Wikipédia:Esplanada/geral/Resposta a "Wikipédia esquema novo" (6fev2012)

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.

O texto seguinte foi movido de: Esplanada/anúncio#Wikipédia esquema novo


Tem um colunista que falou sobre a Wikipédia em português e achei bem interessante. Veja aqui. Boas contribuições a todos. Pcmsg 10h04min de 6 de fevereiro de 2012 (UTC)[Responder]

Ver também:
Helder 10h18min de 6 de fevereiro de 2012 (UTC)[Responder]
Esse senhor por acaso alguma vez editou aqui, para se por a debitar postas de pescada? O texto tem algumas ideias/opiniões interessantes, mas entra em grandes contradições, que me parecem denunciar que fala sem conhecimento de causa: por um lado fala da falta de atratividade do projeto para os diletantes ou editores ocasionais, ao mesmo tempo que salienta a importância da qualidade e de atrair os amadores conhecedores de assuntos e «uma equipe carismática, influente, inspiradora e conhecida». Só quem nunca tenha participado (sublinhe-se participado e não "estudado") em projetos colaborativos é que não vê uma contradição entre essas duas realidades: uma equipa "carismática" tende a criar um ambiente elitista no bom sentido, mesmo que o não faça voluntariamente e isso afasta os diletantes. Junte-se a isso que a (ultra) esmagadora maioria dos casos de eliminação não afeta nem um pouco esses tais amadores conhecedores ou potenciais membros da equipe carismática - estes podem ter problemas é com marcas de manutenção. E depois, escapa-me completamente a que propósito um especialista nestes assuntos fala logo no primeiro parágrafo de Internet, do YouTube, Twitter, Facebook e dos concorrentes do MegaUpload (esta última então é de estouro!) e depois se insurge contra a falta de qualidade da Wikipédia. Será que ele pensa que qualquer contribuidor desses sites está disposto ou tem algum interesse em escrever num enciclopédia? Haverá alguma coisa de comum entre colocar um vídeo pirata ou escrever manda uma boca (termo modernaço: escrever um tweet) e tentar contribuir para um artigo de enciclopédia? --Stegop (discussão) 13h22min de 6 de fevereiro de 2012 (UTC)[Responder]
Olá, Pedroca. A Wikimedia Brasil está organizando uma resposta para esse texto, Resposta ao texto "Wikipedia esquema novo", como disse o Helder. Para mim o Luli deveria envolver-se mais com a comunidade e com os planos já em desenvolvimento pela Wikimedia Foundation antes de opinar de forma tão taxativa sobre muita coisa. Algumas boas idéias dele estão em execução há certo tempo ou planejado, por exemplo. Eu ainda não tive tempo de ajudar com isso. --everton137 (discussão) 13h29min de 6 de fevereiro de 2012 (UTC)[Responder]
Podemos escrever nossa própria opinião sobre isso? Pcmsg 13h42min de 6 de fevereiro de 2012 (UTC)[Responder]

Symbol comment vote.svg Comentário Quem escreveu esta coluna de opinião não percebe rigorosamente nada do que se passa aqui. Polyethylen (discussão) 13h49min de 6 de fevereiro de 2012 (UTC)[Responder]

É mesmo? Vejamos os seguintes trechos: "A maioria do conteúdo acaba sendo de autoria de um grupo de cerca de trezentas pessoas, cada uma responsável por mais de uma centena de alterações mensais.Não pode dar certo." "É preciso muito estômago para ver o primeiro texto escrito apagado sem motivo aparente. Depois de quatro ou cinco, não há quem resista. Não surpreende que, depois das primeiras contribuições, a taxa de desistência beire os 60%.Os editores que sobram para cuidar do acervo vivem em um estado de servidão voluntária, típica de RPGs e massivos multiplayer, sem contato com o mundo externo, produzindo um conteúdo abafado, repetitivo, limitado, cheio de limitações e intrigas políticas. A prova disso é que, em 2011, mais de 35% do total de edições dizia respeito a debates internos". Esse colunista é profundo conhecedor da Wik-PT, hein... 189.106.71.90 (discussão) 14h00min de 6 de fevereiro de 2012 (UTC)[Responder]
É, né, rs. Pcmsg 14h03min de 6 de fevereiro de 2012 (UTC)[Responder]
Pedroca, claro que podem (e devem), lá é tão aberto quanto aqui. Por sinal, a comunidade é uma coisa só, porém a WMBR se encarrega de ações um pouco mais offline e de desenvolvimento dos valores do conhecimento livre. Respeitando a independência de cada projeto, a participação é livre. Mas, no fundo, o que queremos é que todo mundo da WP também ajude por lá. Abraços, Pietro Roveri (discussão) 14h12min de 6 de fevereiro de 2012 (UTC)[Responder]

Citação: É preciso muito estômago para ver o primeiro texto escrito apagado sem motivo aparente. Depois de quatro ou cinco, não há quem resista escreveu: «Wikipédia esquema novo». Pode dizer montes de coisas por falta de conhecimento e muitas inverdades, mas nisto, tem toda a razão. --João Carvalho deixar mensagem 14h28min de 6 de fevereiro de 2012 (UTC)[Responder]

Isso não deixa de ser uma inverdade. Sim, é verdade que há uma percentagem muito ínfima que até pode ver um artigo sério eliminado só porque está mal formatado. Mas é isso mesmo: ínfima. A quase totalidade dos que saem "revoltados" é gente que vem aqui colocar "páginas de perfil" de si próprio, da sua banda, da sua empresa, ou então coisas completamente absurdas do ponto de vista enciclopédico. Os revoltados são na sua maioria os que confundem a wikipédia com mais uma rede social na qual têm "direito a perfil", como no facebook. Esta coluna de opinião parte do princípio que todos os que "desistem" inseriram conteúdo enciclopédico, quando a realidade não podia ser mais oposta. É no que dá tirar conclusões apenas numa tabela estatística, sem o mínimo conhecimento da realidade, ou optar por deliberadamente excluir certo tipo de dados. Metodologia científica foi pelo cano. Polyethylen (discussão) 15h19min de 6 de fevereiro de 2012 (UTC)[Responder]
Não, não. Esse sujeito conhece melhor a Wiki que os próprios usuários. Veja que genial esse pedaço:"A maioria do conteúdo acaba sendo de autoria de um grupo de cerca de trezentas pessoas, os editores cuidam do acervo vivem em um estado de servidão voluntária, típica de RPGs e massivos multiplayer, sem contato com o mundo externo, produzindo um conteúdo abafado, repetitivo, limitado, cheio de limitações e intrigas políticas". Que resumo incrivelmente perfeito do ambiente da Wiki-PT... 189.106.71.90 (discussão) 15h23min de 6 de fevereiro de 2012 (UTC)[Responder]
Concordo contigo Polyethylen. Vou lá na categoria de ESR e vejo que +/- uma em cada 10 por dia tem condições de serem salvas e estarem na Wikipédia. Com certeza, muitos que estão por lá são BSRE's, bandas não enciclopédicas e todo o tipo de coisa. Aqueles que tem seis vezes um artigo eliminado, com certeza, cria esse tipo de conteúdo e sai da Wikipédia, pois ele só quer se promover, ao contrário do objetivo da Wikipédia. E o Zorglub D​ C​ E​ F deixou seu comentário. Quem tem conta lá, pode comentar. Pcmsg 15h32min de 6 de fevereiro de 2012 (UTC)[Responder]
Se é alguém que tem seis artigos páginas não enciclopédicas eliminadas, acho até bom que desista de editar escrever coisas no lugar errado, e vá buscar um myspace, orkut (será?), facebook e afins ao invés de perder tempo por cá. Mas não dá pra saber se todos que tem seis páginas eliminadas estão no lugar errado ou apenas não entenderam o quê é uma enciclopédia, e bastaria explicar para que contribuíssem adequadamente. Entretanto, o autor de "Wikipédia esquema novo" não falou sobre deleção de artigos, mas sobre "ver o primeiro texto escrito apagado sem motivo aparente", o que pode se referir a ter a edição revertida, também. --Mister Sanderson 14h48min de 7 de fevereiro de 2012 (UTC)[Responder]

(Conflito de edição)

Polyethylen, claro que tens toda a razão quando referes que muitos pensam que isto é uma rede social e que muitos colocam coisas que não devem fazer parte da wikipédia. Estamos completamente de acordo. A única coisa que eu comento, é que mesmo esses que estão equivocados (não me refiro aos vândalos propositados) devem ser bem recebidos e deve-se explicar-lhes com calma que o que colocaram ou fizeram é errado. Não é colocar a tag de ER no artigo sem dar uma explicação do que se passa. Estou convencido que se muitos deles recebessem uma indicação educada até poderiam se tornar editores da wiki. --João Carvalho deixar mensagem 15h37min de 6 de fevereiro de 2012 (UTC)[Responder]
  • Creio que quando um leigo fala que sua informação/artigo foi apagado, isso é muito mais que a eliminação de artigos, mas também de edições que alguém não acostumado à formatação da wiki ou outras regras faz e logo é revertido (muitas vezes pelo Salebot mesmo, simplesmente porque foi um texto muito grande sem formatação). Acho que é uma minoria que insiste em colocar a informação, em brigar, ou em aprender como deixar a informação "bonitinha" como os antigos querem. E mais, os poucos que afinal aprendem passam então a exigir isso dos mais novos e assim criamos um ambiente inóspito aos novatos. Isso sem contar que os que permanecem editando geralmente são pessoas com perfil mais aguerrido, combativo (por sobreviverem às batalhas iniciais), e assim vamos formando um conjunto dos poucos sobreviventes antigos que geralmente têm menor tolerância aos erros de novatos, bem como bastante experientes em fazer valer suas convicções. Quem é de fora confunde todos esses experientes como sendo "os moderadores", que tornam bastante difícil a vida de novatos, dificultando o crescimento da wiki. Há anos, havia muitos antigos que passavam um bom tempo corrigindo as edições dos novatos. Nos últimos tempos, esse grupo tem diminuído, então para mantermos uma certa qualidade (que muitas vezes é apenas uma qualidade estética), preferimos reverter edições ou eliminar os artigos, pois perdemos menos tempo (temos pouco tempo mesmo e somos um grupo muito reduzido para a quantidade de trabalho), esperando que o novato aprenda na marra como fazer uma edição minimamente aceitável. É assim que vejo o estado atual do projeto, considerando válida boa parte da análise do colunista. Braswiki (discussão) 15h57min de 6 de fevereiro de 2012 (UTC)[Responder]
  • Olha só! Depois de dias que respondi , finalmente o assunto chega... aqui! Bem, bem, bem... Vou filosofar um pouco!

A internet tem uma pá de meios de interação com seus usuários. Facebook, Orkut, Twitter, blogues, sites, fotologs, e também os vários projetos wiki. Para além disto, diversos sites de notícias aceitam opinião dos leitores.

Cada um deles tem seus atrativos, seu público, seus usuários, suas regras e sua forma de interação. Hoje mesmo voltei a comentar no site do mesminho jornal onde a matéria acima foi publicada, acerca da greve da polícia aqui no meu estado. Surpresinha! Não foi publicado porque escrevi sei lá qual palavrinha maldita que caiu nalgum filtro deles. Curiosamente, estava criticando o jornal, porque não dizia coisas elementares, como "qual é a reivindicação dos grevistas"...

Não escrevo no Twitter, porque acho uma porcaria. Nem vou lá, nem lembro que existe. Não me faz falta alguma. Mesmo um blogue, onde sou aparentemente "livre" para colocar o que penso, tenho dificuldades: não acerto a mudar o tamanho das letras, o formato ou coisas menores...

Se eu quiser editar, por exemplo, no Wikicionário tenho que me subordinar à formatação deles lá; o mesmo me ocorreu quando, há coisa de um mês apenas, me aventurei no Wikilivros. Assustou-me, aliás, a grande liberdade! Sem fontes, sem nada, era só chegar e escrever sobre algo! Mas, também lá, as coisas seguem um ritmo próprio e, curiosamente, pouca gente acessa, edita. Dá até pra ver os vandalismos ocorrerem e sumirem sem muito alarde... pois em um dia inteiro são tão poucas as edições...

Mas não aqui! Aqui as regras são feias, os controladores do conteúdo são malvadões, fechados em "clubes" e isso e aquilo...

Ah, vá catar coquinho! Não gostou, então por que chora? Já foi reclamar que a porcaria do twitter só dá pra escrever uma merreca de letrinhas? Ou acha que aqui não fazemos enciclopédia?

O ciuminho do autor daquele artigo não vem do conhecimento deste projeto. Vem do desconhecimento do que seja uma enciclopédia!

Quero vê-lo reclamar que quis inserir conteúdo na Britannica e não conseguiu! Vai, tiozinho, escreve na Folha sobre isto! André Koehne (discussão) 16h16min de 6 de fevereiro de 2012 (UTC)[Responder]

Há muito tempo a imprensa brasileira se dedica a atacar a Wikipedia e, de forma geral, a livre circulação de conteúdos educativos na internet. Há nestes jornais um receio de perder o monopólio da informação, de pautar o discurso e os temas em voga e de sofrer críticas. A Folha de S. Paulo, especificamente, fez um lobby pesado em favor do AI-5 digital, o projeto de lei de Eduardo Azeredo que visa censurar a internet no Brasil, a exemplo dos projetos SOPA e PIPA. É curioso, aliás, a cobertura fraca que a Folha deu aos protestos da própria Wikipedia e outros dites que levaram à adiação da votação dos projetos no parlamento norte-americano. Ainda mais curioso é o fato de que Radfahrer, o maior especialista em internet a escrever na Folha, não tenha publicado em nenhuma de suas colunas absolutamente nada sobre SOPA e PIPA. Dornicke (discussão) 16h53min de 6 de fevereiro de 2012 (UTC)[Responder]
Mas é claro que o ambiente tem que ser até certo ponto inóspito. Não estou a falar de ser mal educado. Mas não se pode partir para o outro extremo de não dizer nada ou deixar fazer tudo só porque sim, ou de aceitar tudo cegamente só porque coitadinho o editor é novato e há a esperança de um dia fazer-se luz. Isto não é nenhum jogo online com recompensas imediatas e onde se ganha só por participar. Não é a wikipédia que tem que se adaptar ao novato. É o novato que tem que se adaptar à wikipédia. Tal como tudo na vida. Ninguém aqui chega a um emprego novo e diz "eu acho que é assim e vai ser assim". O que tenho visto é que a maior parte dos novos usuários pura e simplesmente não se quer adaptar às regras. Chega aqui com uma noção pré-concebida do que ele entende do site, chama-se à atenção educadamente para coisas muito simples, persiste nos mesmos erros e ainda tem mais que dizer e protestar, recusando-se terminantemente a aceitar qualquer sugestão ou política dizendo que está tudo mal e ele é que sabe. Imagino que isto se deva à cultura latina, avessa a trabalhar com regras pré-estabelecidas. Mas se o ambiente não fosse de certa forma inóspito, já há muito que isto tinha deixado de ser uma enciclopédia.
O problema de muitos dos novatos que por aí aparecem e que acabam por ir embora é que não têm nada para dizer. Para muitos, o site da wikipedia não passa de uma rede social ou de um jogo. Enfim, de um entretenimento para ocupar as horas vagas, no mau sentido da coisa. Vêm para cá porque ouvem falar disto e acham catita/legal editar um site. Mas não têm bagagem cultural nenhuma para falar sequer das coisas mais elementares. Então começam a dissertar apenas sobre o máximo que o horizonte cultural alcança, que normalmente é aquilo que vêm na têvê: figurantes de novela bonitinho/as, jogadores de futebol da quinta divisão, grelhas televisivas, o pokemon x3b45A, e ruas e mais ruas. É óbvio que depois isto esbarra nos critérios de notoriedade e seguem-se conflitos a torto e a direito. Mas não há como fazer entender o contrário.
Na situação inversa, há editores que chegam aqui, querem editar temas sérios e não encontram nenhuns problemas desses que é habitual falar-se por aí. Está aqui um exemplo completamente aleatório, retirado das páginas novas que ainda há pouco estava a verificar (o editor que me desculpe se estiver a ler isto). Portanto, se eu consegui sem ler nem um centésimo das regras, se novatos como este conseguem, então desculpem, mas a culpa não é do "ambiente hostil", nem "da dificuldade" da edição. A culpa está única e exclusivamente do lado do novato e daquilo que ele tem ou não para dizer. Vejo a discussão sempre a oscilar na protecção ou não destes "desgraçados" do telelixo, mas nunca ninguém se importa em receber, incentivar e integrar editores com potencial, que acabam por desistir e isso sim é preocupante. E isto passa também pela imprensa, como essa coluna, que faz passar trolls por grandes valores que a wikipédia escurraça. Polyethylen (discussão) 17h09min de 6 de fevereiro de 2012 (UTC)[Responder]
Esse seu exemplo aleatório é a exceção da exceção e creio que poucos usuários aqui acreditariam que se trata de um editor que nunca havia editado no projeto... Se quisermos que os novatos tenham essa qualidade de edições inaugurais, então não restará 1 em 1000, e realmente ficaremos bem estagnados como mostra o colunista. Braswiki (discussão) 17h21min de 6 de fevereiro de 2012 (UTC)[Responder]
Olhe que não. Até pode ser segunda conta, mas não acredite quando dizem que é assim tão difícil editar a wikipédia. Isto é uma tradução. Aprende-se num dia. Faz-se copy paste de um artigo em Inglês, traduz-se o essencial, depois vê-se o conteúdo wiki de um artigo em português para se traduzir as predefinições e está feito. Sim, é mesmo assim tão simples. Depois de fazer um basta repetir o modelo. Exemplos como este vejo bastantes, não tenho é links guardados para demonstrar que isto não é caso tão raro como parece. Polyethylen (discussão) 17h30min de 6 de fevereiro de 2012 (UTC)[Responder]
Esses comentários me lembraram do que os "devs" estão discutindo na lista wikitext. Smile.png Apesar de ser offtopic, talvez queira ler essas e essas considerações em relação a ser ou não verdade que é bom não dispormos de muita facilidade para se editar os artigos (como por exemplo um editor visual), pois talvez tais dificuldades de aprendizado da marcação wiki sirvam (?) para filtrar algumas edições não construtivas de quem não quer nada com nada (nem aprender a sintaxe correta a ser usada - muito menos as políticas)... Helder 00h30min de 7 de fevereiro de 2012 (UTC)[Responder]
Citação: Usuário:André Koehne escreveu: «Quero vê-lo reclamar que quis inserir conteúdo na Britannica e não conseguiu! Vai, tiozinho, escreve na Folha sobre isto!» Comentário muito pertinente. Entretanto, acho que, do ponto de vista de quem quer inserir conteúdo na Wikipédia, não é relevante. Afinal, o leitor não ganha nada se tornando editor, e, em um projeto mantido por voluntários, se não houver leitores se tornando editores, os vandalismos, desatualizações, erros, conteúdo sem relevância e mínimos tornariam a Wikipédia desinteressante aos leitores. --Mister Sanderson 15h00min de 7 de fevereiro de 2012 (UTC)[Responder]

Minha opinião sobre o assunto: há muita coisa errada na coluna e se ele tivesse feito um trabalho de pesquisar um pouco mais poderia ter feito uma coluna muito melhor; mas trata-se de um jornalista, e jornalista brasileiro, já me acostumei a esperar pouco trabalho de investigação. Entretanto, de fato há muito que pode ser melhorado sobre nossa recepção a novatos. Eu vejo a Wikipédia dividida entre duas posições filosóficas opostas e extremas, ambas prejudiciais para o desenvolvimento do projeto.

Por um lado temos os que ativamente vão atrás de tudo que consideram não-enciclopédico ou fora dos padrões da Wikipédia e o apagam, sem ter em consideração o autor, sem buscar corrigi-lo de forma menos traumática. Isso cria vários dos problemas identificados no texto, desânimo, poucos editores ativos, etc.

Por outro lado, temos aqueles que buscam aceitar toda e qualquer coisa. Votam para a manutenção de artigos em clara violação dos critérios, sempre querem dar uma segunda chance aos infratores, dão "ultimatos" de repetição de comportamento ruim centenas de vezes antes de tomar alguma atitude. Isso também cria problemas sérios para a convivência pacífica na Wikipédia. Permitir que atividades disruptivas permaneçam sem reação é algo que igualmente desmotiva muitos editores.

Além do que essas posições fortalecem uma à outra. O radicalismo de um lado radicaliza o outro. E os moderados, vão embora. Chico (discussão) 17h40min de 6 de fevereiro de 2012 (UTC)[Responder]

É triste ver tantos ataques desnecessários e que não levam a nada. Em vez de aproveitar a matéria de uma dos maiores jornais do Brasil para discutir soluções de problemas que existem por aqui, utilizam este espaço para tolices e pra que? Tentarem encobrir algo? Ou acham que a Média vem para o Brasil Wikipédia:Esplanada/geral/Wikipédia Encontros, Brasil (24jan2012) para trocar receitas e elogios? Jorge Luiz Thais Martins (discussão) 17h51min de 6 de fevereiro de 2012 (UTC)[Responder]
Não entendi muito bem esse comentário. É de fato uma resposta ao meu? Tudo isso só por eu ter apontado deficiências no jornalismo brasileiro? Chico (discussão) 18h21min de 6 de fevereiro de 2012 (UTC)[Responder]
Não entendeu? É essa a nossa intelectualidade wikipediana a contestar repórteres de grandes jornais. Jorge Luiz Thais Martins (discussão) 18h26min de 6 de fevereiro de 2012 (UTC)[Responder]
Me parece interessante a sua intelectualidade acrítica frente aos "grandes jornais". A maioria das manifestações concordaram em parte com o posicionamento da coluna, incluso a minha. Agora, fingir que ele não errou grotescamente em várias afirmações, não dá. Chico (discussão) 18h37min de 6 de fevereiro de 2012 (UTC)[Responder]
  • Eu tenho opinião própria, ou todos devem ter as mesmas opiniões por aqui. Ou será que todos moramos em Pista No. 1 e somos controlados pelo BBB, o grande irmão (de 1984). Jorge Luiz Thais Martins (discussão) 19h20min de 6 de fevereiro de 2012 (UTC)[Responder]
  • É com esta opiniões Citação: A maioria das manifestações concordaram em parte com o posicionamento da coluna, incluso a minha é que colunistas como Luli Radfahrer se baseiam para escrever o que querem. Daí não querem dar a razão?!?! Jorge Luiz Thais Martins (discussão) 19h24min de 6 de fevereiro de 2012 (UTC)[Responder]


E por que não deveríamos contestar? Quando foi que repórteres de grandes jornais se tornaram algum tipo de entidade acima do bem e do mal? O colunista diz que enquanto o número de usuários da Internet, do YouTube, do Twitter, do Facebook e dos concorrentes do MegaUpload cresce vertiginosamente, a quantidade de artigos e editores na nossa enciclopédia colaborativa evolui a passos de lesma. É óbvio! Se a comparação é feita com sites de relacionamento e de compartilhamento de arquivos, acho que ninguém esperava por um resultado diferente. Agora: por que o colunista resolveu comparar uma enciclopédia online com sites de relacionamento? Em que uma enciclopédia se assemelha ao facebook? Nenhum site que tenha finalidade educativa, ou meramente informativa, terá um crescimento maior do que um site de relacionamento - especialmente no Brasil. O autor reclama do "conteúdo de qualidade duvidosa" disponível na internet, mas se esquece que é esse tipo de conteúdo que atrai as massas. Uma "popularização" no projeto não necessariamente garantiria uma melhor qualidade de nossos artigos, nem um ambiente mais favorável para a colaboração. Provavelmente garantiria uma enxurrada de artigos sobre participantes de reality shows, singles de todas as cantoras pop da Lituânia, cachorros de celebridades, a listagem completa de pokemons e jogadores de futebol da série T- do brasileirão. E o nosso problema principal, falta de editores dispostos a contribuir em artigos não relacionados à indústria cultural, permaneceria como está. Dornicke (discussão) 18h40min de 6 de fevereiro de 2012 (UTC)[Responder]
Concordo em n° e grau, Dornicke. Minha afirmação é: não adianta utilizar este espaço para esse tipo de comentário (acusações mutuas, ele do jornal, e páginas daqui). Em vez que gastar kb que irão se perder em arquivos, porque não discutir o porquê de não termos usuários focados no projeto? Jorge Luiz Thais Martins (discussão) 18h59min de 6 de fevereiro de 2012 (UTC)[Responder]
Então vocês dois corroboraram tudo que o colunista disse. Pois ele disse que a Wikipédia é um ambiente que se auto-restringe através de elitismo dos editores, onde os 300 "mestres da wiki" realizam ataques pesados à novatos, expulsando eles. E ainda sugerem que tudo fique como está, sem mudar nada. Concordaram como o colunista, mas querem reclamar dele? Vai continuar faltando editor, porque ninguém gosta de ser saco de pancada. 186.205.21.99 (discussão) 22h56min de 6 de fevereiro de 2012 (UTC)[Responder]
Citação: Dornicke escreveu: «a listagem completa de pokemons». Felizmente, dos seus exemplos só este já existe. Espero que os outros não se tornem realidade.--Mister Sanderson 15h26min de 7 de fevereiro de 2012 (UTC)[Responder]

Eu pessoalmente prefiro perder o meu tempo a ler, analisar e pensar sobre isto do que a ler colunas de opinião de jornalistas. Lijealso (discussão) 20h05min de 6 de fevereiro de 2012 (UTC)[Responder]

Os cães ladram...João Sousa DC 21h28min de 6 de fevereiro de 2012 (UTC)[Responder]

  • O colunista que na apresentação de sua credenciais é identificado como "professor-doutor", compara uma enciclopédia com redes de relacionamento e sites de hospedagem de arquivos pode ser levado realmente a sério? O mínimo que espero de alguém que se coloque a posição de crítico ou analista de um tema é que este saiba do que está falando. Não parece o caso, me parece mais uma pessoa que resolveu com "ar professoral", escrever sobre o que ele "acha" que conhece e que na verdade não conhece. Fabiano msg 21h55min de 6 de fevereiro de 2012 (UTC)[Responder]
Pode sim. Aliás, não precisa ser professor, basta analisar alguns fatos comuns à esse ambiente, qualquer leigo consegue depois de umas poucas horas de análise. Ele descreveu perfeitamente o que a Wikipédia em português é: um feudo de 300 usuários com tendências radicais e revoltosas, que expulsam todos os editores possíveis do seu ambiente de elite, seu castelo, "é meu e ninguém tasca". Simplesmente perfeita a análise do mesmo. Alguns usuários daqui sabem disso e comentaram sabiamente; outros estão chilicando e tentando desmerecer o mesmo, mas não adianta, porque ele pegou na veia. A Wikipédia com a estrutura "expulsativa" que tem hoje, nunca vai sair dessa mesmice, admitam. 186.205.21.99 (discussão) 22h45min de 6 de fevereiro de 2012 (UTC)[Responder]
  • Vou sempre ser a favor do banimento de qualquer um que tente ser o "salvador da Wikipédia". E dou graças que este tipo de gente não seja tolerado aqui. Fabiano msg 23h14min de 6 de fevereiro de 2012 (UTC)[Responder]
Realmente o problema não é uma pessoa querer ser o Deus salvador. O problema é os usuários da Wikipédia não reconhecerem que são isso aqui: "vivem em um estado de servidão voluntária, típica de RPGs e massivos multiplayer, sem contato com o mundo externo, produzindo um conteúdo abafado, repetitivo, limitado, cheio de limitações e intrigas políticas". Só faltou incluir que dão um chute em quem não se enquadrar nesse lindo perfil psicológico. Não sei se esse colunista é usuário daqui ou não, mas parece ter experiência de muitos anos por aqui. 189.106.119.46 (discussão) 11h30min de 7 de fevereiro de 2012 (UTC)[Responder]
O facto de haver um IP que a cada três parágrafos repete aqui que o professor doutor esta cheio de razão não o faz ter razão nenhuma. Polyethylen (discussão) 09h22min de 7 de fevereiro de 2012 (UTC)[Responder]
O fato dos usuários não recohecerem que são assim: "vive em um estado de servidão voluntária, típica de RPGs e massivos multiplayer, sem contato com o mundo externo, produzindo um conteúdo abafado, repetitivo, limitado, cheio de limitações e intrigas políticas" é que é o problema daqui. Falta autocrítica e sobra críticas pros outros. 189.106.119.46 (discussão) 11h30min de 7 de fevereiro de 2012 (UTC)[Responder]
Ó 189.106.119.46, vamos lá fazer um estudo de campo. Em vez de partir duma dedução sem bases, vamos para a velhinha indução experimentalista. Para começar, proponha lá um artigo, no quadro das Ciências Sociais e Políticas, vamos fazê-lo os dois e ver o que acontece. Jorge alo (discussão) 13h00min de 7 de fevereiro de 2012 (UTC)[Responder]
Se me permitem um conselho, ignorem o IP... Dornicke (discussão) 16h03min de 7 de fevereiro de 2012 (UTC)[Responder]
Coisa típica da Wiki: os outros estão errados sempre, nós somos perfeitos, ignorem e expulsem todo mundo que não seja do nosso clã feudalista dos 300. 189.106.3.231 (discussão) 09h38min de 8 de fevereiro de 2012 (UTC)[Responder]
  • A questão que subjaz a esta discussão é: Queremos ser um Youtube, um Facebook, um Twitter? Queremos ser depositário de textos mal-escritos, de violações de direitos, de fã-sites, de fofocas? Esse é o tipo de "colaborador" que temos afugentado. Editor que se registra, que pede ajuda, que se esforça em compreender as políticas — esse é sempre estimulado. Yanguas diz!-fiz 17h30min de 7 de fevereiro de 2012 (UTC)[Responder]
Caro Yanguas, eu até concordo consigo, mas isso deve ser porque não tenho um doutoramento em comunicação e pós-graduação em Web 4.0 nem sou consultor de nenhuma firma de comunicação, nem escrevo para jornais. É claro que colaborar em projetos comunitários e redes sociais (caso não saibam, isso já existia inclusivamente antes da web) há mais de 20 anos não conta para nada! É evidente que estudar o fenómeno não tem nada a ver com perceber como ele funciona realmente e, já agora, sendo isso o que o distingue dos projetos colaborativos pré-Internet, participar ativamente nele para saber realmente o que é editar. Ná.... Vamos mas é ler uns estudos de umas quantas auto intituladas luminárias e pseudo-gurus, mandem-se uns bitaites e faça-se um "apelo", misturem-se uns estudos estatísticos - a comparação entre sites da moda como o Youtube, o FB e o Twiter vêm mesmo a calhar... --Stegop (discussão) 19h55min de 7 de fevereiro de 2012 (UTC)[Responder]
Hahahahaha, você acredita mesmo nisso, Yanguas? Esse ambiente é hostil, afugentam todo mundo. O novato leva patada, os que insistem sofrem injustiças por parte das regras extremamente malfeitas e usuários perseguidores, delecionistas e mal-intencionados, e o pior, tem gente que não devia nunca estar editando aqui e edita livremente. "Autocrítica, o que que é isso", pensam os 300 de WikiEsparta. Melhor negar a realidade, como você fez agora. 189.106.3.231 (discussão) 09h42min de 8 de fevereiro de 2012 (UTC)[Responder]
Eu até me daria o trabalho de responder, se você se expusesse, em vez de se esconder atrás de um número. Deve ter razões para isso. Yanguas diz!-fiz 14h01min de 8 de fevereiro de 2012 (UTC)[Responder]
  • Talvez a razão esteja na localização geográfica dos "IPs". Sempre do mesmo estado do sudeste brasileiro, não é São Paulo, Minas Gerais e nem Espírito Santo. Fabiano msg 21h03min de 8 de fevereiro de 2012 (UTC)[Responder]

Aqui aponta como sendo do Rio de Janeiro. Bruno Ishiai (discussão) 15h43min de 9 de fevereiro de 2012 (UTC)[Responder]

Porque será que não estou surpreendido?!... --Stegop (discussão) 16h44min de 9 de fevereiro de 2012 (UTC)[Responder]
É né, porque será que não dá pra se surpreender, vendo os 300 Deuses se preocupando em perseguir um IP ao invés de se olharem no espelho. É vício já... e o pior é que simplesmente estão afirmando o que o colunista disse. 186.205.21.99 (discussão) 17h24min de 9 de fevereiro de 2012 (UTC)[Responder]

O IP só quer atenção. Nem liguem pra ele... Pcmsg 17h53min de 9 de fevereiro de 2012 (UTC)[Responder]

Outra matéria sobre a wikipédia[editar código-fonte]

Outra matéria sobre a wikipédia agora sobre a palestra na Campus Party 2012:


  • O diretor da organização deu ainda dados sobre a utilização da enciclopédia colaborativa pelos brasileiros. Segundo Wadhwa, apenas 2% de todos os que usam o site no País colaboram editando artigos. A média mundial é de 6%. Para ele, “o Brasil precisa tomar conta da Wikipédia em português”. ver em:
  • Brasileiros produzem pouco para a WikipédiaO Estado de S. Paulo

"Diretor da Wikimedia Foundation, Kul Wadhwa, diz que Brasil está abaixo da média mundial na colaboração da Wikipédia." Jorge Luiz Thais Martins (discussão) 00h53min de 10 de fevereiro de 2012 (UTC)[Responder]