Salreu

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
 Portugal Salreu  
—  Freguesia  —
Salreu está localizado em: Portugal Continental
Salreu
Localização de Salreu em Portugal
Coordenadas 40° 44' 14" N 8° 33' 39" O
País  Portugal
Concelho ETR.png Estarreja
Administração
 - Tipo Junta de freguesia
 - Presidente Manuel Augusto Rodrigues de Almeida (PS)
Área
 - Total 16,54 km²
População (2011)
 - Total 3 815
    • Densidade 230,7 hab./km²
Orago São Martinho
Sítio http://www.jf-salreu.pt
Freguesia de Salreu

Salreu é uma freguesia portuguesa do concelho de Estarreja, distrito e diocese de Aveiro, com 16,54 km² de área e 3 815 habitantes (2011). A sua densidade populacional é de 230,7 hab/km².

Dista 2 km da sede do concelho e está situada na região lagunar da Ria de Aveiro, entre o Rio Antuã e o Rio Vouga.

A 19 de Dezembro de 2004 a Assembleia da República aprovou a elevação de Salreu à categoria de Vila, conjuntamente com Pardilhó, e no mesmo dia em que Estarreja subiu ao estatuto de cidade.[1]

A decisão foi promulgada a 7 de Janeiro de 2005, pelo Presidente da República, Dr. Jorge Sampaio e referendada a 13 de Janeiro de 2005 pelo Primeiro Ministro, Pedro Miguel de Santana Lopes.

É servida pela EN 109 e pela linha do Norte dos Caminhos de Ferro, sendo limitada pelo concelho de Albergaria-a-Velha. Salreu também tem um nó de ligação com a A29.

História[editar | editar código-fonte]

Salreu é uma povoação antiga que fica na área do antigo couto de Antuã e que, segundo alguns estudiosos, a área geográfica deste tem alicerçada a sua existência em épocas anteriores à ocupação romana.

A primeira igreja edificada na freguesia de Salreu remonta ao século XII (Fevereiro de 1106) quando os herdeiros da vila rústica de Salreu, Gonçalo Soares, Mendo Obesiz, um outro Gonçalo Soares e Eros Soares, confirmaram e reintegraram o terreno anexo e em redor da igreja para adro e habitação do clérigo aí residente. "Confirmato et integntas passalium de ecclesia sancti Martini Sarleo". Esta carta de reintegração permite-nos concluir que anteriormente a esta data se havia convertido numa freguesia à volta da sua igreja, sob a invocação de São Martinho, fundada e dotada pelos seus fundadores. Tratava-se de uma igreja num nível mais baixo, próximo das águas.

A existência de salinas nesta freguesia é referida num documento do século XIV - contrato entre a Abadessa do Convento de Arouca e Domingos Afonso e Martim Domingues, pelo qual se obrigaram a dar ao Mosteiro "metade do sal que Deos nela der". O sal "era indispensável para a salga do peixe e para a conserva da carne, que foi a primeiro riqueza que nos tempos históricos Portugal exportou em grandes quantidades". Actualmente, e porque esta freguesia se encontra na região lagunar da ria de Aveiro, entre o Rio Antuã e o Rio Vouga, nas zonas mais baixas cultiva-se arroz, que é defendido das águas salobres por taludes de areia.

População[editar | editar código-fonte]

População da freguesia de Salreu (1864 – 2011) [2]
1864 1878 1890 1900 1911 1920 1930 1940 1950 1960 1970 1981 1991 2001 2011
3.090 3.312 3.744 3.920 4.256 3.707 5.091 4.898 4.903 4.741 4.291 4.213 4.157 4.153 3.815

Evolução da População Entre 1864 e 2011[editar | editar código-fonte]

Evolução da  População  1864 / 2011 Variação da População  1864 / 2011 Variação da População  1864 / 2011

Toponímia[editar | editar código-fonte]

Salreu deriva, de acordo com a opinião do Comandante Rocha e Cunha, de "Sal a reu" isto, é sal com fartura. Noutras épocas, com a diferente configuração da Ria de Aveiro, teriam existido salinas nesta região que, pela sua importância económica, fizeram surgir o núcleo populacional de Salreu.

Património[editar | editar código-fonte]

  • Casa de Francisco Maria de Oliveira Simões
  • Escola das Laceiras
  • Igreja Matriz de Salreu
  • Hospital Distrital Visconde de Salreu
  • Porta setecentista no lugar da Senhora do Monte
  • Caplas de São Sebastião, de Santa Cristina, da Senhora da Conceição, de Santo António e de Nossa Senhora das Dores
  • Casas Grande e do Couto
  • Pedra de armas dos Cunhas
  • Ruínas da casa de Antuã
  • Portal brasonado da casa do bispo de Cochim
  • Bustos do visconde de Salreu junto à igreja e em frente dos hospital
  • Casa arte nova
  • Ruínas do solar dos Bretiandos
  • Plátano em frente à igreja
  • Hospital
  • Casa do Mato
  • Núcleo de moinhos de água de Salreu

Festas e romarias[editar | editar código-fonte]

Colectividades[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. Era presidente da Assembleia da República João Bosco Mota Amaral. Era presidente da Junta de Freguesia Joaquim Henriques, e presidente da Câmara Municipal José Eduardo de Matos.
  2. [Instituto Nacional de Estatística (Recenseamentos Gerais da População) - https://www.ine.pt/xportal/xmain?xpid=INE&xpgid=ine_publicacoes ]

Links associados[editar | editar código-fonte]


Ícone de esboço Este artigo sobre freguesias portuguesas é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.