Rainy Day Women No. 12 & 35

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Rainy Day Women #12 & 35
Título a ser usado para criar uma ligação interna é Rainy Day Women No. 12 & 35.
"Rainy Day Women #12 & 35"
Single de Bob Dylan
do álbum Blonde on Blonde
Lado A Rainy Day Women #12 & 35
Lado B Pledging My Time
Lançamento Abril de 1966
Formato(s) 7
Gravação 10 de março de 1966
Gênero(s) Blues
Duração 4:36 (versão do álbum)
2:26 (versão do single)
Gravadora(s) CBS
Composição Bob Dylan
Produção Bob Johnston
Cronologia de singles de Bob Dylan
Último
Último
"One of Us Must Know (Sooner or Later)"
(1966)
"I Want You"
(1966)
Próximo
Próximo

"Rainy Day Women #12 & 35" é uma canção de Bob Dylan é a faixa inicial do seu álbum de 1966, Blonde on Blonde.

A canção é notada pela sua não-usual instrumentação, sendo a única de todo o álbum a apresentar uma banda de metais. A frase "They'll stone you" ("Eles vão chapar você") em todos as linhas dos versos, mais o refrão de "Well, I would not feel so all alone--everybody must get stoned!" ("Bem, eu não me sentiria tão sozinho--todos têm de ficar chapados") também são características marcantes da letra. Na biografia de 1986 feita por Robert Shelton sobre Dylan No Direction Home (não tem relação com o documentário homônimo de Martin Scorsese), relata que a canção foi banida de muitas estações estado-unidenses de rádio e da BBC, devido à paranoia sobre "som de drogas".

A música é um blues simples de progressão em fa. As partes tocadas pelo trombone, pela tuba, pelo piano, pelo baixo, pela bateria e pelo tamborim permanecem praticamente na mesma melodia em todos os versos, mas a harmônica de Dylan e o seu vocal são brutalmente variados e geralmente não na mesma afinação dos outros instrumentos. Podem também ser ouvidas muitas risadas ao fundo, misturadas com um baixo volume e o próprio Dylan ri várias vezes enquanto canta. A canção soa como se estivesse sendo tocadas por músicos sob o efeito de maconha e isso é possivelmente proposital. De acordo com o livro de Howard Sounes Down the Highway: The Life of Bob Dylan, Dylan se recusou a tocar a música sóbrio e vários "Leprechaun Cocktails" (normalmente servidos em copos de licor) foram trazidos para o consumo da banda. Dylan não tocou no álcool, mas estava sob o efeito de drogas.[1]

A canção alcançou o número 2 no Billboard Hot 100 e número 7 no Reino Unido.

Referências[editar | editar código-fonte]

  • Shelton, Robert (1986). No Direction Home; The Life And Music of Bob Dylan. 27 Wrights Lane, London. Penguin Books. ISBN 0-14-010296-5

Notas

  1. Howard Sounes, Down the Highway: The Life Of Bob Dylan. (Doubleday 2001) ISBN 0-55299929-6, p244