Thema de Tessalônica

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Θεσσαλονίκης θέμα
Tema de Salonica
Tema do(a) Império Bizantino
século IX/1246-1204/1430
Location of Salonica
Grécia por volta de 900, mostrando o Tema de Salonica na centro-esquerda
Capital: Salonica
Governador: estratego
Período : Idade Média
 -  Estabelecimento do tema século IX
 -  Conquista pelo Império Otomano 1430

O Tema de Salonica ou Tema de Tessalônica (português brasileiro) ou Tessalónica (português europeu) (em grego: θέμα Θεσσαλονίκης), chamado também de Tema Salônico, foi um tema (província civil-militar) localizado nos Bálcãs e que englobava várias partes da Macedônia Central e Ocidental. Sua capital era Salonica, a segunda cidade mais importante do Império Bizantino.

História[editar | editar código-fonte]

No final da Antiguidade, Salonica era a capital da província romana da Macedônia e da Diocese da Macedônia, além de ser a sede do prefeito pretoriano da Ilíria. Com a perda da maior parte do interior da península balcânica para as invasões eslavas no século VII, porém, a autoridade do prefeito (em grego: eparchos - "eparca") ficou confinada à cidade e seus subúrbios. O eparca continuou a governar Salonica até o início do século IX, quando foi substituído por um estratego encarregado pelo recém-criado Tema da Salonica.[1] [2]

O estratego de Salonica aparece pela primeira vez nas fontes em 836, mas uma carta do imperador Miguel II, o Amoriano (r. 820–829) ao rei do francos Luís, o Piedoso (r. 814-840)), parece indicar que o tema já existia em 824.[3] [4] O historiador Warren Treadgold data a criação do tema ca. 809, durante as campanhas contra os eslavos do imperador Nicéforo I, o Logóteta (r. 802–811), que estendeu o domínio bizantino até a zona rural da cidade.[5] Treadgold vai adiante e conjectura que as tropas do tema no século IX contavam com 2 000 soldados.[6] Para o leste, o tema ia até o rio Estrimão e o tema homônimo. Ao sul, ele fazia fronteira com o Tema da Hélade, na parte norte da Tessália. As suas fronteiras oeste e norte são incertas, flutuando de acordo com a maré das constantes guerras entre os bizantinos, as tribos eslavas e, eventualmente, os búlgaros.[7]

Sob o imperador bizantino João I Tzimisces (r. 969–976), um duque, que comandava tropas de um tagma profissional aquarteladas ali, se mudou para a cidade e parece ter tido um comando paralelo ao do estratego, até que posteriormente assumiu as funções deste.[8] [9] No século XI, o Ducado de Salonica tinha tamanha importância que o cargo geralmente era exercido por um membro da família imperial.[4] A cidade e a maior parte da Macedônia foram conquistadas pelos latinos após a Quarta Cruzada e viraram o Reino de Salonica, que perdurou até 1224, quando foi capturado pelo Despotado de Epiro, um dos estados herdeiros do Império Bizantino, e tornar-se-ia o efêmero Império de Salonica.[10]

O tema foi reconstituído após a cidade e a maior parte da Macedônia ter sido subjugada pelo Império de Niceia (outro dos herdeiros de Bizâncio) em 1246 e sobreviveu até ser capturado pelos turcos otomanos em 1392. Nesta época, porém, o tema havia sido reduzido essencialmente à própria cidade. Reconquistada pelo Império Bizantino em 1402, a cidade tarnar-se-ia capital de um despotado até ser entregue aos venezianos em 1423 (após outro cerco pelos otomanos) e ser efetivamente conquistada pelos turcos em 1430.[10]

Referências

  1. Kazhdan 1991, p. 2071
  2. Nesbitt 1991, p. 50
  3. Oikonomides 1972, p. 352
  4. a b Kazhdan 1991, p. 2073
  5. Treadgold 1995, p. 29
  6. Treadgold 1995, p. 66–69
  7. Pertusi 1952, p. 168–169
  8. Nesbitt 1991, p. 51
  9. Treadgold 1995, p. 36, 114
  10. a b Kazhdan 1991, p. 2072–2073

Bibliografia[editar | editar código-fonte]

  • Nesbitt, John W.; Oikonomides, Nicolas (1994). Catalogue of Byzantine Seals at Dumbarton Oaks and in the Fogg Museum of Art, Volume 2: South of the Balkans, the Islands, South of Asia Minor (em inglês) (Washington, Distrito de Colúmbia: Dumbarton Oaks Research Library and Collection). ISBN 0-88402-226-9. 
  • Treadgold, Warren T. (1995). Byzantium and Its Army, 284–1081 (em inglês) (Stanford, Califórnia: Stanford University Press). ISBN 0-8047-3163-2. 
  • Oikonomides, Nicolas (1972). Les Listes de Préséance Byzantines des IXe et Xe Siècles (em francês) (Paris: Editions du Centre National de la Recherche Scientifique). 
  • Pertusi, A. (1952). Constantino Porfirogenito: De Thematibus (em italiano) (Roma: Biblioteca Apostolica Vaticana).