Toni Venturi

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Under construction icon-yellow.svg
Este artigo carece de caixa informativa ou a usada não é a mais adequada.

Toni Venturi ([onde?], 21 de novembro de 1955) é um cineasta brasileiro,

Morou no Canadá de 1976 até 1984, onde se graduou Bacharel em Artes Fotográficas - Cinema, pela University Of Ryerson, em 1984. Também formou-se em Comunicação Social - Cinema pela Universidade São Paulo, em 1987. No Brasil, fez o curso secundário no Ginásio Estadual Vocacional Oswaldo Aranha, em São Paulo, que compunha uma rede de escolas experimentais mantida pela pedagoga Maria Nilde Mascelani e extinta pela ditadura militar. Depois da passagem pelo Canadá, viveu no Rio de Janeiro até 1989 e desde 1990 reside em São Paulo. Toni Venturi é casado com a Atriz Débora Duboc com quem tem 1 filho.

Seu trabalho inclui os seguintes títulos, muitos deles premiados:

  • Diretor e Produtor do longa metragem de ficção Cabra-cega. Prêmios de produção: "Filmes de Baixo Orçamento do MINC", "Finalização da ANCINE" e "Finalização Prefeitura de São Paulo", lançado em 2005.
  • Diretor e Produtor do documentário para TV No Olho Do Furacão. Prêmios de produção: "Itaú Rumos" e "Documentários Inéditos do MINC". Em 2003, recebeu o Prêmio Especial do Júri na 30ª Jornada da Bahia.
  • Diretor e Produtor do longa metragem de ficção Latitude Zero. Em 2001, o filme participou da 51ª Festival de Berlim, Seção Panorama. Ganhou 15 prêmios em festivais nacionais e internacionais nas categorias de melhor direção, ator, atriz e arte. Foi lançado comercialmente em março de 2002 e está disponível em DVD e VHS.
  • Diretor e Produtor de O Velho, A História De Luís Carlos Prestes. Documentário longa metragem e série de 04 episódios para TV. Ganhou 3 prêmios de melhor filme em festivais de cinema nacionais e foi premiado em Cuba.
  • Diretor da série "Teletubbies" da Rede Globo, em 1998.
  • Diretor do programa "Conexão Roberto D'avila", de entrevistas, em 1996.
  • Diretor da série de documentários institucionais "Gente Que Faz", patrocinado pelo Banco Bamerindus (1995 - 97).
  • Diretor e Produtor dos seguintes curtas metragens: Ficção futurista com Jonas Bloch passada nos últimos dias do milênio; Guerras, Documentário sobre a vida do poeta luso-brasileiro Antonio José, que morreu queimado nas fogueiras da Inquisição no século XVIII; e Under The Table sobre o drama dos imigrantes em situação ilegal latino-americanos que vivem em Toronto, Canadá.
  • Dirigiu Estamos Juntos (2011), no qual Dira Paes faz o papel de uma líder do movimento dos sem teto em São Paulo[1].
  • Dirigiu Dia de Festa (2005), documentário sobre os movimentos de ocupação de prédios abandonados em São Paulo[2].

Atualmente é dono da produtora audiovisual Olhar Imaginário.

Ligações externas[editar | editar código-fonte]