Warwick Anderson

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Warwick Anderson
Nascimento 10 de dezembro de 1958
Melbourne
Cidadania Austrália
Alma mater
Ocupação historiador, médico, poeta
Prêmios
  • Fellow of the Academy of the Social Sciences in Australia
  • Fellow of the Australian Academy of Health and Medical Sciences (2015)
  • Fellow of the Australian Academy of the Humanities
  • Bolsa Guggenheim
Empregador Universidade de Sydney

Warwick Hugh Anderson (nascido em 10 de dezembro de 1958), médico, poeta e historiador, é professor de Política, Governança e Ética no Departamento de História e no Centro Charles Perkins, Universidade de Sydney, onde anteriormente era Bolsista Laureado do Conselho de Pesquisa (2012–17). Ele também é professor honorário da Escola de População e Saúde Global da Universidade de Melbourne.[1] Ele é membro da Academia Australiana de Humanidades, da Academia de Ciências Sociais da Austrália, da Academia Australiana de Saúde e Ciências Médicas e da Sociedade Real de Nova Gales do Sul, da qual recebeu a Medalha de História e Filosofia da Ciência em 2015[2] Para o ano acadêmico de 2018–19, Anderson foi o presidente Gough Whitlam e Malcolm Fraser de Estudos Australianos na Universidade de Harvard.[3] [4] Como historiador da ciência e da medicina, Anderson enfoca as dimensões biomédicas do pensamento racial, especialmente em ambientes coloniais, e a globalização da medicina e da ciência. Ele introduziu insights e temas antropológicos na história da medicina e da ciência; desenvolveu quadros inovadores para a análise da ciência e da globalização; e realizou pesquisas históricas sobre as culturas materiais de intercâmbio científico. Sua formulação influente dos estudos pós-coloniais da ciência e da medicina gerou um novo estilo de investigação nos estudos de ciência e tecnologia.[5]

Infância e educação[editar | editar código-fonte]

Anderson nasceu e foi educado em Melbourne, na Austrália, onde frequentou a Universidade High School. Seu pai, Hugh McDonald Anderson (1927–2017), foi um importante folclorista e historiador da cultura popular e literária australiana, com mais de quarenta livros em seu crédito; sua mãe, Dawn Anderson, escreveu livros sobre educação dramática e criatividade.

Anderson se formou na Escola de Medicina da Universidade de Melbourne com Bacharelado em Medicina e Bacharelado em Cirurgia em 1983. Durante o curso de medicina realizou pesquisas em neurofisiologia, sob orientação de Ian Darian-Smith, que lhe valeram o título de Bacharel em Ciências Médicas (1980). Ele foi estagiário no Hospital Real Melbourne e teve treinamento pediátrico no Hospital Real Infantil, em Melbourne, e no Hospital John Radcliffe , em Oxford. Na temporada de 1986, ele foi o médico assistente do Footscray Futebol Clube (agora AFL Bulldogs). A partir de 1987, ele trabalhou como clínico geral no interior oeste de Melbourne, onde continuou intermitentemente até 1999.

Anderson ("Dr. Androgen") foi co-apresentador do premiado programa de rádio "Spoonful of Medicine" (3RRR) de 1987–88.

Poesia[editar | editar código-fonte]

Como estudante de medicina, Anderson começou a escrever e publicar poesia. Mais de quarenta poemas foram publicados em uma série de jornais importantes na Austrália e nos Estados Unidos. Sua coleção de poesia, Casos Difíceis, Vidas Breves (Adelaide: Ginninderra, 2011) foi selecionada em 2012 para o Prêmio Mary Gilmore da Associação para o Estudo da Literatura Australiana (ASAL).[6]

História da Medicina e da Ciência[editar | editar código-fonte]

Anderson completou um PhD no Departamento de História e Sociologia da Ciência na Universidade da Pensilvânia em 1992. Sua dissertação foi sobre medicina colonial americana e saúde pública nas Filipinas, e seu orientador foi Charles E. Rosenberg . Antes de se mudar para Sydney, Anderson ocupou cargos na Universidade Harvard (1992–95); a Universidade de Melbourne (1995–2000); Universidade da Califórnia, São Francisco e Universidade da Califórnia, Berkeley (2000–2003); e a Universidade de Wisconsin-Madison (2003–07). Em Melbourne, ele fundou o Centro de Saúde e Sociedade (1997),[7] e ajudou a estabelecer a Unidade de Saúde Onemda VicHealth Koori (1998).[8] Em Madison, ele foi presidente do Departamento de História Médica e Bioética.

Anderson foi o editor fundador de Health and History (1998) e atuou como editor associado do Jonal ETS do Sul Asiático e Estudos Pós-coloniais. Ele serviu nos conselhos da Associação Americana de História da Medicina (AAHM), da Sociedade Australiana e da Nova Zelândia para a História da Medicina, da Sociedade Australiana de Saúde, Direito e Ética, História da Medicina no Sudeste Asiático (HOMSEA), o Instituto de Estudos Pós-coloniais (Melbourne) e o Círculo do Pacífico.

Anderson recebeu uma bolsa da Fundação Memorial John Simon Guggenheim (2007–08) e foi Associado do Conselho Americano de Sociedades Eruditas (2005–06), que ocupou no

Instituto de Estudos Avançados de Princeton. Em 2013, foi bolsista no Conselho de Humanidades da Universidade de Princeton e bolsista John Hope Franklin na Universidade Duke.

Entre as principais publicações de Anderson estão:

Além disso, é autor de mais de 60 artigos e capítulos de livros.

Estudos pós-coloniais de Ciência e Medicina[editar | editar código-fonte]

Publicou uma série de manifestos para abordagens pós-coloniais para explicar a globalização da ciência e da medicina, incluindo:

  • Onde está a história pós-colonial da medicina? Boletim de História da Medicina . 1998; 72: 522–30[17]
  • Tecnociência pós-colonial. Estudos Sociais da Ciência . 2002; 32: 643–58
  • Histórias pós-coloniais da medicina. In: História médica: as histórias e seus significados, 285–307. Ed. John Harley Warner e Frank Huisman. Baltimore: Johns Hopkins University Press; 2004[18]
  • (Com Vincanne Adams) As galinhas de Pramoedya: estudos pós-coloniais da tecnociência. In: O Manual de Estudos de Ciência e Tecnologia, 3ª ed., 181–204. Ed. Edward J. Hackett, Olga Amsterdamska, Michael Lynch e Judy Wajcman . Cambridge MA: MIT Press; 2007[19]
  • Do saber subjugado aos sujeitos conjugados: ciência e globalização, ou estudos pós-coloniais da ciência? Estudos pós-coloniais . 2009; 12: 389–400[20]
  • Ásia como método em estudos de ciência e tecnologia. Jornal de Ciência, Tecnologia e Sociedade do Leste Asiático . 2012; 6: 445–51[21]

Raça e etnia no sul global[editar | editar código-fonte]

Em 2011, o Conselho de Pesquisa Australiano (ARC) concedeu a Anderson uma bolsa, tornando-o o primeiro historiador a receber este prêmio e o único candidato das humanidades a receber uma bolsa na rodada inicial.[22] A bolsa apoiou pesquisas transnacionais comparativas na história das ideias de raça e diferença humana no Sul Global.[23] Esses estudos envolveram colaboradores do Brasil, Nova Zelândia e África do Sul e, ao longo da bolsa, apoiaram seis bolsistas de pós-doutorado.[24]

Referências[editar | editar código-fonte]

  1. "Warwick Anderson" Melbourne School of Population and Global Health. Retrieved 13 November 2013.
  2. "Warwick Anderson" Australian Academy of the Humanities. Retrieved 6 November 2013; "Warwick Anderson" Academy of the Social Sciences in Australia. Retrieved 6 November 2013; "Warwick Anderson" Australian Academy of Health and Medical Sciences. Retrieved 28 November 2016; The Royal Society of New South Wales History and Philosophy of Science Medal, Royal Society of New South Wales. Retrieved 28 November 2016.
  3. «Harvard chooses historian to chair Australian Studies». The University of Sydney. Consultado em 27 de abril de 2017 
  4. Hare, Julie (5 de abril de 2017). «GP Warwick Anderson's accidental career move helped find his forte». www.theaustralian.com.au. Consultado em 27 de abril de 2017 
  5. Seth S. Putting knowledge in its place: science, colonialism, and the postcolonial, Postcolonial Studies Special Issue: Science, Colonialism, Postcolonialism 12(4): 373–83
  6. Anderson W. Hard Cases, Brief Lives [Poetry]. Adelaide: Ginninderra Press; 2011.; "Mary Gilmore Award Shortlist Announced" Australian Poetry. Retrieved 13 November 2–13.
  7. "Melbourne School of Population and Global Health: Centre for Health and Society", "University of Melbourne". Retrieved 18 November 2014
  8. "Onemda VicHealth Koori Health Unit", "University of Melbourne". Retrieved 18 November 2014
  9. "W. K. Hancock Prize: Details of Previous Winners", Australian Historical Association. Retrieved 6 November 2013
  10. Anderson W. The Cultivation of Whiteness: Science, Health and Racial Destiny in Australia. Melbourne: Melbourne University Press; 2002; and New York: Basic Books; 2003. Reprinted MUP, 2005; Duke University Press, 2006.
  11. Anderson W. Colonial Pathologies: American Tropical Medicine, Race, and Hygiene in the Philippines. Durham NC: Duke University Press; 2006, reprinted 2008; and Quezon City: Ateneo de Manila University Press; 2007.
  12. "Award Winning Books" Philippines National Book Development Board. Retrieved 13 November 2013.
  13. "Recent Awards", Johns Hopkins University Press. Retrieved 6 November 2013; Anderson W. The Collectors of Lost Souls: Turning Kuru Scientists into Whitemen. Baltimore: Johns Hopkins University Press; 2008.
  14. Anderson W. and Mackay I. R. Intolerant Bodies: A Short History of Autoimmunity. Baltimore: Johns Hopkins University Press; 2014.
  15. "General History Prize 2015", "NSW Premier's Awards". Retrieved 7 September 2015.
  16. Anderson W. Unconscious Dominions: Psychoanalysis, Colonial Trauma, and Global Sovereignties. Durham CA: Duke University Press; 2011.
  17. Where is the postcolonial history of medicine? Bulletin of the History of Medicine. 1998; 72: 522–30
  18. Postcolonial histories of medicine. In: Medical History: The Stories and Their Meanings, 285–307. Ed. John Harley Warner and Frank Huisman. Baltimore: Johns Hopkins University Press; 2004
  19. (With Vincanne Adams) Pramoedya’s chickens: postcolonial studies of technoscience. In: The Handbook of Science and Technology Studies, 3rd ed., 181–204. Ed. Edward J. Hackett, Olga Amsterdamska, Michael Lynch, and Judy Wajcman. Cambridge MA: MIT Press; 2007
  20. From subjugated knowledge to conjugated subjects: science and globalisation, or postcolonial studies of science? Postcolonial Studies. 2009; 12: 389–400
  21. Asia as method in science and technology studies. East Asian Science, Technology and Society Journal. 2012; 6: 445–51.
  22. "2011 Australian Laureate Fellows: Professor Warwick Anderson", Australian Research Council. Retrieved 6 November 2013; "Professor Warwick Anderson Awarded Prestigious ARC Australian Laureate Fellowship", SOPHistry, School of Philosophical and Historical Enquiry, The University of Sydney, 12 August 2011. Retrieved 6 November 2013.
  23. "Fellowships shed light on 21st-century democratisation and the history of Australian racial thought" The University of Sydney, 10 August 2011. Retrieved 6 November 2013.
  24. "People", Faculty of Arts and Social Sciences, The University of Sydney. Retrieved 6 November 2013.