Gelsinho Guerreiro

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
(Redirecionado de Rogelson Sanches Fontoura)
Ir para: navegação, pesquisa
Rogelson Sanches Fontoura
Prefeito de Mesquita Brasão de Mesquita (Rio de Janeiro).svg
Período 1 de janeiro de 2013 até 31 de dezembro de 2016
Vice-prefeito Waltinho Paixão
Antecessor(a) Artur Messias da Silveira
Sucessor(a) Jorge Miranda
Dados pessoais
Nascimento 8 de agosto de 1971 (46 anos)
Nova Iguaçu, RJ
Partido PSC (até 2016)

PRB (2016 - atual)

Rogelson Sanches Fontoura (Nova Iguaçu, 8 de agosto de 1971), também conhecido como Gelsinho Guerreiro ou ‘GG’, é um político brasileiro, foi prefeito da cidade de Mesquita, no período de 1 de janeiro de 2013 a 31 de dezembro de 2016, na Baixada Fluminense.

Desde meados da década de 1990 é casado com Daniele Guerreiro, com quem teve dois filhos: Marina e Daniel.[1]

Biografia[editar | editar código-fonte]

Carreira política[editar | editar código-fonte]

Em 2000, o ex-motorista de ônibus candidatou-se a vereador em Mesquita pela primeira vez, logo após a emancipação da cidade. Resolveu não disputar as eleições de 2004 por não considerar o melhor momento para entrar em definitivo para a política do município.

No ano de 2008, candidatou-se pela segunda vez à Câmara Municipal, concorrendo pelo Partido Social Cristão, sendo eleito como o quinto vereador mais votado da cidade, com 2.272 votos.[1]

Na disputa pela Prefeitura de Mesquita na eleição de 2012, derrotou Farid Abrão David, do PDT, e o vereador Taffarel, do PT, sendo eleito com 41.608, totalizando 42,49% dos votos válidos.[2]

Dois anos depois, sua mulher foi eleita deputada estadual para a legislatura 2015–2019.[3] Logo após a eleição desta, o prefeito sofreu um atentado próximo a sua casa, no bairro Califórnia, em Nova Iguaçu.[4] Gelsinho apontou o filho de seu vice-prefeito, Renato Paixão, como autor do crime.[5]

O governo de Gelsinho tem sido marcado pela constantes trocas de secretários.[6] A Associação de Procuradores Municipais de Mesquita lançou nota contra o que considera "atos normativos intimidatórios, arbitrários e ilegais[...]tendentes a controlar, fiscalizar e disciplinar a carreira dos Procuradores do Município de Mesquita".[7] De seu governo, faz parte o PC do B.[8]

Em 2016, Gelsinho se desfiliou do PSC, filiando-se ao PRB para concorrer à reeleição à Prefeitura de Mesquita[9], mas acabou perdendo para o estreante Jorge Miranda, do PSDB. Miranda recebeu 46.322 votos, equivalente a 49,91% dos votos válidos e Gelsinho recebeu 40.865 votos, totalizando 44,03%.[10]

Controversias[editar | editar código-fonte]

No dia 04 de outubro de 2016, após descobrir que havia perdido as eleições, Gelsinho exonerou todos os servidores municipais ocupantes de cargos em comissão, exceto secretários e subsecretários[11].

Ainda após a eleição o prefeito deixou a prefeitura. O guarda municipal responsável pela segurança de seu gabinete informou que o prefeito não aparecia desde outubro. Por conta disso e da exoneração dos secretários municipais, devido ao não pagamento dos servidores e terceirizados a coleta de lixo e demais serviços foram paralisados.[12][13]

Referências

  1. a b Prefeitura de Mesquita. «Rogelson Sanches Fontoura». Consultado em 17 de janeiro de 2016 
  2. www.oreporter.com. «Gelsinho Guerreiro é eleito prefeito de Mesquita». Consultado em 17 de janeiro de 2016 
  3. Extra. «Daniele Guerreiro finalmente recebe diploma de deputada estadual». Consultado em 17 de janeiro de 2016 
  4. Revista Veja. «Carro do prefeito de Mesquita é atacado em Nova Iguaçu». Consultado em 17 de janeiro de 2016 
  5. Extra (11 de dezembro de 2014). «Acusado de atentado, Renato Paixão afirma que prefeito Gelsinho Guerreiro mudou o depoimento». Consultado em 17 de janeiro de 2016 
  6. O Dia. «Ex-aliados se voltam contra Gelsinho». Consultado em 17 de janeiro de 2016 
  7. www.oreporter.com. «Procuradores repudiam atitudes de Gelsinho Guerreiro». Consultado em 17 de janeiro de 2016 
  8. vermelho.org.br (22 de janeiro de 2015). «Mesquita debate estruturação, projeto político e eleições 2016». Consultado em 17 de janeiro de 2016 
  9. «Gelsinho Guerreiro se filia ao PRB e tem pré-candidatura à reeleição de prefeito em Mesquita confirmada - PRB 10 RJ». 18 de março de 2016. Consultado em 4 de outubro de 2016 
  10. «Estreante, Jorge Miranda é o novo prefeito de Mesquita, RJ». 3 de outubro de 2016. Consultado em 4 de outubro de 2016 
  11. «4 « outubro « 2016 «  Prefeitura Municipal de Mesquita». www.mesquita.rj.gov.br. Consultado em 4 de outubro de 2016 
  12. «Prefeito de Mesquita (RJ) some da cidade após não se reeleger». Jornal Hoje. 27 de dezembro de 2016 
  13. «Prefeito de Mesquita, RJ, não é encontrado na cidade, dizem moradores». G1 


Precedido por
Artur Messias da Silveira
Prefeito de Mesquita
2013 — 2016
Sucedido por
Jorge Miranda