Pórcia (satélite)

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Pórcia
Satélite Urano XII
Uranus-Portia-Cressida-Ophelia-NASA.gif
Pórcia, Créssida e Ofélia
Características orbitais[1]
Semieixo maior 66 097,265 ± 0,050 km
Excentricidade 0,00005 ± 0,00008
Período orbital 0,5131959201 ±
0,0000000093 d
Inclinação 0,05908 ± 0,039 °
Características físicas[2][3][4][5][6]
Dimensões 156 × 126 × 126 km
Diâmetro equatorial 135,2 ± 8 km
Área da superfície ~57 000 km²
Volume ~1 300 000 km³
Massa ~1,7×1018 kg
Densidade média ~1,3 g/cm³
Gravidade equatorial ~0,0023 g
Período de rotação sincronizado
Velocidade de escape ~0,058 km/s
Inclinação axial zero
Albedo 0,08 ± 0,01
0,07
Temperatura média: -209,15 ºC

Pórcia é um satélite natural de Urano. Foi descoberto com imagens tiradas pela sonda Voyager 2 em 3 de janeiro de 1986, e recebeu a designação provisória S/1986 U 1.[7] Essa lua foi nomeada a partir de Pórcia, a heroína da obra de William Shakespeare The Merchant of Venice. Ela também designada como Urano XII.[8]

Pórcia nomeia um grupo de satélite conhecido como grupo Pórcia, que também inclui Bianca, Créssida, Desdémona, Julieta, Rosalinda, Cupido, Belinda e Perdita.[6] Esses satélites têm órbitas e propriedades fotométricas similares.[6]

Pouco se sabe em relação a Pórcia além de seu tamanho de cerca de 140 km,[2] órbita,[1] e albedo geométrico de cerca de 0,08.[6]

Nas imagens da Voyager 2, Pórcia aparece como um objeto alongado cujo eixo maior aponta em direção a Urano. A taxa de eixos de Pórcia é de 0,8 ± 0,1.[2] Sua superfície tem cor cinza.[2] Observações com o Telescópio Espacial Hubble acharam características de absorção de gelo de água no espectro de Pórcia.[6][9]

Referências

  1. a b Jacobson, R.A. (1998). «The Orbits of the Inner Uranian Satellites From Hubble Space Telescope and Voyager 2 Observations». The Astronomical Journal. 115: 1195–1199. doi:10.1086/300263 
  2. a b c d Karkoschka, Erich (2001). «Voyager's Eleventh Discovery of a Satellite of Uranus and Photometry and the First Size Measurements of Nine Satellites». Icarus. 151: 69–77. doi:10.1006/icar.2001.6597 
  3. «Planetary Satellite Physical Parameters». JPL (Solar System Dynamics). 24 de outubro de 2008. Consultado em 12 de dezembro de 2008 
  4. Williams, Dr. David R. (23 de novembro de 2007). «Uranian Satellite Fact Sheet». NASA (National Space Science Data Center). Consultado em 12 de dezembro de 2008 
  5. Área da superfície, volume, massa, gravidade equatorial e velocidade de escape foram calculados com base em outros parâmetros.
  6. a b c d e Karkoschka, Erich (2001). «Comprehensive Photometry of the Rings and 16 Satellites of Uranus with the Hubble Space Telescope». Icarus. 151: 51–68. doi:10.1006/icar.2001.6596 
  7. Smith, B. A. (16 de janeiro de 1986). «IAU Circular No. 4164». Consultado em 6 de agosto de 2006 
  8. «Planet and Satellite Names and Discoverers». Gazetteer of Planetary Nomenclature. USGS Astrogeology. 21 de julho de 2006. Consultado em 6 de agosto de 2006 
  9. Dumas, C.; Smith, Bradford A.; and Terrile, Richard J. (2003). «Hubble Space Telescope NICMOS Multiband Photometry of Proteus and Puck». The Astronomical Journal. 126: 1080–1085. Bibcode:2003AJ....126.1080D. doi:10.1086/375909 
Ícone de esboço Este artigo sobre um satélite natural é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.