República da Armênia Montanhosa

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa



Լեռնահայաստան
República da Armênia Montanhosa
Սյունիքի Հանրապետություն
República de Siunique
República de Karabakh-Zanghezur

Estado não-reconhecido pela Liga das Nações

Flag of the Transcaucasian Federation.svg
1918 Flag of the First Republic of Armenia.svg
Continente Eurásia
Região Cáucaso
Capital Não especificada
Língua oficial Nenhum
De facto: armênio
Governo República autônoma dentro da Armênia
Comandante-em-chefe
 • 1918 Andranik Ozanian
Período histórico I Guerra Mundial
 • 1918 Fundação
 • 1918 Dissolução
O general Andranik e seus oficiais, durante a conquista do Karabakh.

A República da Armênia Montanhosa (português brasileiro) ou Arménia Montanhosa (português europeu) (em armênio: Լեռնահայաստան), também chamada de República de Siunique (Սյունիքի Հանրապետություն) ou República de Karabakh-Zanghezur foi um estado de vida curta, não-reconhecido, no Sul do Cáucaso, aproximadamente correspondente aos territórios da atual província armênia de Siunique e da república de Nagorno-Karabakh.

O Tratado de Batum foi assinado entre a República Democrática da Armênia e o Império Otomano, depois das derrotas armênias nas últimas batalhas da Campanha do Cáucaso. Os otomanos haviam ganho, anteriormente, uma parte considerável do Sul do Cáucaso com o Tratado de Brest-Litovski, assinado com a República Socialista Federativa Soviética da Rússia. Em 1918 a Armênia, seguindo estes acordos, foi reduzida a um pequeno enclave centrado nas margens ocidentais do lago Sevan e nas cidades de Ierevan e Echmiadzin. Andranik Ozanian, general armênio, rejeitou estas novas fronteiras e proclamou o novo estado, onde suas atividades se concentrariam nas ligações entre o Império Otomano e a República Democrática do Azerbaijão, em Karabakh, Zanghezur e Nakhichevan.

Em janeiro de 1919, com o avanço das tropas armênias, as forças britânicas de Lionel Dunsterville ordenaram a Andranik que voltasse a Zanghezur, dando-lhe seguranças de que o conflito poderia ser solucionado através da Conferência de Paz a ser realizada em Paris naquele mesmo ano, que acabou por declarar a República Democrática da Armênia um estado internacionalmente reconhecido.

Ver também[editar | editar código-fonte]