Wattrelos

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Wattrelos
Eglise Saint-Maclou de Wattrelos.JPG
Brasão de armas de Wattrelos
Brasão de armas
Wattrelos está localizado em: França
Wattrelos
Localização de Wattrelos na França
Coordenadas 50° 42' N 3° 13' 01" E
País  França
Região Coats of arms of None.svg Altos da França
Departamento Blason Nord-Pas-De-Calais.svg Norte
Área
- Total 13,44 km²
População (2010) [1]
 - Total 41 541
    • Densidade 3 090,8 hab./km²
Código Postal 59150
Código INSEE 59650

Wattrelos é uma comuna francesa situada no departamento do Norte, na região dos Altos da França. Ela é parte da Metrópole europeia de Lille e da Eurometrópole Lille-Kortrijk-Tournai que conta com mais de 2 milhões de habitantes. Culturalmente, a cidade está situada na Flandres romana no país de Ferrain. A comuna é localizada no cantão de Roubaix-2 e na 8a circunscrição do Norte. Seus habitantes são chamados de Wattrelosiens e tem o apelido de "Les coupés en deux" ("Os cortados em dois" em Ch'ti).

Geografia[editar | editar código-fonte]

Localização[editar | editar código-fonte]

Wattrelos está localizada na fronteira franco-belga, a 0 km de Mouscron, 5 km de Lannoy, 14 km de Lille, a 15 km de Menin, 17 km de Courtrai e 19 km de Tournai. O canal de Roubaix, que corre ao sul da comuna, foi reaberto para a navegação desde 2009 (programa Blue Links)[2].

Comunas limítrofes[editar | editar código-fonte]

Localizada na fronteira belga, Wattrelos é limítrofe na França com as comunas de Roubaix, Tourcoing e Leers e na Bélgica com a cidade de Mouscron (com as seções ou vilas de LuingneHerseaux) e a comuna de Estaimpuis (com a seção ou vila de Leers-Nord).

Acesso e transportes[editar | editar código-fonte]

A comuna de Wattrelos é servida pela rede de transportes públicos Transpole. Quatro linhas de ônibus (Liane 3, MWR, 37, 35) unem o centro da cidade de Wattrelos à estação de metrô roubaisienne Eurotéléport, com uma média de seis passagens por hora. A comuna é também servida pelas linhas de ônibus 37 (Wattrelos – Roubaix – Lys-lez-Lannoy – Villeneuve d'Ascq), 17 (Wattrelos – Tourcoing), 35 (Leers – Bondues), e Citadine 5 (Roubaix – Wattrelos).

A comuna possuía até meados da década de 1980 uma estação ferroviária[3].

Toponímia[editar | editar código-fonte]

A origem vem talvez do flamengo waterloos que significa sem água[4].

Temos em seguida Waterlooz em 1030, depois Wattrelos, em 1793. A comuna é chamada Waterlo, Waterloo em neerlandês[5].

História[editar | editar código-fonte]

Idade Média[editar | editar código-fonte]

O nome de Waterlos aparece pela primeira vez em um documento de cerca de 1030 (século XI)[6]. Primariamente propriedade de um rico e poderoso senhor chamado Allowin ; ele, durante a sua conversão, abandona todos os seus bens em Wattrelos, para a abadia Saint-Bavon[7]. No século XIV Wattrelos vê aparecer na sua terra o artesanato têxtil além das atividades agrícolas[8].

Do Renascimento até o século XVIII[editar | editar código-fonte]

Por vários séculos a região lilloise tem sido disputada por vários reinos, levando com ela as cidades de Tourcoing, Roubaix, Wattrelos[9]...

Em 1477 os soldados do rei Luís XI, pilharam as mansões, o castelo e as culturas. A cidade começa enfim a prosperar, mas em 1488 a batalha do Espierre se desenrola no coração da cidade[10]. Os Wattrelosiens não escapam das guerras de Religião, em 1566, 150 protestantes seriam massacrados na igreja[11].

Em 1667, sob as ordens de Luís XIV, a cidade de Lille é capturada e Flandres tornou-se francesa (portanto, Wattrelos tem 12 km de fronteira para assistir).

A Revolução francesa e o Império[editar | editar código-fonte]

Durante a Revolução, em 1794, Wattrelos viu a batalha de Tourcoing (vitória da república contra as monarquias europeias querendo recolocar Luís XVI no trono). No século XIX a cidade conheceu o seu "boom" industrial. 1865 viu o primeiro estabelecimento industrial: a empresa Leclerq-Dupire (fiação / tecelagem)[12]. Graças ao têxtil, muitas fábricas foram se instalar e a população viu um forte crescimento. Várias fábricas do setor pertenciam a Alfred Motte.

Em 1892, o primeiro eleito socialista wattrelosien Florimond Lecomte entra no conselho municipal da oposição na época.

Da Belle Époque à Segunda Guerra Mundial[editar | editar código-fonte]

Em 1907, um jornalista parisiense publica um artigo no seu jornal para dar conta de sua visita a Wattrelos. O título Misère municipale, 27.000 Français sans hygiène. O prefeito de então José Thérin confidenciou a este repórter que ele não tem para gastar, no total, mais de 7,75 F por habitante. Foi só isso que não pode esperar, ou seja principalmente de assistência social mais vital que social pelo destino de habitantes qui viviam na époque na escuridão, a lama e o lixo. A comuna era a mais pobre da França.

A primeira pedra da nova prefeitura foi colocada em 1911 em uma parte do antigo hospital. Em seguida teve a modernização do hospital com a criação de uma sala de banho e a abertura de um novo campo de sepulturas em Crétinier.

É com Henri Briffaut e com a chegada dos socialistas que Wattrelos deixou de ser a cidade mais sub-equipada da França apesar do contexto social. Sua ação se aplica ao saneamento básico, a instalação de água potável, a extensão da iluminação a gás e da electricidade, a criação de cantinas, a construção de salas de festas, chuveiros, campos de jogos e campos de férias.

A cidade será ocupada pelas forças alemãs em 1914-18 e dois muitos Wattrelosien participaram incluindo Albert-Lucien Dean que esteve no 87º regimento de infantaria (87e RI) e o prefeito da época Henri Briffaut, preso três vezes antes de ser finalmente deportado em 1917. Na verdade, ele havia avisado ao trabalhadores para não trabalhar para o inimigo, recusou-se a lhes fornecer uma lista dos indigentes de sua comuna, depois aquela dos homens e de sua situação de família, recusou-se a entregar os cavalos. Ele foi enviado para o campo de Holzminden

Wattrelos conheceu também a Ocupação da França pela Alemanha em 1939-45 e os Wattrelosiens entrando em resistência como Sœur Rose, nascida Hélène Vanalderwelt (1898-1980) entraram para a Resistência e foram agraciados com o diploma de reconhecimento do War Office e a Croix du capitaine Michel e em abril de 1941, ela foi condecorada com a cruz de Cavaleiro da ordem da Legião de Honra das mãos do cardeal Liénart (ela foi a primeira religiosa da França a ser condecorada por feitos de guerra), assim como a insígnia de vermelhão da Cruz Vermelha francesa, e um diploma de estado de enfermeira hospitalar concedido a título excepcional.

Em 14 de julho de 1941 no cemitério do Crétinier teve lugar uma manifestação patriótica em resposta ao apelo do General Charles de Gaulle que encorajou os franceses a celebrar o dia nacional e os Wattrelosiens tiveram deixado flores nos túmulos dos soldados britânicos caídos na comuna e tiveram cantado um pungente God Save the Queen, seguido de La Marseillaise, o que provocou a ira do ocupante. Confrontado por três vezes aos manifestantes pelas autoridades alemãs, o prefeito Florimond Lecomte fingiu não saber de algo.

Em maio de 1945, marcou um ponto de viragem na vida política wattrelosienne, um prefeito comunista é eleito, foi François Mériaux.

Geminação[editar | editar código-fonte]

Personalidades ligadas à comuna[editar | editar código-fonte]

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências

Ligações externas[editar | editar código-fonte]