Swing (jazz)

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
(Redirecionado de Swing (Jazz))
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Searchtool.svg
Esta página ou secção foi marcada para revisão, devido a inconsistências e/ou dados de confiabilidade duvidosa. Se tem algum conhecimento sobre o tema, por favor verifique e melhore a consistência e o rigor deste artigo. Pode encontrar ajuda no WikiProjeto Jazz.
Se existir um WikiProjeto mais adequado, por favor corrija esta predefinição. Este artigo está para revisão desde abril de 2010.
Swing
Origens estilísticas Jazz da década de 1920, Big Band
Contexto cultural 1930s EUA
Instrumentos típicos clarinete, saxofone, trompete, trombone, piano, Contrabaixo, bateria), teclado, guitarras elétricas, guitarras acústicas
Popularidade 1930s, 1940s, 1950s
Formas derivadas Jump blues
Subgêneros
Swing revival
Gêneros de fusão
Electro swing
Formas regionais
Western swing

O Swing é um estilo de jazz desenvolvido nos Estados Unidos que dominou nos anos 1930 e 1940. O nome swing veio do 'swing feel', onde a ênfase está no pulso fora da batida ou mais fraco da música. Bandas de swing geralmente apresentavam solistas que improvisavam na melodia sobre o arranjo. O estilo de swing dançante de Big Bands e bandleaders como Benny Goodman foi a forma dominante de música popular americana de 1935 a 1946, um período conhecido como "A era do swing". O verbo "swing" também é usado como um termo de elogio para tocar que tem um forte groove[1] ou drive. Os ​​músicos notáveis da era do swing incluem Louis Armstrong, Louis Prima, Larry Clinton, Duke Ellington, Count Basie, Benny Goodman, Artie Shaw, Glenn Miller, Woody Herman, Tommy Dorsey, Jimmy Dorsey, Harry James, Louis Jordan e Cab Calloway.

Swing tem raízes na década de 1920, à medida que conjuntos de música de dança maiores começaram a usar novos estilos de arranjos escritos incorporando inovações rítmicas introduzidas por Louis Armstrong e Earl Hines. O Swing começou a declinar em popularidade durante a Segunda Guerra Mundial por causa de vários fatores. Swing influenciou os estilos posteriores da música pop, jump blues e bebop. A música Swing viu um renascimento no final dos anos 1950 e 1960 com as orquestras ressurgentes de Count Basie e Duke Ellington, e com vocalistas de pop tradicional como Frank Sinatra e Nat King Cole.

O swing usa instrumentos regulares no jazz, como uma seção rítmica formada por piano, contrabaixo e bateria; metais como trompetes e trombones; madeiras, como saxofones e clarinetes; e muito ocasionalmente, instrumentos de cordas como violino ou violão. O swing preferencialmente usa andamentos médios e rápidos, generaliza os riffs melódicos e libera o papel do baterista de certas restrições que tinha até então. O conjunto característico do estilo foi a Big Band, adquirindo também cada vez mais importância o papel do solista.


Swing misturado com outros gêneros para criar novos estilos musicais. Na música country, artistas como Jimmie Rodgers, Moon Mullican e Bob Wills introduziram muitos elementos do swing junto com o blues para criar um gênero chamado western swing. O Gypsy swing é uma conseqüência do swing de violino jazz de Venuti e Lang. Revivals do swing ocorreram periodicamente a partir do final da década de 1960 até a década de 2000. No final da década de 1980 (no início dos anos 90), surgiu uma batida de swing mais estilosa, mais urbana, chamada de new jack swing, encabeçada por Teddy Riley. No final dos anos 90 e nos anos 2000, houve um renascimento do swing, num estilo conhecido como swing revival, liderado por Squirrel Nut Zippers, Brian Setzer, Big Bad Voodoo Daddy e Lavay Smith. No Canadá, alguns dos primeiros discos dos anos 2000 da The JW-Jones Blues Band incluíram elementos do swing revival.

Referências[editar | editar código-fonte]

Notas


Bibliografia
  • Erenberg, Lewis A. Swingin' the Dream: Big Band Jazz and the Rebirth of American Culture (1998), a history of big-band jazz and its fans.
  • Gitler, Ira. Swing to Bop: An Oral History of the Transition in Jazz in the 1940s (1987), on the emergence of bop from big-band swing.
  • Hennessey, Thomas J. From Jazz to Swing: African-Americans and Their Music, 1890-1935 (1994).
  • Schuller, Gunther. The Swing Era: The Development of Jazz, 1930-1945 (1991), a musicological study.
  • Stowe, David. Swing Changes: Big-Band Jazz in New Deal America (1996), a musicological study.
  • Tucker, Sherrie. Swing Shift: 'All-Girl' Bands of the 1940s (2000)

Ligações externas[editar | editar código-fonte]


Ícone de esboço Este artigo sobre Jazz é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.