Savina Petrilli

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Question book.svg
Esta página ou secção não cita fontes confiáveis e independentes, o que compromete sua credibilidade (desde setembro de 2014). Por favor, adicione referências e insira-as corretamente no texto ou no rodapé. Conteúdo sem fontes poderá ser removido.
Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)

Sabina Petrilli ou Savina Petrilli (Siena em 29 de agosto de 185118 de abril de 1923) foi uma beata católica italiana que fundou, no seu país, a Congregação das Irmãs dos Pobres de Santa Catarina de Siena, que hoje está em funções em diferentes países e continentes.

Segunda filha de Celso e Matilde Venturini, aos 15 anos inscreve-se na Congregação das Filhas de Maria e pouco depois é eleita sua presidente.

Em 1869 foi recebida pelo Papa Pio IX, que a exortou a seguir a norma de Santa Catarina de Siena.

Em 15 de agosto de 1873, com outras cinco companheiras, ela toma os votos de castidade, obediência e pobreza, na presença do confessor e com a aprovação do Mons. Enrico Bindi, que lhe concede licença para iniciar a sua obra de auxílio aos pobres.

Em 1881 iniciou a fundação de um convento em Viterbo e em 1903 a primeira missão em Belém (Brasil), no Brasil.

A Constituição da Congregação, já enviada ao pontífice, foi aprovada em 17 de junho de 1906.

Sucessivamente Madre Savina toma o voto de “não negar voluntariamente ao Senhor”, o voto de “perfeita obediência” e ao Diretor Espiritual o voto de “não lamentar-se deliberadamente de nenhum sofrimento externo e interno”e o voto de “completo abandono ao vontade do Senhor”.

A Congregação opera em Itália, no Brasil, na Argentina, nos Estados Unidos, nas Filipinas e no Paraguai.

O Papa João Paulo II proclamou-a beata em 24 de abril de 1988, na Praça de São Pedro (Roma).

Sua festa é celebrada no dia 18 de abril.

Ligações externas[editar | editar código-fonte]