Pedra do Indaiá

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Município de Pedra do Indaiá
Bandeira indisponível
Brasão indisponível
Bandeira indisponível Brasão indisponível
Hino
Fundação 30 de dezembro de 1962
Gentílico indaiaense
Prefeito(a) Itamar José da Costa
(2017 – 2020)
Localização
Localização de Pedra do Indaiá
Localização de Pedra do Indaiá em Minas Gerais
Pedra do Indaiá está localizado em: Brasil
Pedra do Indaiá
Localização de Pedra do Indaiá no Brasil
20° 15' 28" S 45° 12' 32" O20° 15' 28" S 45° 12' 32" O
Unidade federativa  Minas Gerais
Mesorregião Oeste de Minas IBGE/2008[1]
Microrregião Formiga IBGE/2008[1]
Municípios limítrofes Santo Antônio do Monte, Itapecerica, São Sebastião do Oeste, Formiga.
Distância até a capital 173 km
Características geográficas
Área 349,092 km² [2]
População 3 878 hab. Censo IBGE/2010[3]
Densidade 11,11 hab./km²
Clima Não disponível
Fuso horário UTC−3
Indicadores
IDH-M 0,708 elevado PNUD/2010[4]
PIB R$ 78 833 mil IBGE/2014[5]
PIB per capita R$ 19 644 29 IBGE/2014[5]

Pedra do Indaiá é um município brasileiro do estado de Minas Gerais com uma população, segundo dados do censo de 2010, de 3.878 habitantes.

História[editar | editar código-fonte]

O município de Pedra do Indaiá foi criado em 30 de Dezembro de 1962, e instalado em 1 de Março de 1963, quando se desmembrou de Itapecerica a qual pertencia. Pedra do Indaiá esta localizada a 170 km da capital Belo Horizonte, em uma belíssima região cercada por morros, ampara belas cachoeiras e paisagens deslumbrantes do cerrado mineiro. No alto de seu maior morro existe a Capela de São Miguel, erguida por um fazendeiro da família Silva no ano de 1729. Nesse local, foi encontrada a imagem do Senhor Bom Jesus, que havia sido escondida por bandeirantes, que a roubaram em um município vizinho: Itapecerica. A capela foi abandonada,com isso seu teto e partes de suas paredes construídas de pedra vieram ao chão e logo o seu interior foi usado como cemitério da família Silva, onde várias pessoas estão sepultadas, com o passar dos anos e, com a chegada no município do (hoje falecido) Padre Miguel Rodrigues dos Anjos, foi restaurada, em setembro de 1982, com a ajuda da população. Hoje, é um ponto turístico da cidade e sua restauração é comemorada todos os anos no primeiro domingo de Setembro (data de sua reinauguração), numa comemoração que atrai romeiros de toda região para participar da então "Festa da Igrejinha". Junto à referida capela fica o cemitério da cidade e, ainda, um pequeno "castelo" erguido pelo Padre Miguel. Em 1952, foi celebrado o primeiro Jubileu do Senhor Bom Jesus, pelo reverendíssimo Padre João Bruno Barbosa, que dirigiu a paróquia da cidade durante 12 anos. Essa festa é celebrada todos os anos de 10 a 14 de setembro em homenagem a milagrosa imagem. A partir dos anos 90, a cidade teve seu maior desenvolvimento devido a instalação de uma indústria de Carbonato de Cálcio, que emprega, hoje, cerca de 140 funcionários. Sua economia se baseia, também, na agricultura familiar e na criação de gado leiteiro. A cidade possui, ainda, uma fábrica de fogos de artifício, e confecções de médio porte.

O principal ponto turístico é a Prainha, uma bela cachoeira localizada a 6 km da cidade.

Turismo[editar | editar código-fonte]

  • Festa da Igrejinha, com desfile de carros de boi e cavalgada: 1º domingo de Setembro.
  • Jubileu do Senhor Bom Jesus de Pedra do Indaiá: de 1 a 14 de Setembro, tendo como ponto forte do dia 10 ao 14.
  • Belíssimas cachoeiras localizadas em pontos estratégicos da zona rural e urbana.

Acesso[editar | editar código-fonte]

O acesso a Pedra do Indaiá se dá pela MG 164, que liga o município as Vizinhas Santo Antonio do Monte, Lagoa da Prata, Itapecerica, e também liga com a MG 050 que dá acesso a Divinópolis, uma das principais cidades da região, Formiga é outra cidade ligada pela MG 050, a apenas 50 km de distância já podemos desfrutar do Doce Mar de Minas (Águas de Furnas).

Referências

  1. a b «Divisão Territorial do Brasil». Divisão Territorial do Brasil e Limites Territoriais. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). 1 de julho de 2008. Consultado em 11 de outubro de 2008. 
  2. IBGE (10 de outubro de 2002). «Área territorial oficial». Resolução da Presidência do IBGE de n° 5 (R.PR-5/02). Consultado em 5 de dezembro de 2010. 
  3. «Censo Populacional 2010». Censo Populacional 2010. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). 29 de novembro de 2010. Consultado em 11 de dezembro de 2010. 
  4. «Ranking decrescente do IDH-M dos municípios do Brasil» (PDF). Atlas do Desenvolvimento Humano. Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD). 2010. Consultado em 31 de julho de 2013. 
  5. a b «IBGE» 
Ícone de esboço Este artigo sobre municípios do estado de Minas Gerais é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.