Vaselina

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
NoFonti.svg
Esta página ou secção cita fontes confiáveis e independentes, mas que não cobrem todo o conteúdo (desde Dezembro de 2010). Por favor, adicione mais referências e insira-as corretamente no texto ou no rodapé. Material sem fontes poderá ser removido.
Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)
Vaselina
Alerta sobre risco à saúde
White Petrolatum1.jpg
Outros nomes Gelatina de petróleo
Identificadores
Número CAS 8009-03-8
Número EINECS 232-373-2
Propriedades
Fórmula molecular hidrocarbonetos > C25
Aparência pasta incolor a branca, cerosa.[1]
Densidade 0.9 g cm-3[1]
Ponto de fusão

36 - 60 °C [1]

Ponto de ebulição

302 °C [1]

Solubilidade em água insolúvel [1]
Riscos associados
Frases R R45
Frases S S53, S45
Ponto de fulgor 182 - 221 °C [1]
Temperatura
de auto-ignição
> 290 °C [1]
Exceto onde denotado, os dados referem-se a
materiais sob condições normais de temperatura e pressão

Referências e avisos gerais sobre esta caixa.
Alerta sobre risco à saúde.

A vaselina ou gelatina de petróleo é uma parafina líquida: é oleaginosa, límpida, incolor, não fluorescente, inodoro quando frio, mas apresenta leve odor de petróleo quando aquecido, insípido. Insolúvel na água e no álcool, miscível com a exceção do óleo de rícino, solúvel no éter, clorofórmio, éter de petróleo e nos óleos essenciais.

Ao ser uma mistura, apresenta ponto de fusão não definido, observando-se um amolecimento perto dos 36 °C e completando-se a passagem ao estado líquido acima dos 60 °C. O ponto de ebulição é acima dos 350 °C. A vaselina é hidrófoba, ou seja, praticamente não se dissolve em água, e é menos densa que esta (0,9 g/cm3). É usada como base em muitos produtos cosméticos.

História[editar | editar código-fonte]

A primeira referência ao nome (Vaseline) está relacionada com o inventor da geleia de petróleo (petroleum jelly), Robert Chesebrough através de uma patente dos Estados Unidos para o processo de fabrico (U.S. Patent 127568) em 1872.

Supõe-se que a palavra provenha do alemão Wasser (água) e do grego έλαιον [elaion] (óleo)[2]

Em 1859, Chesebrough foi aos campos petrolíferos em Titusville (Pensilvânia), e aí soube que um resíduo chamado "rod wax" era usado pelos trabalhadores dos campos petrolíferos para curar cortes, feridas e queimaduras. Chesebrough levou amostras do "rod wax" para Brooklyn, extraiu a geleia de petróleo (petroleum jelly) utilizável, e começou a fabricar o produto medicinal a que chamou "Vaseline".[3]

A vaselina, sob o nome comercial "Vaseline", foi feita pela Chesebrough Manufacturing Company até esta ter sido comprada pela Unilever em 1987.

O Commons possui uma categoria contendo imagens e outros ficheiros sobre Vaselina


Referências

  1. a b c d e f g PETROLATUM (BLANC), fiche de sécurité du Programme International sur la Sécurité des Substances Chimiques, consultée le 9 mai 2009
  2. Online Etymology Dictionary
  3. The History of Vaseline Petroleum Jelly began in the Pennsylvania Oil Fields!, Drake Well Museum pamphlet, copyright 1996 by Holigan Group Ltd, Dallas, Texas