Partido Socialista Unido da Venezuela

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Partido Socialista Unido da Venezuela
Partido Socialista Unido de Venezuela
Presidente Nicolás Maduro
Fundador Hugo Chávez
Fundação 24 Março de 2007
Sede Caracas,Venezuela
Ideologia Bolivarianismo
Anti-imperialismo
Socialismo do século XXI
Chavismo
Marxismo-Leninismo
Comunismo
Guevarismo
Espectro político Extrema-esquerda
Membros  (2007) 5.700.000
Afiliação internacional Foro de São Paulo
COPPPAL
Assembleia Nacional da Venezuela
52 / 167
Cores Vermelho
Página oficial
http://www.psuv.org.ve

Partido Socialista Unido da Venezuela (PSUV) é o nome de um partido político com base no socialismo, o qual surgiu da fusão de algumas forças sociais e políticas que apóiam a Revolução Bolivariana, esta liderada pelo presidente Hugo Chávez. Atualmente é o partido majoritário na Venezuela, e também o maior partido de esquerda da América Latina e do Hemisfério Oeste. Tinha aproximadamente 5,7 milhões de membros em 2007.[1] Nas eleições de 2 de maio de 2010, para Assembléia Nacional , 2.568.090 membros votaram.[2]

Formação[editar | editar código-fonte]

Surgiu por iniciativa de Hugo Chávez após sua vitória nas eleições para presidência da Venezuela de 2006, com a finalidade de unir todos os partidos que apóiam a Revolução Bolivariana.[3] Essa articulação obteve relativo sucesso com o apoio do Movimento Quinta República (MVR)[4], e outros partidos menores[5], quais como o Movimento Eleitoral do Povo (MEP), a União Popular Venezuelana (UPV), o Movimento Revolucionário Tupamaro (MRT), a Liga Socialista (LS) e outros, que juntos somaram 45,99% dos votos recebidos por Chávez nas eleições de 2006.[6] Outros partidos como o Partido Comunista da Venezuela (PCV)[7], o Pátria para Todos (PPT)[8], o Pela Democracia Social (PODEMOS)[9], que obtiveram 14,60% dos votos na eleição citada, decidirão não se fundir ao PSUV.

Em 18 de dezembro de 2006 o Ministro da Comunicação e Informação Willian Lara anunciou a elaboração de uma carta dirigida ao Conselho Nacional Eleitoral, sobre a proposta de dissolver formalmente o Movimento Quinta República. Chávez salientou a necessidade de um único partido, unido pela causa Bolivariana.[10]

O partido realizou seu primeiro congresso no início de 2008.[11]

Participantes[editar | editar código-fonte]

Dos 24 partidos políticos que apoiaram Hugo Chávez nas eleições presidenciais de 2006, 11 estão em processo de adesão PSUV. No dia 7 de março de 2007, apresentou um projeto gradual para fundar o novo partido até novembro 2007.[10] O Partido Comunista da Venezuela, o Pátria para Todos e o Pela Democracia Social inicialmente declaram que iriam aguardar a fundação do PSUV, e só então a partir do programa do novo partido decidir pela adesão.[11]

Em 18 de março de 2007, Chávez em seu programa Alô Presidente declarou que ele havia “aberto as portas para o Pela Democracia Social, o Pátria para Todos e o Partido Comunista da Venezuela, se eles querem deixar a aliança com Chávez, eles podem e deixar-nos em paz.” Na opinião dele estes partidos estão perto da oposição e devem escolher sabiamente o caminho para sair, “no silêncio, nos abraçar ou atirar pedras.”[12] O Pátria para Todos, no congresso de 10 e 11 de Abril, optou pela não se dissolver, entretanto reafirmou seu apoio a Hugo Chávez e a Revolução Bolivariana.[13]

Deve-se resaltar que muitos movimentos da esquerda revolucionária entraram no PSUV e têm uma participação entusiástica e vigorosa em suas lutas. Os mais notáveis são os grupos trotskistas: Corriente Marxista Revolucionaria, Lucha de Classes (CMI), e Socialismo Revolucionario (CIT/CWI)

Em março de 2010, Chávez comentou a renúncia do PSUV de Henri Falcon, governador do Estado de Lara. Chávez afirmou: "Quem segue Henry Falcon é contra mim"[14] e "O Pátria Para Todos e o Partido Comunista da Venezuela irão desaparecer do cenário político, porque eles são mentirosos e manipuladores”[15].

Chávez disse que "É um partido muito jovem", com uma idade média de 35 entre os membros. Isto é pensado para existir uma identificação com a baixa idade para se votar, 16 anos, e os mais jovens são incentivados partcipar. Os analistas concordam, dizendo: “O pressuposto é que os jovens serão bolivarianos [em apoio ao Chávez], eles são aqueles cujas famílias foram beneficiadas com programas sociais de Chávez.”[1]

Partidos agregados ao PSUV Partidos não agregados ao PSUV
Movimento Quinta República (MVR) Pela Democracia Social (PODEMOS)
Movimento Eleitoral do Povo (MEP)[16] Pátria para Todos (PPT)
Movimento Independente Ganhamos Todos (MIGATO) Partido Comunista da Venezuela (PCV)
União Popular Venezuelana (UPV)[17] Classe Média Revolucionária (CMR)
Movimento Revolucionário Tupamaro (MRT)[18] Gente Emergente (GE)
Liga Socialista (LS)[19] Redes de Respostas de Mudanças Comunitárias (REDES)
Movimento pela Democracia Direta (MDD)[20] Unidade Patriótica Comunitária (UPC)
Partido União[21] Movimento de Concentração Gente Nova (MCGN)
Movimento Cívico Militante (MCM)[22] Organização Nacionalista Democrática Ativa (ONDA)
Força de Ações Coordenadas de Bases pela Aliança (FACOBA) Movimento Nacional Independente (MNI)
Independentes pela Comunidade Nacional (IPCN)[23] Poder Laboral (PL)
Correntes Revolucionárias Venezuelanas (CRV)

Estrutura[editar | editar código-fonte]

O partido é dirigido a nível nacional por um presidente, vice-presidente, e um conselho de 29 membros da administração:

Referências

Ligações externas[editar | editar código-fonte]