Praia do Forte (Mata de São João)

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Praia do Forte
A praça principal da praia, com a igreja
Localização Mata de São João, Bahia Bahia
Coordenadas Latitude: -12.574743

Longitude: -38.0044715

Extensão da orla 12 km
Tipo de praia oceânica
Banhada por Oceano Atlântico
Água e ondas mar calmo e tranquilo
Acesso Estrada do Coco
Coordenadas Latitude: -12.574743

Longitude: -38.0044715

A Praia do Forte é uma praia situada no distrito homônimo, no município de Mata de São João, no estado da Bahia, no Brasil. Dista cerca de 80 quilômetros da capital do estado, Salvador. Chega-se até a praia pela Estrada do Coco, uma estrada bem conservada saindo de Salvador (nas imediações do Aeroporto Internacional) e que segue até a divisa com o estado de Sergipe (nesse trecho chama-se Linha Verde).[1]

História[editar | editar código-fonte]

Em 1970, o descendente de alemães Klaus Peters junto com um amigo arremataram 30 mil hectares de mata, coqueiros, rios e praias. A área incluía também uma vila de pescadores (depois doado à municipalidade) e um edifício em ruínas, datado de 1551: o Castelo Garcia D Ávila, origem do nome "Praia do Forte", posto à venda pela família baiana Padilha de Souza com o objetivo de criar um destino turístico.[2] A partir de 1980 tornou-se o único dono da área. Depois vieram os primeiros empreendimentos: uma pousada e hotel.[2] Em 2013 a prefeitura de Mata de São João inaugurou o Parque Municipal Klaus Peters, em homenagem ao empresário.[3][4]

Geografia[editar | editar código-fonte]

Ruínas do Castelo Garcia D Ávila, na Praia do Forte.

São 12 quilômetros de praia, com muitos recifes, o que pode ser conseguido com passeios de barco apropriados ou mergulho. Os coqueiros são a principal vegetação da região, razão pela qual toda a costa é chamada de Costa dos Coqueiros.[1]

Uma característica distintiva deste lugar é que ele permanece ensolarado durante todo o ano, exceto nos meses de maio e julho quando a estação chuvosa ocorre. Devido a isso, atividades e excursões na área variam consoante a época.[5]

Economia[editar | editar código-fonte]

Há uma infraestrutura turística, com hotéis, pousadas, bares e restaurantes. Por isso mesmo a economia da vila se baseia no turismo. Pequenas lojinhas de artesanato e joalherias também compõe a vila e a prática da pesca.[6][7]

É um dos mais concorridos destinos do litoral norte da Bahia.[8] A pequena vila é formada por nativos locais, sejam pescadores, artesãs ou empreendedores que montam negócios na região.[2][7] É um destino predominante de ecoturismo, graças ao Projeto TAMAR que mantém sua sede nacional na localidade. Esta iniciativa está preocupada com a conservação e estudo das tartarugas marinhas, que pode atingir um tamanho de até 3 metros de comprimento e colocam seus ovos na área da praia. Além dele, há ainda o Instituto Baleia Jubarte, um dos centros do projeto que mantém bases de pesquisa, educação ambiental e outras atividades ligadas à conservação de cetáceos (mamíferos aquáticos);[9] e a Reserva Sapiranga, local de Mata Atlântica, pássaros, animais silvestres, manguezais, dunas e lagoas, além de trilhas ecológicas.

Destaca-se ainda pela proximidade ao Castelo Garcia d'Avila, em Açu da Torre, ainda de Mata de São João. Lá visita-se as ruínas do único castelo medieval construído no país. Seu construtor, Garcia d'Ávila, era o tesoureiro do primeiro governador geral do Brasil, Tomé de Sousa, que chegou à Bahia em 1549 para fundar a cidade de Salvador. Durante os primeiros anos da colonização, Ávila conseguiu acumular uma fortuna imensa, principalmente terras. Ele foi considerado o maior latifundiário do mundo, com as suas fazendas se estendendo da Bahia até o Maranhão. Em seu território, ele construiu o castelo. Atualmente em ruínas, está localizada a três quilômetros da vila.[10][2]

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

O Commons possui uma categoria contendo imagens e outros ficheiros sobre Praia do Forte (Mata de São João)