Rouxinol-pequeno-dos-caniços

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Como ler uma infocaixa de taxonomiaRouxinol-pequeno-dos-caniços
Carricerocomun.jpg
Estado de conservação
Quase ameaçada
Quase ameaçada [1]
Classificação científica
Reino: Animalia
Filo: Chordata
Classe: Aves
Ordem: Passeriformes
Família: Acrocephalidae
Género: Acrocephalus
Espécie: A. scirpaceus
Nome binomial
Acrocephalus scirpaceus
(Hermann, 1804)
Acrocephalus scirpaceus - MHNT
Acrocephalus arundinaceus MHNT
Ovo de cuco (Cuculus canorus canorus) em cotejo com ovos de rouxinol-das-caniças (Acrocephalus scirpaceus) - MHNT

O rouxinol-pequeno-dos-caniços (Acrocephalus scirpaceus) é uma ave da família Acrocephalidae.[2] Enquanto ave passeriforme, da família das felosas, caracteriza-se pela plumagem acastanhada e pelo bico estreito e afilado.[1] [2]

Frequenta junqueiras e caniçais, construindo um ninho suspenso entre os talos das canas. É uma ave migradora, que passa o Inverno em África.[3]

Nomes comuns[editar | editar código-fonte]

Dá pelos nomes comuns de felosa[4], rouxinol-pequeno-das-caniças[5], chiadeira[6] e rouxinol-das-caniças[7].

Etimologia[editar | editar código-fonte]

Do que toca às denominações alusivas ao rouxinol - substantivo que vem étimo latino lusciniŏlu e que significa «aquele que canta ao crepúsculo», provêm exactamente do facto desta ave cantar só de noite.[8]

Quanto ao nome felosa (também grafado folosa[9] e flosa[10]), partilha-o com as espécies da família dos silvídeos e com a phylloscopus collybita. Tem uma etimologia incerta, que poderá advir do étimo «fole», em alusão ao seu trinado.[11]

Do que toca ao nome científico, o género Acrocephalus avém do grego antigo akros, "o mais alto" e kephale, "cabeça". Conjectura-se que Johann Andreas Naumann e Johann Friedrich Naumann tenham usado o étimo akros para significar «pontiagudo». A espécie scirpaceus provém do latim e significa «caniço».[12]

O nome científico antigo desta espécie foi Acrocephalus streperus (Vieill.).[13] Sendo que o substantivo streperus vem do étimo latino strepe, que significa «estrepitoso, barulhento».[14]

Descrição[editar | editar código-fonte]

O rouxinol-das-caniças tem uma aparência pouco distintiva, caracterizando-se por não exibir sem quaisquer elementos peculiares de diferenciação. A sua plumagem é integralmente castanha, exibindo um peito e garganta alvadia.[2] Conta com um bico afilado e forte, à guisa de outras aves passeriformes insectívoras. Têm uma testa baixa. Tem um trinado muito emblemático, que ajuda a identificar a espécie, pautado por sequências assaz variegadas de notas repetidas.[3]

São aves de tamanho mediano. Medem entre 12,5 a 14 cm de comprimento e têm uma envergadura de asas que vai dos 17 aos 21 cm. Pesam entre 10 e 15 gramas.[15] Os dois sexos são muito semelhantes, de sorte que não se verifica notável dimorfismo sexual. Podem viver até aos 12 anos e atingem velocidades de voo de 10 metros por segundo.[16]

Distribuição geográfica[editar | editar código-fonte]

Distribui-se pela maior parte da Europa e nas zonas temperadas do oeste asiático. São aves migratórias, que passam o inverno na África subsaariana. Nas partes centrais de Europa estão presentes de Abril a Outubro. [15]

Portugal[editar | editar código-fonte]

O rouxinol-das-caniças é tido como uma espécie comum a todo o país, repartindo-se irregularmente de Norte a Sul de Portugal. Como o nome sugere, ocupa caniçais das mais variadas extensões, fazendo o ninho suspenso entre os caniços.[3] Enquanto ave migratória, chega a Portugal em Março, um mês mais cedo do que a outras partes da Europa.[2] Os melhores habitats em que se pode encontrar esta ave, são as caniçadas e junqueiras húmidas, situadas nas zonas ribeirinhas, à beira-mar ou em paludes.[3]

Dieta[editar | editar código-fonte]

Trata-se duma espécie insectívora, que se alimenta esgravatando e pinchando por entre a vegetação. As suas presas principais são aranhas, invertebrados, larvas e pequenos moluscos. Também se pode alimentar, ocasionalmente, de pequenas bagas.[15]

Reprodução[editar | editar código-fonte]

Atingem a maturidade ao fim de um ano.[15] A época de acasalamento concentra-se entre Maio e Julho. Urdem o ninho com ervas e caniços, pendurado sobre a água entre entre os talos de três ou quatro canas ou juncos. Põem 3 a 4 ovos, que os dois pais se revezam a chocar durante 11 a 14 dias. Os pintos passam 10 a 14 dias no ninho. Chega a ter até duas ou três ninhadas por ano. Os seus ninhos são amiúde parasitados pelos cucos, que põem ovos de cores semelhantes.[16]

Referências

  1. a b BirdLife International (2019). Acrocephalus scirpaceus (em inglês). IUCN 2019. Lista Vermelha de Espécies Ameaçadas da IUCN de 2019 Versão e.T22714722A155436305. doi:10.2305/IUCN.UK.2019-3.RLTS.T22714722A155436305.en Página visitada em 28 de outubro de 2021.
  2. a b c d «Página de Espécie • Naturdata - Biodiversidade em Portugal». Naturdata - Biodiversidade em Portugal. Consultado em 16 de abril de 2021 
  3. a b c d «Rouxinol-pequeno-dos-caniços (Acrocephalus scirpaceus)». www.avesdeportugal.info. Consultado em 16 de abril de 2021 
  4. Infopédia. «felosa | Definição ou significado de felosa no Dicionário Infopédia da Língua Portuguesa». Infopédia - Dicionários Porto Editora. Consultado em 16 de abril de 2021 
  5. Infopédia. «rouxinol-pequeno-das-caniças | Definição ou significado de rouxinol-pequeno-das-caniças no Dicionário Infopédia da Língua Portuguesa». Infopédia - Dicionários Porto Editora. Consultado em 16 de abril de 2021 
  6. Infopédia. «chiadeira | Definição ou significado de chiadeira no Dicionário Infopédia da Língua Portuguesa». Infopédia - Dicionários Porto Editora. Consultado em 16 de abril de 2021 
  7. Infopédia. «rouxinol-das-caniças | Definição ou significado de rouxinol-das-caniças no Dicionário Infopédia da Língua Portuguesa». Infopédia - Dicionários Porto Editora. Consultado em 16 de abril de 2021 
  8. Infopédia. «rouxinol | Definição ou significado de rouxinol no Dicionário Infopédia da Língua Portuguesa». Infopédia - Dicionários Porto Editora. Consultado em 16 de abril de 2021 
  9. Infopédia. «folosa | Definição ou significado de folosa no Dicionário Infopédia da Língua Portuguesa». Infopédia - Dicionários Porto Editora. Consultado em 12 de maio de 2021 
  10. Infopédia. «flosa | Definição ou significado de flosa no Dicionário Infopédia da Língua Portuguesa». Infopédia - Dicionários Porto Editora. Consultado em 12 de maio de 2021 
  11. «Dicionário Online - Dicionário Caldas Aulete - Significado de folosa». aulete.com.br. Consultado em 12 de maio de 2021 
  12. Jobling, James A (2010). The Helm Dictionary of Scientific Bird Names. London: Christopher Helm. pp. 30, 350. ISBN 978-1-4081-2501-4 
  13. For instance in Naumann, Johann Friedrich (1897). Naturgeschichte der Vögel Mitteleuropas. 2. [S.l.: s.n.] OCLC 603365339 ; see also: 12 px Commons logo image on Wikimedia Commons.
  14. «ONLINE LATIN DICTIONARY - Latin - English». www.online-latin-dictionary.com. Consultado em 17 de abril de 2021 
  15. a b c d Bauer, Hans-Günther (2005). Das Kompendium der Vögel Mitteleuropas: Alles über Biologie, Gefährdung und Schutz. Band 2: Passeriformes – Sperlingsvögel. Wiesbaden: Aula-Verlag Wiebelsheim. ISBN 3-89104-648-0 
  16. a b BirdLife International (2014). «Acrocephalus scirpaceus». Lista Vermelha da IUCN de espécies ameaçadas da UICN 2014.2 (em inglês). ISSN 2307-8235. Consultado em 28 de Agosto de 2014 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Commons
O Commons possui imagens e outros ficheiros sobre Rouxinol-pequeno-dos-caniços
Ícone de esboço Este artigo sobre aves passeriformes é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.