Nuno Alvites

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Disambig grey.svg Nota: Não confundir com o homónimo, provável filho de Alvito Lucides.
Nuno Alvites
Nascimento 1000
Morte 1028 (28 anos)
Progenitores Pai:Alvito Nunes
Cônjuge Ilduara Mendes
Filho(s) Mendo Nunes
Ocupação aristocrata
Título conde

Nuno Alvites (fl. 1017 — 1028),[1] também referido como Nuno Aloitiz,[2][a] conde de Portucale, foi um descendente de Vímara Peres como filho de Alvito Nunes e Gontina.[3]

A sua presença é registada pela primeira vez em 1017. Em 1025, há registo da confirmação de Nuno a uma doação do rei Afonso V ao irmão de Nuno, Pedro Alvites; no mesmo ano, outro documento diz que sucedeu ao seu pai Alvito no governo do condado.[1] Governou o condado com a sua esposa Ilduara Mendes, filha do conde Mendo Gonçalves,[1] até que foi assassinado em 1028, o mesmo ano que morreu o rei Afonso V.[4] Depois da sua morte, a sua viúva, Ilduara continuou a governar o condado como regente com seu filho Mendo que era menor de idade.[4][5]

Descendência[editar | editar código-fonte]

Com sua esposa Ilduara teve três filhos:

  • Mendo Nunes, (fl. 1028–1050)[1]. Governou o condado com sua mãe e por conta propria a partir do ano 1043.[1]
  • Gontroda Nunes,[2] aparece nas fontes medievais a partir de 1028 até 1088. Casou-se com o conde Vasco.[1]
  • Munio Nunes, que vendeu propriedades em Domez antes de 1031.[1]

Notas[editar | editar código-fonte]

[a] ^ Ele e a sua esposa estão documentados en 1025 como comite Nunus Aloitiz et uxori eius comitissa domna Ilduara.[6]

Referências

  1. a b c d e f g Mattoso 1981, p. 113.
  2. a b Sáez 1947, p. 75.
  3. Mattoso 1981, p. 106, 112–113.
  4. a b Mattoso 1981, p. 113, 266.
  5. Sánchez Candeira 1999, pp. 128–129.
  6. Herculano 1868, p. 160, doc. CCLIX.

Bibliografia[editar | editar código-fonte]