Sderot

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Sderot
Coat of arms of Sderot.png
Brasão de armas de Sderot
Hebraico שְׂדֵרוֹת
Árabe سديروت
Significado Boulevards
Fundada em 1953
Governo Cidade
Distrito Sul
Coordenadas 31° 31′ N 34° 35′ E
População 19.300 (2007)
Jurisdição 4.472 dunams (4,472 km²)
Prefeito David Buskila

Sderot (hebraico שׂדרות, significado: "boulevard", árabe سديروت) é uma cidade israelense, localizada no distrito Sul, perto da Faixa de Gaza. Foi declarada como cidade em 1996. Segundo o Escritório Central de Estatísticas de Israel, a população de Sderot, no fim de 2006 era de 19.300.[1]

Sua proximidade com a Faixa de Gaza (situada a menos de 2.5km) faz com que Sderot seja um alvo fácil de foguetes Qassam, lançados do território palestino desde o início da Segunda Intifada. [2]

Sderot é uma das cidades mais pobres de população judia no país[carece de fontes?]. Somente 3 de 10 alunos conseguem o diploma do ginásio[carece de fontes?].

História[editar | editar código-fonte]

Os primeiros habitantes de Sderot chegaram em 1951 ao acampamento de trânsito (ma'abara) de Gevim-Dorot, parcialmente situado em terras do antigo vilarejo árabe de Najd. O vilarejo havia sido destruído como parte do plano D (em hebraico, Daleth) da Haganah e a população expulsa refugiou-se na Faixa de Gaza, no contexto do êxodo palestino ligado à guerra civil no Mandato da Palestina e à primeira guerra israelo-árabe, que se seguiram à criação do Estado de Israel.[3] .

Os novos residentes da área eram, em maior parte, refugiados judeus curdos e iranianos, que, por vários anos, permaneceram acampados em barracas. As primeiras casas só foram construídas em 1954.

Ao longo da década de 1950, Sderot recebeu também numerosos imigrantes originários do Marrocos e da Romênia. Era a mais ocidental das chamadas "cidades de desenvolvimento" do norte do deserto de Negev. Para essas cidades, implantadas no meio do nada e sem real perspectiva de desenvolvimento econômico, foram enviados os imigrantes judeus mais pobres, vindos do Marrocos [4] e depois, da URSS e da Etiópia. Nos fim dos anos 1990 essas cidades detinham apenas 17% da população de Israel mas respondiam por 40% dos desempregados do país%. Enquanto a taxa de desemprego do país era de aproximadamente 9%, nas "cidades de desenvolvimento" chegava a ser o dobro. [5] . Ainda hoje, essas cidades apresentam uma taxa de desemprego bem superior à média nacional, e centenas de famílias ali vivem abaixo do limiar de pobreza [6] [7]

Sderot obteve o estatuto de conselho local em 1958. À época do censo de 1961, 87% dos imigrantes provinham da África do Norte (principalmente do Marrocos) enquanto que 11% eram originários do Curdistão.[8]

Na década de 1990, Sderot recebeu também um grande contingente oriundo da ex-URSS e sua população dobrou. Em 1996, obteve o estatuto de cidade.

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências[editar | editar código-fonte]

  1. "Population of Localities Numbering Above 1,000 Residents and Other Rural Population" (PDF). Israel Central Bureau of Statistics. 30 de junho de 2008. 
  2. 23 Years and 6,311 Rockets, 7 de dezembro de 2008.
  3. Ilan Pappé, Le nettoyage ethnique de la Palestine, p.195.
  4. Shlomo Elbaz (24 de fevereiro de 1999). "Les Maghrébins en Israël : identité, culture, intégration". .
  5. (em inglês) Andrew Humphreys, Neil Tilbury ; colab. : Andrew Humphreys, Neil Tilbury. Israel & the Palestinian Territories, 3rd, illustrated, revised, Lonely Planet Publications, 1998, ISBN 9780864423993.
  6. Fonte : AUJF .
  7. Israel: report highlights deteriorating social conditions. Por Jean Shaoul. 11 de janeiro de 2001.
  8. Meron Rapoport: Os pioneiros de Sderot, Haaretz, 31 de Maio de 2007. (em inglês)
O mapa mostra quão próxima Sderot está da Faixa de Gaza
Ícone de esboço Este artigo sobre Geografia de Israel é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.