Rogério Cézar de Cerqueira Leite

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Rogério de Cerqueira Leite
Nome completo Rogério Cézar de Cerqueira Leite
Nascimento 14 de julho de 1931 (90 anos)
Santo Anastácio
São Paulo
Brasil
Nacionalidade brasileiro
Alma mater ITA
Ocupação engenheiro eletrônico
físico
professor

Rogério Cézar de Cerqueira Leite (Santo Anastácio,[1]14 de julho[2] de 1931[3]) é um engenheiro eletrônico e físico brasileiro.

Graduado em engenharia eletrônica pelo Instituto Tecnológico de Aeronáutica (ITA) em 1958,[4] obteve seu doutorado em Física pela Universidade de Paris (Sorbonne) em 1962. Trabalhou como pesquisador da Bell Laboratories, de 1962 até 1970. Lecionou no ITA, na Unicamp (1970-1987) e na Universidade de Paris (como professeur d'échange). Dirigiu o Instituto de Física e criou o Departamento de Física do Estado Sólido da Universidade de Campinas. Foi o primeiro no país a utilizar o laser para estudar propriedades dos materiais. Ainda na Unicamp, implantou o Departamento de Música e em seguida o Instituto de Artes, além de ter assumido a Coordenadoria Geral das Faculdades (1975-1980).[5][6]

Foi membro do grupo de trabalho de Energia da União Internacional de Física Pura e Aplicada-IUPAP. Foi membro do Conselho Nacional de Ciência e Tecnologia (CCT) e do Conselho Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (Conselhão).

Atualmente é Presidente de Honra do Conselho de Administração do CNPEM (Centro Nacional de Pesquisas em Energia e Materiais), entidade responsável pela gestão dos Laboratórios Nacionais de Luz Síncrotron (LNLS), de Biociências (LNBio), de Ciência e Tecnologia do Bioetanol (CTBE) e de Nanotecnologia (LNNano). Foi membro de vários conselhos de entidades científicas , tais como SBPC e FAPESP. É consultor de várias agências estatais, tais como a FINEP, e de organizações privadas. Voltou a ser Presidente do Conselho de Administração do CNPEM em 2015.

Criou e dirigiu por 20 anos a CODETEC, empresa que criou a primeira incubadora tecnológica do Brasil (1975-96) e desenvolveu mais de uma centena de projetos para diferentes organizações públicas e privadas.[7]

Foi idealizador do projeto e liderou o debate que culminou na criação da Companhia de Desenvolvimento do Polo de Alta Tecnologia de Campinas (Ciatec).[8] A companhia foi instalada no primeiro governo de José Roberto Magalhães Teixeira, convencido por Cerqueira Leite sobre a decisão estratégica que seria a instalação de um parque tecnológico no município.[9]

Produção científica[editar | editar código-fonte]

É autor de 80 trabalhos em revistas especializadas. Foi editor da Solid State Communications, editada em Oxford (Inglaterra), de 1974 a 1988, e revisor de cerca de 20 revistas internacionais.

Obteve cerca de 3.000 citações em revistas científicas, segundo o Science Citation Index.

Outras atividades[editar | editar código-fonte]

Foi vice-presidente executivo da Companhia Paulista de Força e Luz (1983 a 1986) durante o governo de Franco Montoro, quando a empresa era estatal. [1]

É membro do conselho editorial do jornal Folha de S.Paulo desde 1978.

Publicou mais que dois mil artigos em jornais e escreveu vários livros sobre temas como a atuação das multinacionais, o programa nuclear brasileiro, ensino superior e transferência de tecnologia.

Em 2016, publicou um artigo criticando a atuação do juiz Sergio Moro.[10]

Títulos e honrarias[editar | editar código-fonte]

  • Foi agraciado com a comenda da Ordem Nacional do Mérito da França
  • Cátedra da Universidade de Montreal, Canadá
  • Grã-Cruz da Ordem Nacional do Mérito Científico
  • Pesquisador emérito do CNPq.
  • Título Cidadão Campineiro[11]
  • Recebeu o Building Scientific Institutions Prize 2012, conferido pelo Escritório Regional para a América Latina e Caribe da Academia de Ciências para o Mundo em Desenvolvimento (TWAS, da sigla em inglês) a pesquisadores com participação ativa na constituição de instituições de pesquisa.
  • Prêmio TOP Etanol. Contribuição e valorização do setor sucro-energético brasileiro
  • Personalidade do ano. UNA Brasil.
  • Homenagem pelas inúmeras e relevantes contribuições na construção e consolidação de políticas e instituições de Ciência, Tecnologia e Inovação- MCTI

Livros publicados[editar | editar código-fonte]

  • Física do Estado Sólido
  • Pró-álcool — a Única Alternativa para o Futuro
  • As Sete Pragas da Universidade Brasileira
  • Energia para o Brasil – Um Modelo de Sobrevivência
  • Tecnologia e Desenvolvimento Nacional
  • Energia Nuclear e outras Mitologias
  • Um Roteiro para Música Clássica

Referências

  1. a b Vídeo: Depoimento de Rogério Cézar de Cerqueira Leite.. Projeto Memória Viva. CPFL.
  2. Neglected Science. Rogério Cerqueira Leite
  3. CPDOC-FGV. História da Ciência no Brasil: acervo de depoimentos, 1984, "Rogério de Cerqueira Leite", p.180
  4. Associação dos Engenheiros do ITA. Rogério Cézar de Cerqueira Leite
  5. Rogério Cerqueira Leite é homenageado com título de Cidadão Campineiro. 16 de março de 2010. Portal Unicamp.
  6. Schwartzman, Simon Um espaço para a ciência: a formaçao da comunidade científica no Brasil
  7. CODETEC – Companhia de Desenvolvimento Tecnológico. Por Rogério Cezar de Cerqueira Leite.
  8. Mariuzzo, Patrícia. «Unicamp busca fortalecer parcerias para consolidar HIDS». HIDS - Hub Internacional para o Desenvolvimento Sustentável. Consultado em 18 de dezembro de 2020 
  9. Martins, José Pedro (30 de abril de 2015). «Cerqueira Leite: Ciência e Tecnologia podem avançar com Organizações Sociais | Agência Social de Notícias». ASN - Agência Social de Notícias. Consultado em 18 de dezembro de 2020 
  10. «ROGÉRIO CEZAR DE CERQUEIRA LEITE: Desvendando Moro». Folha de S.Paulo 
  11. Assessoria de Imprensa da Câmara Municipal (19 de março de 2010). «Rogério Cerqueira Leite recebe título de Cidadão Campineiro». Câmara Municipal de Campinas. Consultado em 26 de maio de 2020 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]