Partido Socialista Unido da Venezuela

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Partido Socialista Unido da Venezuela
Partido Socialista Unido de Venezuela
Vereinigte Sozialistische Partei Venezuelas logo.svg
Presidente Nicolás Maduro
Secretário Diosdado Cabello
Fundador Hugo Chávez
Fundação 24 de março de 2007 (15 anos)
Sede Caracas,  Venezuela
Ideologia Socialismo do século XXI
Anti-imperialismo
Anticapitalismo
Marxismo
Bolivarianismo
Chavismo
Nacionalismo de esquerda
Populismo de esquerda
Espectro político Esquerda a extrema-esquerda[1][2][3]
Publicação Cuatro F
Membros (2020) Baixa 7.771.975
Afiliação nacional GPPSB
Afiliação internacional Foro de São Paulo
COPPPAL
Assembleia Nacional da Venezuela
219 / 277
Parlamento do Mercosul
18 / 32
Governadores
19 / 23
Prefeitos
326 / 337
Cores      Vermelho
Página oficial
http://www.psuv.org.ve

O Partido Socialista Unido da Venezuela (em espanhol, Partido Socialista Unido de Venezuela), mais conhecido como PSUV, é um partido político fundado em 24 de março de 2007 como resultado da fusão de forças sociais e políticas que apoiam a Revolução Bolivariana liderada pelo presidente Hugo Chávez. Atualmente é o partido majoritário na Venezuela, e também o maior partido de esquerda da América Latina e do Ocidente em número de filiados, tendo aproximadamente 7,8 milhões de membros em 2020.[4]

Formação[editar | editar código-fonte]

Surgiu por iniciativa de Hugo Chávez, inspirado no castrismo, guevarismo[5] e gramscismo[6] e, após sua vitória na eleição presidencial de 2006, com a finalidade de unir todos os partidos que apoiavam a chamada Revolução Bolivariana.[7] Essa articulação obteve relativo sucesso com o apoio do Movimento Quinta República (MVR),[8] e outros partidos de esquerda menores,[9] como o Movimento Eleitoral do Povo (MEP), a União Popular Venezuelana (UPV), o Movimento Revolucionário Tupamaro (MRT), a Liga Socialista (LS), que juntos somaram 45,99% dos votos recebidos por Chávez nas eleições de 2006.[10]

Por sua vez, outros partidos como o Partido Comunista da Venezuela (PCV),[11] o Pátria para Todos (PPT),[12] o Pela Democracia Social (PODEMOS),[13] que obtiveram 14,60% dos votos na eleição citada, decidiram não se fundir ao PSUV.

Em 18 de dezembro de 2006 o Ministro da Comunicação e Informação Willian Lara anunciou a elaboração de uma carta dirigida ao Conselho Nacional Eleitoral (CNE) sobre a proposta de dissolver formalmente o MRV. Chávez salientou a necessidade de fundar um partido unificado capaz de defender com maior força a causa bolivariana.[14]

O partido realizou seu primeiro congresso nacional no início de 2008.[15]

Participantes[editar | editar código-fonte]

Dos 24 partidos políticos que apoiaram Chávez na eleição presidencial de 2006, 11 deles aderiram ao PSUV. Em 7 de março de 2007, apresentou um projeto gradual para fundar o novo partido até novembro d 2007.[16] O PCV, o PPT e o PODEMOS inicialmente declaram que iriam aguardar a fundação do PSUV, e só então a partir do programa do novo partido decidir pela adesão.[17]

Em 18 de março, Chávez em seu programa Alô Presidente declarou que ele havia “aberto as portas para o Pela Democracia Social, o Pátria para Todos e o Partido Comunista da Venezuela, se eles querem deixar a aliança com Chávez, eles podem deixar-nos em paz.” Na opinião dele, tais partidos são próximos da oposição e devem escolher sabiamente o caminho para sair, “no silêncio, nos abraçar ou atirar pedras.”[18] O PPT, em congresso realizado entre 10 e 11 de abril, optou pela não se dissolver, embora tivesse reafirmado seu apoio político a Hugo Chávez e à Revolução Bolivariana.[19]

Deve-se ressaltar que muitos movimentos da esquerda revolucionária entraram no PSUV e têm uma participação entusiástica e vigorosa em suas lutas. Os mais notáveis são os grupos trotskistas Corrente Marxista Revolucionaria (CMI) e Socialismo Revolucionário (CIT/CWI).

Em março de 2010, Chávez comentou a desfiliação de Henri Falcón, governador do estado de Lara, do PSUV. Na época, Chávez afirmou: "Quem segue Henri Falcón é contra mim"[20] e ainda "O Pátria Para Todos e o Partido Comunista da Venezuela irão desaparecer do cenário político, porque eles são mentirosos e manipuladores”.[21]

Juventude partidária[editar | editar código-fonte]

Chávez disse que o PSUV "É um partido muito jovem", com seus membros possuindo uma idade média de 35 anos. O objetivo disso é promover uma identificação com o eleitorado jovem que os estimulassem a a participar ativamente da política do país. Os analistas concordam, dizendo: “O pressuposto é que os jovens que serão bolivarianos são aqueles cujas famílias foram beneficiadas com programas sociais de Chávez.”[22]

Partidos fundidos ao PSUV[editar | editar código-fonte]

Partidos que aceitaram fundir-se ao PSUV Partidos que recusaram fundir-se ao PSUV
Movimento V República (MVR) Pela Democracia Social (PODEMOS)
Movimento Eleitoral do Povo (MEP)[23] Pátria Para Todos (PPT)
Movimento Independente Ganhamos Todos (MIGATO) Partido Comunista da Venezuela (PCV)
União Popular Venezuelana (UPV)[24] Classe Média Revolucionária (CMR)
Movimento Revolucionário Tupamaro (MRT)[25] Gente Emergente (GE)
Liga Socialista (LS)[26] Redes de Respostas de Mudanças Comunitárias (REDES)
Movimento pela Democracia Direta (MDD)[27] Unidade Patriótica Comunitária (UPC)
Partido União[28] Movimento de Concentração Gente Nova (MCGN)
Movimento Cívico Militante (MCM)[29] Organização Nacionalista Democrática Ativa (ONDA)
Força de Ações Coordenadas de Bases pela Aliança (FACOBA) Movimento Nacional Independente (MNI)
Independentes pela Comunidade Nacional (IPCN)[30] Correntes Revolucionárias Venezuelanas (CRV)

Estrutura partidária[editar | editar código-fonte]

O partido é dirigido a nível nacional por um presidente, vice-presidente, e um conselho de 29 membros da administração:

  • Freddy Bernal
  • Héctor Navarro
  • Héctor Rodríguez
  • Jacqueline Faría
  • Jorge Rodríguez
  • Luis Reyes Reyes
  • María Cristina Iglesias
  • María León
  • Mario Silva
  • Nicolás Maduro
  • Nohelí Pocaterra
  • Rafael Ramírez
  • Ramón Rodríguez Chacín
  • Rodrigo Cabezas
  • Tarek El Aissami
  • Vanessa Davies
  • Willian Lara
  • Yelitza Santaella

Resultados eleitorais[editar | editar código-fonte]

Eleições presidenciais[editar | editar código-fonte]

Data Candidato CI. Votos % Status
2012 Hugo Chávez 8 191 132
55,07 / 100,0
Symbol keep vote.svg Eleito
2013 Nicolás Maduro 7 587 579
50,61 / 100,0
Symbol keep vote.svg Eleito
2018 6 245 862
67,84 / 100,0
Symbol keep vote.svg Eleito

Eleições legislativas[editar | editar código-fonte]

Data CI. Votos % +/- Deputados +/- Status
2010 5 423 324
48,13 / 100,0
Baixa 11,93%
96 / 165
Baixa 22 Governo
2015 5 203 487
37,85 / 100,0
Baixa 10,28%
55 / 167
Baixa 41 Oposição
2020 3 910 197
62,43 / 100,0
Aumento 24,58%
219 / 277
Aumento 164 Governo

Referências

  1. Kryt, Jeremy (7 de dezembro de 2015). «Venezuela's Opposition Wins Big, But Maduro's Still There». The Daily Beast. The Daily Beast Company, LLC. Consultado em 10 de janeiro de 2017 
  2. Hausmann, Ricardo; Rodríguez, Francisco R., eds. (2014). Venezuela Before Chávez: Anatomy of an Economic Collapse. [S.l.]: Penn State Press. ISBN 9780271064642 
  3. Ciccariello-Maher, George (28 de março de 2007). «Against Party Bureaucracy: Venezuela's PSUV and Socialism from Below». MROnline. Monthly Review Foundation 
  4. http://www.psuv.org.ve/portada/militantes-psuv-diosdado-cabello-rueda-prensa-carnetizacion-nuevos-militantes/#.Xut9jGhKi00  Em falta ou vazio |título= (ajuda)
  5. Altamiro Borges, José Reinaldo Carvalho (17 de janeiro de 2008). «O nascimento do PSUV - America Latina en Movimiento». Consultado em 11 de agosto de 2019 
  6. Telesur (17 de junho de 2013) «Hugo Chávez abrazó ideas de Gramsci desde joven: presidente Maduro». YouTube, aos 2m:56s: "(...) el comandante Chávez fue un gran gramsciano" (em castelhano) Consultado em 11 de agosto de 2019.
  7. BBC NEWS | Americas | Venezuela head seeks party merger
  8. «Cópia arquivada». Consultado em 7 de janeiro de 2011. Arquivado do original em 16 de outubro de 2007 
  9. «Cópia arquivada». Consultado em 7 de janeiro de 2011. Arquivado do original em 16 de outubro de 2007 
  10. [1]
  11. [2]
  12. «Cópia arquivada». Consultado em 7 de janeiro de 2011. Arquivado do original em 22 de abril de 2009 
  13. «Cópia arquivada». Consultado em 7 de janeiro de 2011. Arquivado do original em 5 de março de 2007 
  14. «Daily News - eluniversal.com». Consultado em 7 de janeiro de 2011. Arquivado do original em 21 de fevereiro de 2009 
  15. Kiraz Janicke; Federico Fuentes (14 de janeiro de 2008). «Chavez Inaugurates Founding Congress of New Socialist Party of Venezuela». Consultado em 17 de janeiro de 2009 
  16. [3]
  17. [4]
  18. [5]
  19. «Cópia arquivada». Consultado em 7 de janeiro de 2011. Arquivado do original em 11 de junho de 2007 
  20. "¡Los que están con Falcón están contra Chávez!” [ligação inativa]
  21. «"Chávez: PPT y PCV desaparecerán del mapa político por "mentirosos y manipuladores"». Consultado em 7 de janeiro de 2011. Arquivado do original em 17 de julho de 2011 
  22. http://www.bloomberg.com/apps/news?pid=newsarchive&sid=aqg5jOxmM.Vg
  23. MEP aceptó propuesta de Partido Socialista Unido de Venezuela
  24. UPV se disuelve para formar parte del Partido Socialista Único de Venezuela
  25. El Tiempo - El Periódico del Pueblo Oriental
  26. Liga Socialista se adhiere al PSUV
  27. MDD apoya el llamado a conformar el PSUV
  28. PSUV: Partido Unión se disuelve para incorporarse al PSUV
  29. PSUV: Propuestas del Movimiento Cívico Militante (MCM) sobre el Partido Único y el Socialismo del Siglo XXI
  30. PSUV: Partido Independientes por la Comunidad se incorpora al PSUV

Ligações externas[editar | editar código-fonte]