Toca da Boa Vista

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Searchtool.svg
Esta página ou secção foi marcada para revisão, devido a inconsistências e/ou dados de confiabilidade duvidosa. Se tem algum conhecimento sobre o tema, por favor verifique e melhore a consistência e o rigor deste artigo. Pode encontrar ajuda no WikiProjeto Brasil.
Se existir um WikiProjeto mais adequado, por favor corrija esta predefinição. Este artigo está para revisão desde março de 2009.
Question book-4.svg
Esta página cita fontes confiáveis e independentes, mas que não cobrem todo o conteúdo (desde janeiro de 2014). Ajude a inserir referências. Conteúdo não verificável poderá ser removido.—Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)
Toca da Boa Vista
Localização Campo Formoso,  Brasil
Coordenadas 10° 9'37.21"S 40°51'39.39"W
Comprimento 100 km

Toca da Boa Vista é a maior caverna brasileira, localizada em Campo Formoso, Bahia. É também a maior do hemisfério sul, com cem quilômetros de extensão.[1]

A Toca da Boa Vista está inserida no meio do sertão do estado, a 550 km da capital Salvador. O local é muito árido, com precipitações anuais inferiores a 500 mm sendo a caatinga a vegetação predominante. Existem vários povoados espalhados ao longo do seu vasto território sendo o de Lage dos Negros, o mais próximo da Toca. Em uma só região estão as duas maiores cavernas brasileiras, a Toca da Boa Vista e a Toca da Barriguda, com 105 e 30 km, respectivamente.

Grutas[editar | editar código-fonte]

Os processos que atuaram na formação das cavernas foram anteriores aos que moldaram a paisagem. Até mesmo as suas entradas são acidentes decorrentes do rebaixamento superficial e, provavelmente, posteriores à sua existência. Segundo as teorias mais aceitas,[vago] a gênese dessas cavidades está associada à dissolução da rocha por soluções ricas em ácido sulfúrico proveniente das águas subterrâneas.

O resultado disso foi a formação de grutas labirínticas, num padrão nada comum a outros locais do Brasil. Para se ter uma idéia desta complexidade, a Toca da Boa Vista (105 km) está inserida em uma área com cerca de 3 km².

Esse fenômeno particular atuou em uma ampla faixa carbonática da região, podendo ser observado em várias outras cavidades.

Neste contexto há a Toca da Barriguda. Situada a menos de 700 m da Boa Vista, já é a segunda maior caverna brasileira (30 km) tendo inúmeras galerias a serem exploradas. Isso sem falar da possibilidade de se encontrar uma conexão entre as duas, que resultaria um super sistema com potencial para mais de 200 km.

Atualmente as grutas da região encontram-se quase completamente secas e com uma temperatura interna que chega perto dos 30 graus. Além disso, existem espessas camadas de sedimento cobrindo várias galerias e inúmeros depósitos fossilíferos.

Explorações[editar | editar código-fonte]

As explorações da Toca da Boa Vista iniciaram em 1987, sendo até o momento foram topografados 105 km em 21 expedições. Contudo é certo que o potencial da gruta, atualmente a 13ª maior do mundo, deva superar a marca dos 150 km. A sua complexidade e aridez demandavam técnicas mais avançadas de exploração e mapeamento daquelas adotadas até então. A topografia experimentou vários equipamentos e métodos buscando aprimorar a continuidade dos trabalhos, a orientação das equipes e a precisão necessária a esse tipo de cavidade.

As expedições a Campo Formoso normalmente são realizadas ao final de cada ano, tendo a duração de 2 a 3 semanas. Participações de outros grupos são bem vindas, mas devem ser acertadas com antecedência.

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Ícone de esboço Este artigo sobre Geografia do Brasil é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.