Slide guitar

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
NoFonti.svg
Esta página ou secção cita fontes confiáveis e independentes, mas que não cobrem todo o conteúdo (desde janeiro de 2014). Por favor, adicione mais referências e insira-as corretamente no texto ou no rodapé. Material sem fontes poderá ser removido.
Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)
Técnica utilizando um gargalo de garrafa.

Slide guitar, ou Bottleneck guitar[1] , é uma forma de tocar guitarra, em que se utiliza no dedo médio, anular, mínimo ou indicador (este último menos comum), um pequeno tubo oco cilíndrico, feito de metal, vidro ou cerâmica. Com o objetivo de alterar o tom em que se toca, deslizando esse tubo pelas cordas da guitarra. Este método, introduzido inicialmente na música do Havaí, passou a ser utilizado nos blues (Blues rock) e no country.[2]

Alguns músicos que utilizam esta técnica: John Butler, Johnny Winter,[2] Ry Cooder,[2] Brian Jones que popularizou essa técnica na inglaterra, George Harrison, Elmore James (considerado o Rei da Slide Guitar),[2] Johnny Shines, Muddy Waters[2] ou Joe Walsh. Há também Duane Allman[2] dos Allman Brothers Band, que costumava usar vidros de remédio no dedo 3 ( anular) para a prática e Mark Sandman, vocalista e baixista do Morphine, que inovou usando slide em seu contrabaixo. O guitarrista Gary Rossington, fundador e único integrante original da banda Lynyrd Skynyrd utiliza este método até hoje em Free Bird, slide incontestável e um dos solos mais lindos e demorados da história do Rock.

[:en:Sonny Landreth|Sonny Landreth]],[2] [[en:Bob Brozman|Bob Brozman], Roy Rogers e Derek Trucks incorporaram novas técnicas no slide guitar, agregando um maior conhecimento didático.

História[editar | editar código-fonte]

A técnica de usar um slide em uma corda foi originalmente idealizada para instrumentos de cordas, com influência direta dos Africanos que usava um arco de diddley[3]

Diddley bow Arco de Diddley, instrumento de origem africana.

A técnica tornou-se popular por artistas de blues afro-americanos. O primeiro músico a ser gravado usando o estilo era Sylvester Weaver[4] que gravou duas peças solo "Guitar Blues" e "Guitar Rag", em 1923. Alguns dos artistas de blues no sul dos Estados Unidos, que mais usaram o slide, incluem o cantor gospel Willie Johnson, Blind Willie McTell, Son House, Robert Johnson (Rei do blues do delta) e.

Lap Steel slide de colo

Mais recentemente o estilo slide colo (lap steel) renasceu através de artistas como Ben Harper, Sean Kirkwood e Xavier Rudd - ambos tocadores de Weissenborns, antigo instrumento do começo do século 20, hoje com variações modernas, co-projetado modelo de assinatura Asher, este último usando reproduções modernas de weissenborn.[5]

Brasil[editar | editar código-fonte]

Mesmo sendo as matrizes africanas, que mais contribuíram para moldar a música Brasileira e deram origem a instrumentos como o berimbau, não há relatos na história do uso de arco diddleyref>http://www.onestringwillie.com/id2.html</ref> com slide no Brasil. Os primeiros experimentos foi por volta dos anos 60, mas só a partir dos anos 70 e 80 é que registraram seu uso em disco. Alguns dos guitarristas de slide são; Lulu Santos com seu uso refinado do slide no Pop , Otávio Rocha (Blues Etílicos), Ricardo Vignini, precursor do uso do slide na viola, Tuco Marcondes(Zeca Baleiro), Marcelo Vera (Cracker Blues), Marcus Rampazzo (Beatles 4Ever), Big Gilson (Big Allanbik), André Christovam, Tony Bellotto, e Marcos Ottaviano.

Técnica[editar | editar código-fonte]

Utilize os dedos de trás do slide para abafar ruídos indesejáveis.

Para executar esta técnica,[6] a guitarra pode ser tocada posicionada na forma habitual, em que o guitarrista tem o tubo colocado num dos seus dedos; ou deitada, com a zona das cordas para cima, em que o guitarrista utiliza o tubo com a mão.

Referências