Rio Caraça

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Rio Caraça
Rio Caraça na Serra do Caraça
Nascente Pico do Inficionado, na Serra do Caraça, em Catas Altas
Altitude da nascente 1920 m
Foz Rio Conceição em Santa Bárbara
País(es)  Brasil

O rio Caraça (ou ribeirão Caraça) é um curso de água do estado de Minas Gerais, Região Sudeste do Brasil. Nasce em uma encosta do Pico do Inficionado, na Serra do Caraça, em território do município de Catas Altas, e deságua no rio Conceição próximo a Santa Bárbara.[1]

A região de sua nascente é protegida pela RPPN da Serra do Caraça, sendo marcada por cachoeiras e trilhas utilizadas para turismo, embora algumas sejam de difícil acesso em função do relevo e da mata fechada. A Cascatona, por exemplo, tem 90 m de altura. Além das cachoeiras, alguns trechos do rio também são utilizados para banhos pelos turistas.[2] No século XIX, foi construída a cerca de 200 m do leito a Igreja Nossa Senhora Mãe dos Homens, que veio a dar origem ao atual santuário religioso e ecológico.[3]

De forma geral, o rio drena a Serra do Caraça de modo que é formado um amplo vale.[4] Tem como principais formadores os córregos Cascatas e Cascatinha pela margem direita e Canjerana, da Barragem, Cascudos, Taboão e do Engenho pela margem esquerda. Ao todo cerca de 7 300 hectares de sua bacia são protegidos pela reserva do Caraça,[2] porém a jusante recebe esgoto e poluição de povoados rurais de Santa Bárbara.[5]

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) (1980). «Folha SE-23-Z-D-IV». Biblioteca IBGE. Consultado em 19 de setembro de 2019. Cópia arquivada em 19 de setembro de 2019 
  2. a b Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBio) (abril de 2013). «Plano de manejo da RPPN "Santuário do Caraça"» (PDF): 35–36; 136. Consultado em 19 de setembro de 2019. Cópia arquivada (PDF) em 19 de setembro de 2019 
  3. Patrícia Campos de Abreu (março de 2001). «Caraça: a casa dos padres e o claustro». Vitruvius. Consultado em 19 de setembro de 2019. Cópia arquivada em 19 de setembro de 2019 
  4. Barcelos, Tiago Soares (dezembro de 2014). «Valoração econômica do Santuário do Caraça em Minas Gerais/BR» (PDF). Universidade Federal de Ouro Preto (UFOP). Repositório Institucional da UFOP: 21. Consultado em 19 de setembro de 2019. Cópia arquivada (PDF) em 12 de agosto de 2017 
  5. Sete Soluções e Tecnologia Ambiental (setembro de 2018). «Relatório de Impacto Ambiental - Ampliação e Reconceituação do Sistema de Disposição de rejeitos de Córrego do Sítio II - CDSII» (PDF). AngloGold Ashanti: 45. Consultado em 19 de setembro de 2019 
Ícone de esboço Este artigo sobre hidrografia do Brasil é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.