Revista AzMina

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
AzMina
Categoria jornalismo
País Brasil
Idioma português
Formato online
Fundação 2015
Fundador(a) Nana Queiroz
Orientação política feminismo político
azmina.com.br

AzMina é uma revista digital jornalística independente[1] e opinativa feminista do Brasil.[2][3]

História[editar | editar código-fonte]

A revista surgiu por meio de um financiamento coletivo que arrecadou R$50 mil em 2015. O projeto foi criado por Nana Queiroz e outras colaboradoras com o intuito de fortalecer o jornalismo feminista no Brasil e oferecer conteúdo para as mulheres que não acham que precisam de dieta ou de "agradar um homem na cama", mas querem ler reportagens sobre sexo, comportamento, religião, saúde e ver ensaios de moda com mulheres de corpos "possíveis" e roupas com preços acessíveis.[4]

Em março de 2019, o Instituto AzMina lançou o aplicativo 'PenhaS', que visa proteger mulheres vítimas de violência doméstica. O aplicativo é uma plataforma que reúne o compartilhamento de informações, diálogo em ambiente seguro e a participação da sociedade por meio da criação de um grupo de proteção.[5][6]

Referências

Ligações externas[editar | editar código-fonte]