Rumah adat

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Casas em uma aldeia Torajan.

Rumah adat são casas tradicionais construídas em qualquer um dos estilos de arquitetura vernacular da Indonésia. As casas tradicionais e assentamentos das várias centenas de grupos étnicos da Indonésia são extremamente variados e todos têm sua própria história específica.[1]

Grupos étnicos na Indonésia são frequentemente associados com sua própria forma distinta de rumah adat.[2] As casas estão no centro de uma rede de costumes, relações sociais, leis tradicionais, mitos e religiões que unem os aldeões. A casa fornece o foco principal para a família e sua comunidade, e é o ponto de partida para muitas atividades de seus moradores.[3] Os aldeões constroem suas próprias casas, ou uma comunidade agrupa seus recursos para uma estrutura construída sob a direção de um mestre construtor ou carpinteiro.[2] A grande maioria dos indonésios já não vive em rumah adat, e os números diminuíram rapidamente devido a mudanças econômicas, tecnológicas e sociais.

Forma geral[editar | editar código-fonte]

Com poucas exceções, os povos do arquipélago indonésio compartilham uma ancestralidade austronésia comum (originária de Taiwan, cerca de 6.000 anos atrás) ou da Sondalândia, uma área submersa no sudeste asiático, e as casas tradicionais da Indonésia compartilham uma série de características como o uso da madeira na construção, estruturas de telhado variadas e elaboradas.[4]

Materiais naturais — madeira, bambu, palha e fibra — compõem o adat. A madeira dura é geralmente usada para estacas e uma combinação de madeira macia e dura é usada para as paredes superiores sem carga da casa, e são geralmente feitas de madeira mais clara ou palha.[5] A construção de casas a partir do solo em palafitas tem uma série de propósitos: permite que as brisas moderem as temperaturas tropicais quentes; eleva a habitação acima do escoamento de águas pluviais e da lama; permite que as casas sejam construídas em rios e margens de zonas úmidas; mantém as pessoas, bens e alimentos longe da umidade; levanta os alojamentos acima dos mosquitos que transmitem malária; e reduz o risco de podridão seca e de cupins.[6] O telhado inclinado permite que a água que vem da forte chuva tropical seja removida rapidamente, e grandes beirais suspensos mantêm a água fora de casa e proporcionam uma sombra no calor.[7]

Referências

  1. Reimar Schefold; P. Nas; Gaudenz Domenig, eds. (2004). Indonesian Houses: Tradition and Transformation in Vernacular Architecture. NUS Press. ISBN 9789971692926.
  2. a b Dawson (1994), p. 10
  3. Dawson (1994), p. 8
  4. The Oxford Companion to Architecture, Volume 1, p. 462.
  5. Dawson (1994), p. 12
  6. Dawson (1994), pp. 10-11
  7. Dawson (1994), p. 11

Bibliografia[editar | editar código-fonte]

  • Dawson, B., Gillow, J., The Traditional Architecture of Indonesia, 1994 Thames and Hudson Ltd, London, ISBN 0-500-34132-X.