Tom Lehrer

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Tom Lehrer
Nascimento 9 de abril de 1928
Nova Iorque
Cidadania Estados Unidos
Etnia judeus americanos
Alma mater
Ocupação cantautor, pianista, matemático, cantor(a), professor(a) universitário(a), letristapiano, voz
Empregador Instituto de Tecnologia de Massachusetts, Wellesley College, Universidade da Califórnia em Santa Cruz, Universidade Harvard, Laboratório Nacional de Los Alamos
Obras destacadas National Brotherhood Week
Religião ateísmo

Thomas Andrew Lehrer ( /ˈlɛərər/) (9 de abril de 1928) é um cantor-compositor, comediante e matemático norte-americano. Ele foi professor de teatro musical e professor e investigador nas principais instituições acadêmicas americanas, incluindo o Instituto de Tecnologia de Massachusetts e a Universidade da Califórnia em Santa Cruz,[1] mas é mais conhecido pelas músicas humorísticas e satíricas que gravou nas décadas de 1950 e 1960. As suas músicas parodiavam frequentemente formas musicais populares, embora ele criasse tipicamente melodias originais ao fazê-lo. Uma exceção notável é a música "The Elements" ("Os Elementos"), na qual canta uma lista dos nomes dos elementos da tabela periódica ao ritmo da música "Major-General's Song" ("Música do Major-General"), da ópera cómica "The Pirates of Penzance", de Gilbert e Sullivan.

Os primeiros trabalhos musicais de Lehrer, tais como a música "Poisoning Pigeons in the Park", eram reconhecidos pelo seu humor negro. Na década de 1960 ele lançou músicas que lidavam com assuntos de relevância social e política da época, particularmente quando compôs para a versão norte-americana do programa de televisão That Was the Week That Was. No início da década de 1970, Lehrer afastou-se das performances ao vivo para se dedicar ao ensino de matemática e de história de teatro musical na Universidade da Califórnia.

Biografia[editar | editar código-fonte]

Tom Lehrer nasceu em 1928 no seio de uma família secular judaica e cresceu no Upper East Side de Manhattan.[2][3] Ele começou a estudar piano clássico aos 7 anos, mas estava mais interessado na música popular da época. Eventualmente, a sua mãe também o inscreveu em aulas de música popular.[4] Foi com esta idade que começou a escrever as primeiras melodias, que eventualmente o ajudaram a tornar-se num compositor e escritor satírico nos seus anos de professor em Harvard, tendo sido também influenciado por um dos seus professores, Irving Kaplansky,[5][6] e mais tarde noutras universidades.[7]

Lehrer estudou na Horace Mann School em Riverdale, Nova Iorque, parte do Bronx.[2][8] Ele também frequentou o campo de férias Camp Androscoggin, tanto como campista como conselheiro.[9] Lehrer era considerado uma criança prodígio e entrou na Universidade de Harvard aos 15 anos após graduar-se da Loomis Chaffee School.[2] Enquanto estudante de matemática em Harvard ele começou a escrever músicas cómicas para entreter os seus amigos. Estas músicas foram coletivamente apelidadas de The Physical Revue,[10] uma referência humorística a uma prestigiosa revista científica, Physical Review.

Lehrer trabalhou em lugares como o MIT e o laboratório nuclear de Los Alamos, mas foi como professor que se firmou na vida acadêmica. Paralelamente, os seus dons como pianista e humorista o levaram a gravar vários discos nas décadas de 1950 e 1960. Por um breve período, chegou a largar a profissão de professor e pesquisador de Matemática para se dedicar apenas aos diversos shows que passou a fazer, não só nos Estados Unidos, mas em outros países de língua inglesa.

No começo dos anos 1970, contudo, decidiu abandonar a carreira artística e voltou a ensinar Matemática em algumas das mais prestigiosas universidades dos EUA.

Atualmente, aposentado, Lehrer vive na Califórnia e, ocasionalmente, faz pequenos shows para platéias universitárias.

Em 2020, aos 92 anos, Lehrer doou todas as letras de suas músicas ao domínio público.[11][12]

Importância artística[editar | editar código-fonte]

Mais do que um humorista, Tom Lehrer foi um crítico implacável da direita e dos conservadores norte-americanos, facto expresso em canções como "Send the Marines!" ("Mande os Marines!"), em que classifica as tropas de elite das forças armadas americanas como o instrumento de "diplomacia" preferido dos Estados Unidos.

Lehrer notabilizou-se também pelo caráter inovador de seu humor, enveredando muitas vezes por assuntos científicos, como nas canções "New Math" ("Nova Matemática"), "Lobachevski" (sobre os plágios no mundo acadêmico) e "The Elements" ("Os Elementos" - cuja letra se resume a uma hilariante enunciação de todos os elementos químicos da Tabela Periódica).

Discografia[editar | editar código-fonte]

Wikiquote
O Wikiquote possui citações de ou sobre: Tom Lehrer

Referências

  1. Longley, Eric. «Tom Lehrer». St. James Encyclopedia of Popular Culture (em inglês). CBS Interactive Resource Library. Cópia arquivada em 9 de Julho de 2012 
  2. a b c Smith, Ben (9 de abril de 2014). «Looking For Tom Lehrer, Comedy's Mysterious Genius». BuzzFeed. Consultado em 12 de abril de 2014 
  3. Warren Allen Smith (2002). «Tom Lehrer». Celebrities in Hell. [S.l.]: ChelCpress. p. 72. ISBN 9781569802144. He responded: No one is more dangerous than someone who thinks he has The Truth. To be an atheist is almost as arrogant as to be a fundamentalist. But then again, I can get pretty arrogant. 
  4. Liner notes, Songs & More Songs By Tom Lehrer, Rhino Records, 1997.
  5. «MTArchive: A Song about Pi». Mtarchive.blogspot.com. 22 de setembro de 2013. Consultado em 25 de outubro de 2019 
  6. Lehrer performance excerpt, «Irving "Kaps" Kaplansky's 80th Birthday Celebration». 1997. Consultado em 27 de outubro de 2015 
  7. Jeremy Mazner. «Tom Lehrer: The Political Musician That Wasn't». Casualhacker.net. Consultado em 25 de outubro de 2019 
  8. Toobin, Jeffrey R (9 de novembro de 1981). «Tom Lehrer». The Harvard Crimson. Consultado em 14 de abril de 2012 
  9. «The Elements by Tom Lehrer». Consultado em 23 de maio de 2013. Cópia arquivada em 1 de fevereiro de 2012 
  10. «The Physical Revue, by Tom Lehrer». Ww3.haverford.edu. 22 de outubro de 2003. Consultado em 27 de outubro de 2015 
  11. Lehrer, Tom. «Songs and Lyrics by Tom Lehrer». TomLehrerSongs.com. Consultado em 20 de outubro de 2020 
  12. «Brilliant satirist Tom Lehrer's catalog now in the public domain». Boing Boing. 20 de outubro de 2020. Consultado em 20 de outubro de 2020 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]