Vítor Melícias

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Question book-4.svg
Esta página ou secção cita fontes confiáveis e independentes, mas que não cobrem todo o conteúdo, o que compromete a verificabilidade (desde abril de 2017). Por favor, insira mais referências no texto. Material sem fontes poderá ser removido.
Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)

Frei Vítor José Melícias Lopes[1] OFM (Ramalhal, 25 de julho de 1938)[1] é um religioso franciscano português.

Ordenado sacerdote em 1962, Vítor Melícias é licenciado em Direito, pela Universidade de Lisboa, e em Direito Canónico, pela Pontifícia Universidade Antonianum de Roma, onde foi bolseiro da Fundação Calouste Gulbenkian[1]

Além do sacerdócio, exerceu funções num sem número de instituições de solidariedade social e associações de caráter diverso[1]>. Em 1974 foi eleito presidente da Liga dos Bombeiros Portugueses, função que exerceu até 1980, presidindo depois ao Serviço Nacional de Bombeiros, de 1981 a 1983. Em 1983 foi eleito presidente do Conselho de Administração do Montepio Geral, onde esteve até 1988. Um mês antes tinha sido empossado provedor da Santa Casa da Misericórdia de Lisboa, cargo que desempenhou até 1992. Ainda em 1991 assumiu a presidência da União das Misericórdias Portuguesas e, dois anos depois, foi eleito presidente de honra da Confederação Internacional das Misericórdias. Desde 1998 foi membro efetivo do Comité Económico e Social Europeu e, em 1999, nomeado comissário nacional para o Apoio à Transição em Timor-Leste.

Paralelamente a essas atividades, Vítor Melícias esteve ainda ligado à docência, nomeadamente nas áreas do Direito Canónico e da Filosofia do Direito, que lecionou no Seminário da Luz, no Instituto Superior de Estudos Eclesiásticos, no Instituto Superior de Teologia de Évora e na Universidade Católica Portuguesa. Lecionou também Ética e Gestão de Empresas, no Instituto Superior das Novas Profissões[1].

Foi agraciado com a grande oficial da Ordem de Benemerência, em 1983, o Prémio Nacional de Solidariedade, em 1986, e a grã-cruz da Ordem do Mérito, em 1993[1].


Referências

  1. a b c d e f «Vítor Melícias». Infopédia. Consultado em 12 de março de 2015