Pinacoteca Barão de Santo Ângelo

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa

A Pinacoteca Barão de Santo Ângelo é uma galeria de arte da Universidade Federal do Rio Grande do Sul, situada no prédio do Instituto de Artes da UFRGS (IA), em Porto Alegre.

A Pinacoteca desempenha diversas funções de apoio às atividades docentes e discentes do IA, tendo quatro setores: Acervo, Arquivo Documental, Galeria e Restauro. Foi instituída em 1943, quando da construção do prédio novo do Instituto, e em 1992 suas instalações foram reformadas, desenvolvendo atividade ininterrupta e se constituindo num dos espaços de arte mais acreditados da capital gaúcha em virtude de sua estreita ligação com a universidade.

Acervo[editar | editar código-fonte]

Weingärtner: Estudo, 1878
Francis Pelichek: Auto-retrato, sem data

A Pinacoteca Barão de Santo Ângelo administra uma das primeiras coleções públicas de arte do estado do Rio Grande do Sul, fundada juntamente com o Instituto de Artes com a aquisição das primeiras peças de pintura e de duas grandes estátuas em gesso, cópias de obras clássicas, o Apolo Belvedere e a Vênus de Milo, com o intuito de servirem de modelo e estudo para os alunos.

O acervo continuou crescendo com a incorporação das obras premiadas nos salões de arte promovidos pela escola, e com novas aquisições. Também os professores contribuíram para sua expansão doando criações de sua autoria. Com a construção do novo edifício do IA em 1943, o Acervo Artístico foi reorganizado, sendo absorvido como um setor da Pinacoteca recém-criada.

Entre 1997 e 2003 foi desenvolvido um projeto de exposições de convidados que também buscava novas doações, quando entraram diversas outras peças.

Hoje esta coleção é de grande importância para a história das artes plásticas gaúchas, com cerca de 600 trabalhos catalogados entre desenhos, gravuras, pinturas, esculturas e fotografias de praticamente todas as figuras históricas de relevo na cena artística local, como Pedro Weingärtner, Oscar Boeira, Libindo Ferrás, Aldo Locatelli, Ado Malagoli, Fernando Corona, João Fahrion, José Lutzenberger, Francis Pelichek, Carlos Petrucci e muitos outros, e toda nova geração de professores, além de artistas do Brasil. É valioso em especial o legado de Benito Castañeda, que ao morrer sem herdeiros deixou todo o seu acervo para a Pinacoteca.

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Ver também[editar | editar código-fonte]