Seminário Maior da Sagrada Família

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Seminário Maior da Sagrada Família
Nomes alternativos Seminário Maior de Coimbra
Arquiteto Giovani Tamossi
Giacomo Azzollini
Início da construção 16 de julho de 1748
Inauguração 28 de outubro de 1765
Prémios Monumento Nacional 22 de abril 2021
Função inicial religiosa
Website http://www.seminariomaiordecoimbra.com/
Património Nacional
DGPC 21099845
SIPA 16406
Geografia
País Portugal Portugal
Cidade Coimbra
Coordenadas 40° 12' 10.79" N 8° 25' 14.3" O

O Seminário Maior da Sagrada Família é um edifício religioso situado na cidade de Coimbra, Portugal.[1] Monumento Nacional desde 22 de abril de 2021.

História[editar | editar código-fonte]

O edifício foi construído inicialmente a 16 de junho de 1748, por pedido de D. Miguel da Anunciação, bispo de Coimbra e 16.º conde de Arganil, tendo sido projetado pelos arquitetos italianos Giovani Tamossi e Giacomo Azzollini. A sua inauguração ocorreu a 28 de outubro de 1765.[2]

Vista aérea

Biblioteca[editar | editar código-fonte]

A Biblioteca Velha do Seminário Maior de Coimbra encontra-se instalada numa das salas do piso térreo e contém uma colecção de cerca de 9 000 livros, considerados de elevado valor histórico e patrimonial, nomeadamente impressos entre o início do século XVI e o ano de 1800.

Esta biblioteca começou a ser formada com a doação da biblioteca particular do Bispo-Conde D. Miguel da Anunciação, fundador do Seminário e o acervo foi depois sendo aumentado com a entrada regular de diversas obras, por compra e por doação.

O Seminário teve a preocupação de constituir uma Biblioteca que respondesse às necessidades de todos os estudantes ali alojados: aqueles que se destinavam à vida eclesiástica (Ordinandos) mas também os que se destinavam à vida civil (Porcionistas)”.

O Decreto de extinção das ordens religiosas (publicado a 30 de Maio de 1834) atingiu os Colégios universitários de Coimbra e está na origem da dispersão das suas ricas bibliotecas, tendo-se preservado duas: a do Colégio Real de São Pedro (que hoje se guarda na Biblioteca Geral da Universidade) e a Biblioteca Velha do Seminário Maior.

A Biblioteca Velha tem como principais características o ser seleccionada (foi constituída e mantida de forma criteriosa, ao longo de três séculos); específica (servindo de apoio a um universo bem identificado de professores e estudantes); e mantém-se íntegra (resistiu não apenas aos efeitos do Decreto de 1834 mas também ao processo de secularização dos bens da Igreja, que se seguiu à implantação da República, em 1910).

Com obras em Latim, Português, Castelhano e Francês, as principais áreas temáticas da Biblioteca Velha do Seminário Maior de Coimbra são Teologia, Direito (Canónico e Civil), Sagrada Escritura, Humanidades e História[3].

Referências

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Ícone de esboço Este(a) artigo sobre capela, igreja ou catedral é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.