Radical Chic (quadrinhos)

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Disambig grey.svg Nota: Para outros significados, veja Radical chic.

Radical Chic é o título e personagem de quadrinhos do cartunista brasileiro Miguel Paiva, publicada originalmente no suplemento dominical do extinto Jornal do Brasil, a partir de 1982.[1]

Paiva baseou-se na expressão cunhada em 1970 pelo jornalista estadunidense Tom Wolfe para criar a figura de uma mulher que, em suas palavras, "fosse ao mesmo tempo preocupada com a realidade, visto que na época saíamos de um período autoritário, e também ligada na própria felicidade pessoal, na busca do prazer", refletindo na época de sua criação o momento histórico da redemocratização pela qual passava o Brasil.[1]

Com o tempo a personalidade da "Radical" mudou tornando-se, ainda segundo o autor, "mais light, menos radical, mais chique e também mais confusa", mantendo contudo a característica de falar de homens, sexo, casamento, futebol e do Rio de Janeiro, onde é ambientado.[1]

Citações[editar | editar código-fonte]

As tiras da Radical eram marcadas por expressões e pensamentos que refletiam o caráter da personagem. Algumas destas frases[2]:

  • "Certas dietas são simples. É só cortar açúcar, frituras, massas, molhos, bebidas alcoólicas, pães, biscoitos e... os pulsos."
  • "Dizem que estou ficando amarga, enjoada, ácida, sem graça. Não é verdade. É só colocar limão, adoçante, sexo, gelo, brilhantes e mexer gostoso, que eu fico maravilhosa!"
  • "Adoro quando os feirantes, os porteiros e os pedreiros do meu bairro me chamam de gostosa. É a comunidade solidária!"
  • "Faço dieta americana, uso produtos franceses, malho com um personal neozelandês, faço localizada com uma russa, e não adianta. Não consigo diminuir essa bunda brasileira."

Livros[editar | editar código-fonte]

Os quadrinhos foram também publicados em livros, dentre os quais:

  • Almanaque da Radical Chic
  • Livro de Pensamentos da Radical Chic, ed. Record, ISBN: 8501061336
  • Radical Chic - Sexo à Deriva, Editora Nacional
  • Radical Chic - Mulheres Que Pensam, Editora Nacional, ISBN: 9788504013399
  • Radical Chic - Corpo de Delito, Editora Nacional, ISBN: 9788504013382

Referências

  1. a b c NIDECKER, Fernanda. «"A mulher carioca se identifica com a Radical Chic; a paulista admira"». JB Online. Consultado em página em cache do google, com a aparência que ela tinha em 6 set. 2010 23:28:06 GMT  Verifique data em: |acessodata= (ajuda)
  2. Antônio M.Rocha (29 de março de 2010). «Palavras da "RADICAL CHIC" - personagem de Miguel Paiva». Uol Mais. Consultado em 23 de outubro de 2010 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Ícone de esboço Este artigo sobre banda desenhada é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.