The Last of the Mohicans (livro)

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
The Last Of The Mohicans: A Narrative Of 1757
O Último Dos Moicanos
Capa da edição de 1826 do livro
Autor(es) James Fenimore Cooper
Idioma inglês
Género ficção histórica
Editora H.C. Carey & I. Lea
Lançamento fevereiro de 1826
Edição portuguesa
Tradução Maria Antónia Monteiro
Editora Portugália
Lançamento 1956
Páginas 282
Edição brasileira
Tradução Agrippino Grieco
Lançamento 1935
Cronologia
The Pioneers (1823)
The Prairie (1827)

O Último Dos Moicanos (The Last Of The Mohicans: A Narrative Of 1757) é um romance histórico de James Fenimore Cooper. Foi lançado em 1826. Se baseia em acontecimentos relativos à Guerra Franco-Indígena (1754-1763), aos quais foram adicionados elementos ficcionais. É uma das obras mais representativas do romantismo estadunidense.[1][2]

Sinopse[editar | editar código-fonte]

Gtk-paste.svg Aviso: Este artigo ou se(c)ção contém revelações sobre o enredo.

Cora e Alice Munro, filhas do tenente-coronel Munro, estão viajando com o major Duncan Heyward do forte Edward para o forte William Henry, onde Munro está no comando. Um novo membro se soma ao grupo: o professor de canto David Gamut. O grupo é guiado através da floresta pelo índio Magua, que os faz seguir por um atalho, longe da proteção da milícia britânica. Heyward, no entanto, não fica satisfeito com o atalho de Magua, e começa a desconfiar das reais intenções do guia índio. No caminho, o grupo se depara com o espião a serviço dos britânicos Natty Bumpo (também conhecido como Olho de Falcão) e seus dois amigos moicanos: Chingachgook e seu filho Uncas. Aumenta a suspeita de que Magua seja, na realidade, um espião huroniano a serviço dos franceses: como consequência, Magua foge.

Temerosos de que Magua retorne com reforços huronianos, Bumbo e os moicanos conduzem o grupo a uma caverna para se esconderem. Lá, no entanto, eles são atacados pelos huronianos. Quando a munição acaba, Bumpo e os moicanos fogem, mas prometem retornar. O grupo restante é preso pelos huronianos. Magua oferece libertar o grupo em troca da mão de Cora, mas ela recusa. Diante de uma segunda recusa, Magua sentencia o grupo à morte. O grupo, no entanto, é salvo pelo retorno de Bumbo e os moicanos, que os levam a um edifício abandonado que havia sido palco de uma antiga batalha entre os índios e os britânicos. Os huronianos começam a atacá-los, mas param em respeito aos antigos companheiros que haviam sido mortos no local, e se retiram. No dia seguinte, Bumpo conduz o grupo ao forte William Henry, que estava sitiado pelos franceses. Munro envia Bumpo ao forte Edward para pedir reforços, mas Bumpo é capturado pelos franceses.

Estes o mandam de volta para o forte William Henry sem a carta contendo o pedido de reforços. Heyward revela a Munro seu amor por Alice, e o tenente-coronel permite que Heyward corteje a filha. O general francês Louis-Joseph de Montcalm, que comanda o sítio ao forte William Henry, solicita uma conversa com Munro, e lhe mostra uma carta interceptada pelos franceses do general Webb (que comandava o forte Edward) em que este recusa o envio de reforços. Diante disso, Munro aceita os termos do general francês: os soldados britânicos, junto com seus feridos, mulheres e crianças, devem se retirar do forte e abandonar a guerra por dezoito meses. Já fora do forte, no entanto, os britânicos são atacados por 2 000 huronianos. Em meio ao massacre, Magua rapta Cora e Alice e as leva a uma aldeia huroniana. Gamut os segue.

Após o massacre dos britânicos, Bumpo, os moicanos, Heyward e Munro seguem Magua e cruzam um lago na tentativa de interceptar os fugitivos. Durante o percurso através do lago, são perseguidos por canoas huronianas. Quando chegam à aldeia huroniana, encontram Gamut, que havia sido capturado porém logo liberado pelos hurões por ter sido considerado um "louco inofensivo". Gamut revela que Alice está presa na aldeia, mas que Cora está presa em uma aldeia lenape. Disfarçado como um médico francês, Heyward entre na aldeia hurã com Gamut para resgatar Alice. Bumpo e Uncas partem para o resgate de Cora. Munro e Chingachgook descansam em segurança. Uncas é aprisionado pelos huronianos e, após resistir a tortura, é deixado para morrer de fome. Heyward não consegue encontrar Alice. Um guerreiro huroniano pede a Heyward para curar a loucura de sua esposa. No caminho até onde se localiza a esposa, os dois são seguidos por Bumpo, que está disfarçado com a pele de um urso. Heyward entra na caverna onde está a esposa louca e o guerreiro huroniano sai, deixando os dois a sós. Bumpo revela, a Heyward, seu disfarce de pele de urso. Os dois saem e conseguem encontrar Alice.

Eles são descobertos por Magua, mas Bumpo consegue vencê-lo e o amarrar à parede. Heyward e Alice partem e Bumpo permanece para resgatar Uncas. Gamut convence um huroniano a permitir que ele e seu "mágico urso" (Bumpo disfarçado) se aproximem de Uncas. Gamut e Bumpo desamarram Uncas. Uncas entra no disfarce de urso, Bumpo veste as roupas de Gamut e Gamut fica no canto imitando os gestos de Uncas. Uncas e Bumpo fogem e os huronianos juram vingança. Uncas, Bumpo, Heyward e Alice vão para a aldeia lenape onde está Cora. Lá, Magua reivindica a posse de seus antigos prisioneiros Heyward, Alice e Cora. Tamenund, o sábio lenape, liberta Heyward e Alice, mas entrega Cora a Magua. Em obediência às leis de hospitalidade, Tamenund concede três horas de vantagem para os fugitivos antes que Magua os persiga. Os lenapes vencem os huronianos, mas Magua escapa com Cora e outros dois huronianos. Uncas, Bumbo e Heyward os perseguem. Numa luta à beira de um precipício, Cora, Uncas e Magua morre. A novela conclui com uma longa descrição do enterro de Uncas e Cora, enquanto Bumpo e Chingachgook reafirmam seus laços de amizade. Tamenund profetiza: "os caras-pálidas são senhores da terra, e o tempo dos peles-vermelhas ainda não voltou". A morte de Uncas justifica o título do livro: Uncas simbolizaria o "último dos moicanos", pois, na época em que foi escrito o livro, se acreditava que os moicanos estivessem em vias de extinção. Desde então, a expressão "o último dos moicanos" passou a significar o último de uma espécie rara e valiosa.[3][4]

Gtk-paste.svg Aviso: Terminam aqui as revelações sobre o enredo.

Adaptações[editar | editar código-fonte]

O livro inspirou inúmeras adaptações para o cinema, rádio, tevê, ópera e histórias em quadrinhos:

Cinema[editar | editar código-fonte]

Rádio[editar | editar código-fonte]

  • The Last of the Mohicans foi adaptado para o rádio em dois episódios de uma hora dirigidos por Michael Fox e transmitidos pela BBC Radio 4 em 1995 (posteriormente, na BBC Radio 7), com Michael Fiest, Philip Franks, Helen McCrory and Naomi Radcliffe.

Tevê[editar | editar código-fonte]

Capa da revista Classic Comics #4.
  • Hawkeye and the Last of the Mohicans (1957), série canadense com John Hart como Natty Bumpo e Lon Chaney, Jr. como Chingachgook.

Ópera[editar | editar código-fonte]

Histórias Em Quadrinhos[editar | editar código-fonte]

  • O famoso escritor de mangá Shigeru Sugiura escreveu e ilustrou uma adaptação bem liberal da história em 1952-3 (relançada em 1973-4). Foi fortemente influenciada pelos cinema dos Estados Unidos e pelas histórias em quadrinhos de faroeste e é recheada de humor absurdo e piadas anacrônicas.[6]

Referências

  1. Coleção Geração Público. Disponível em http://static.publico.pt/sites/coleccaojuvenil/livros/14.ultimoMoicano/index.htm. Acesso em 5 de janeiro de 2015.
  2. FNAC. Disponível em http://www.fnac.pt/O-Ultimo-Dos-Moicanos-James-Fenimore-Cooper/a51259. Acesso em 5 de janeiro de 2016.
  3. Coleção Geração Público. Disponível em http://static.publico.pt/sites/coleccaojuvenil/livros/14.ultimoMoicano/index.htm. Acesso em 5 de janeiro de 2015.
  4. FNAC. Disponível em http://www.fnac.pt/O-Ultimo-Dos-Moicanos-James-Fenimore-Cooper/a51259. Acesso em 5 de janeiro de 2016.
  5. Welcome to Lake George Opera of Saratoga, New York
  6. LAST OF THE MOHICANS by Shigeru Sugiura
Commons
O Commons possui imagens e outras mídias sobre The Last of the Mohicans (livro)