Rio Ródano

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Disambig grey.svg Nota: "Ródano" redireciona para este artigo. Para outros significados, veja Ródano (desambiguação).
Ródano
O Ródano desaguando no lago Lemano, na Suíça, para depois continuar seu caminho até o mar Mediterrâneo.
Comprimento 812 km
Nascente Geleira Rhône, Valais, Suíça
Altitude da nascente 2.150 m
Caudal médio 1.700 m³/s
Foz Mar Mediterrâneo
Área da bacia 95.500 km²
País(es) Suíça
 França

O rio Ródano (em francês: Rhône) Com uma extensão de 821 km, ele nasce na Suíça e termina na França. Por desaguar no Mediterrâneo, esse rio é de extrema importância histórica, desde o tempo dos gregos e romanos. Servia como rota para o comércio, propagação de cultura e costumes entre muitos povos do leste, ocidente e centro europeu. A partir do século XX foram desenvolvidas obras para gerar melhorias na navegação e fornecer energia elétrica.

História[editar | editar código-fonte]

O Ródano tem sido uma importante via desde os tempos dos gregos e romanos. Foi a principal rota comercial do Mediterrâneo para o leste-central e a Gália.[1] Como tal, ajudou a transmitir as influências culturais greco-romanas para a ocidental e para as tribos celtas que viviam perto do Ródano.

Rio Ródano
O Ródano fluindo através dos vales dos Alpes suíços até chegar ao lago Lemano, na Suíça.
A geleira do Ródano perto de Obergoms, no cantão de Valais, Suíça, é a nascente do rio.
O Ródano (à esquerda) se une com o rio Arve em Genebra.
O Ródano em Genebra, Suíça.
O Ródano atravessa a cidade de Lyon, França.

A navegação era difícil, pois o rio tinha correntes, bancos de areia, inundações na primavera e início do verão, quando o gelo estava derretendo, e as secas no final do verão. Até o século XIX, os passageiros viajavam em coches d'eau, carros de água levados por homens, cavalos, ou à vela. A maioria viajava com uma cruz pintada coberta de símbolos religiosos como proteção contra os perigos da jornada.

O comércio no rio superior utilizava barques du Rhône (veleiros do Ródano) de 30 por 3,5 metros, com uma capacidade de 75 toneladas. 50 a 80 cavalos eram utilizados para transportar os comboios com 5 a 7 embarcações. Bens eram transportados em Arles em barcaças à vela de 23 metros chamadas allèges d'Arles para a descida final até o Mediterrâneo.

Atualmente, o rio Ródano serve de hidrovia que liga cidades como Arles, Avinhão, Valence, Vienne, Lyon e outras cidades à margem do rio Saône como Villefranche-sur-Saône, Mâcon e Chalon-sur-Saône, a portos de cidades como Marselha, Sète, Gênova, Barcelona, entre outras, no Mar Mediterrâneo.

Geografia[editar | editar código-fonte]

Curso[editar | editar código-fonte]

O rio Ródano têm como nascente a geleira (português brasileiro) ou glaciar (português europeu) do Ródano no cantão do Valais, nos Alpes suíços, a uma altitude de cerca de 2 150 metros.

Até Briga, na Suíça, o Ródano é uma torrente, que então se torna um grande rio de montanha correndo para sudoeste através de um vale glaciar. Entre Briga e Martigny, ele recolhe as águas na maior parte dos vales dos Alpes Peninos no sul, cujos rios se originam das geleiras dos grandes maciços de Monte Rosa, Dom e Grande Combin.

Depois de Martigny, o rio vira para noroeste e entra no lago Lemano (em francês: Lac Léman) pelo Chablais Valaisano, perto da cidade suíça do Bouveret e sai na cidade de Genebra, no chamado lago de Genebra, antes de entrar na França. A vazão média anual do lago de Lemano é 570 m³/s.

Junta-se com o rio Saône em Lyon na França, virando-se para o sul. Ao longo do vale do Ródano unem-se à sua margem direita (oeste) com os rios Eyrieux, Ardèche, Cèze e Gardon que vêm das montanhas Cévennes, e na margem esquerda com os rios Isère, Drôme, Ouvèze e Durance que vêm dos Alpes.

Em Arles, o Ródano se divide em dois braços, formando o delta Camargue, com todos os ramos que fluem para o mar Mediterrâneo. O maior braço é chamado de "Grand Rhône", e o menor "Petit Rhône". A vazão média anual em Arles é de 2.300 m³/s.

Principais afluentes[editar | editar código-fonte]

Principais cidades[editar | editar código-fonte]

Suíça:

França:

Referências

  1. Freeman, Philip. John T. Koch, ed. Celtic Culture: A Historical Encyclopedia. I. [S.l.]: ABC-CLIO. 901 páginas. ISBN 1-85109-440-7 
Ícone de esboço Este artigo sobre hidrografia em geral é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.