward (1972). Red Miracle: The Story of Soviet Medicine. New York: Beechhurst Press. p. 224. ISBN 0-8369-2818-0.

Leitura adicional[editar | editar código-fonte]

  • Bardell, D (1982). «An 1898 Report by Gamaleya for a Lytic Agent Specific for Bacillus Anthracis». Journal of the History of Medicine and Allied Sciences. 37: 222–5. PMID 6806352. doi:10.1093/jhmas/xxxvii.2.222