Revolta Herzegovina

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Revolta Herzegovina
Heroes of the Uprising in Bosnia and Herzegovina, Orao, 1876.png
Líderes e Heróis da Revolta na Bósnia e Herzegovina, ilustração do calendário sérvio Orao (1876)
Data 9 de julho de 1875 - 4 de agosto de 1877
Local Bósnia e Herzegovina
Desfecho Grande Crise do Oriente, guerra servo-turca, guerra montenegrino-turca; libertação de Montenegro e da Sérvia
Combatentes
revolucionários sérvios étnicos
apoiados por:
Flag of Montenegro (1852–1905).svg voluntários montenegrinos
voluntários sérvios
Império Otomano Império Otomano
Líderes e comandantes
Sérvia Coronel Despotović
Sérvia Ostoja Kormanoš (leste da Bósnia, 1876–78)
Flag of Montenegro (1852–1905).svg Petar Vukotić
Mićo Ljubibratić
Império Otomano Império Otomano Omar Pasha
Forças
~32.000 100.000
Vítimas
200.000 fugitivos civis pesadas perdas

A Revolta Herzegovina (em sérvio e croata: Hercegovački ustanak, em cirílico: Херцеговачки устанак) foi uma revolta liderada pelos sérvios bósnios contra o Império Otomano, primeiramente na Herzegovina (daí o seu nome) e depois na Bósnia. É a mais importante das rebeliões contra o domínio otomano na Herzegovina. A revolta foi precipitada pelo duro tratamento dos beys e aghas na província otomana da Bósnia.

As reformas anunciadas pelo sultão otomano Abdul Mejide I, envolvendo novos direitos para os súditos cristãos, uma nova base para o recrutamento do exército, e um fim ao odiado sistema de impostos agrícolas, ou eram resistidos ou ignorados pelos poderosos latifundiários bósnios. Com frequência recorrem as medidas mais repressivas contra os seus súditos cristãos. A carga tributária sobre os camponeses cristãos aumentava constantemente.[1] Mais de 200 mil cristãos fugitivos resultaram das atrocidades dos turcos e bósnios muçulmanos em 1877. [2]

Em 19 de junho de 1875, os católicos em Gabela e de Hrasno - distritos inferiores da Herzegovina - inflamados pelas sobretaxas, se rebelaram contra as autoridades otomanas, sob a liderança de Dom Ivan Music. Uma revolta ortodoxa (popularmente conhecida como Armada Nevesinje ou пушка Невесињска) teve início em 9 de julho em torno do vilarejo de Nevesinje e na Herzegovina oriental. Posteriormente, um levante geral de toda a população cristã na Bósnia e Herzegovina se seguiu. Mais de 150.000 pessoas se refugiaram na Croácia. A resposta armada otomana entrou tanto com tropas do governo no âmbito do recém-nomeado governador da Bósnia e dos latifundiários locais e as suas próprias tropas irregulares. As tentativas de reprimir a revolta não foram bem sucedidas.

Os tumultos rapidamente se espalharam entre a população cristã das outras províncias otomanas nos Bálcãs (designadamente a Revolta de Abril na Bulgária). Os rebeldes foram ajudados com armas e voluntários de Montenegro e Sérvia. As atrocidades do Império Otomano em suprimir distúrbios nas províncias dos Bálcãs finalmente levaram à Guerra russo-turca de 1877–1878, que terminou com a derrota turca, e com a assinatura do Tratado de San Stefano em março de 1878, seguido em julho do mesmo ano, pelo Tratado de Berlim, reduzindo severamente territórios otomanos e seu poder na Europa. O Congresso de Berlim deu a Montenegro e a Sérvia independência e expansão territorial, enquanto que decidiu que a Bósnia e Herzegovina, mantendo-se nominalmente sob soberania turca, seria ocupada e governada pela Áustria-Hungria.

Referências

  1. «Bosnia and Herzegovina», Encyclopædia Britannica 🔗 online ed.  .
  2. Travels in the Slavonic Provinces of Turkey-In-Europe, p. 47.