Vilmos Zsigmond

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Vilmos Zsigmond
Vilmos Zsigmond
Nascimento 16 de junho de 1930
Szeged,  Hungria
Morte 1 de janeiro de 2016 (85 anos)
Califórnia,  Estados Unidos
Ocupação Diretor de Fotografia
Oscares da Academia
Melhor Fotografia
1978 - Close Encounters of the Third Kind
IMDb: (inglês)

Vilmos Zsigmond (Szeged, 16 de junho de 1930 - Big Sur, 1 de janeiro de 2016) foi um diretor de fotografia húngaro-americano.[1]

Conhecido como o “o poeta-mágico”, em 2003 uma pesquisa realizada com os membros do Sindicato Internacional de Cinematógrafos elegeu Zsigmond como um dos diretores de fotografia mais influentes da história.[2]

Biografia[editar | editar código-fonte]

Zsigmond nasceu em Szeged, Hungria, filho de Bozena, uma administradora, e Vilmos Zsigmond, um famoso jogador de futebol e técnico.[3][4] Estudou cinema na Academia de Drama e Filme, em Budapeste.[5][6] Recebeu um Mestrado em Artes em cinematografia.[3] Trabalhou em um estúdio de Budapeste por cinco anos antes de se tornar diretor de fotografia.[3] Junto com seu amigo László Kovács mostrou os eventos da Revolução Húngara de 1956 em Budapeste em mais de 9.000 m de película, fugindo para a Áustria logo depois.[3]

Em 1962, ele se naturalizou americano.[4] Estabeleceu-se em Los Angeles e trabalhou em um laboratório de fotografia como técnico e fotógrafo. Na década de 1960, fotografou vários filmes independentes de baixo orçamento e educacionais, enquanto buscava entrar para a indústria do cinema.[3] Em alguns desses filmes foi creditado como "William Zsigmond".

Zsigmond ganhou proeminência na década de 1970 depois de ser contratado por Robert Altman como diretor de fotografia em McCabe & Mrs. Miller (1971). Outros filmes notáveis fotografados por ele incluem Deliverance (1972), The Long Goodbye (1973), The Sugarland Express (1974), The Deer Hunter (1978), Heaven's Gate (1980) e Maverick (1994).

Ele venceu o Oscar de Melhor Fotografia em 1978 por seu trabalho em Close Encounters of the Third Kind; sendo indicado em 1979 por The Deer Hunter, em 1985 por The River, e em 2007 por The Black Dahlia.

Referências

  1. Morreu o director de fotografia Vilmos Zsigmond Portal Portugal Público - acessado em 5 de janeiro de 2016
  2. «Top 10 Most Influential Cinematographers Voted on by Camera Guild». The Free Library. 16 de outubro de 2003 
  3. a b c d e Schaefer, Dennis; Larry, Salvato (1986). «Vilmos Zsigmond». Masters of Light: Conversations with Contemporary Cinematographers. [S.l.]: University of California Press. ISBN 9780520053366 
  4. a b «Vilmos Zsigmond Biography (1930-)». Film Reference 
  5. «Vilmos Zsigmond». The New York Times 
  6. «Vilmos Zsigmond: Biography». MSN 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]