Xabiero Cayarga

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Xabiero Cayarga
Nascimento 1967 (53 anos)
Cangas de Onís
Cidadania Espanha
Ocupação escritor

Xabiero Cayarga (Cangas de Onís, 1967) é um escritor espanhol de língua asturiana, licenciado em filologia inglesa. É professor de espanhol em Dortmund, na Alemanha.[1]

Biografia[editar | editar código-fonte]

Em 1994 escreveu o romance El boleru de Xabel (Prémio de Narrações da Academia da Língua Asturiana). É autor dos livros de contos: Les gatileres del cielu (1994), Güelgues sobre'l llagu (1996) e A flor de piel (2000). Os seus contos foram publicados nas revistas: Lletres Asturianes, Santa Casa, Lliteratura e Sietestrellu, e a sua narrativa foi representada nas obras Antoloxía del cuentu asturianu contemporaniu de Ánxel Álvarez Llano (1994), e Muestra de nuevos narradores (1997), de Ramón Lluís Bande.[1]

Em 2000 foi publicada a sua primeira poesia, El deliriu d'esclavu, um amplo registo de composições estabelecidas nos sentimentos e na paixão amorosa. No mesmo ano, foi galardoado com o X Prémio Teodoro Cuesta de Poesia, pela obra Pequeña Europa, um conjunto de poemas de tradição variada em que destaca a grande riqueza expressiva. O autor escreve poesias dos factos quotidianos: memórias, leitura e viagem. [2]

Em 2005 venceu o Prémio “Xuan María Acebal” de Poesia, com o poemário Les llingües de la Hidra, e em 2006 publicou o seu segundo romance, Trastes de bufarda.[3]

Em 2011 publicou uma narrativa, na editora Trabe, intitulada El sol negru de Wewelsburg, ambientada na Alemanha, tendo vencido o Prémio Crítico das Lletres Asturianes em 2012.[4] Em 2011 publicou também La ñeve del cuquiellu, cuja tertúlia literária Malory, concedeu o Prémio de Melhor Livro Asturiano do Ano,[5] e venceu também os Prémios Críticos das Lletres Asturianes na categoria de poesia.[6]

Em 2017, a editora Saltadera publicou num volume (El cuentu atrás) uma revisão do trabalho narrativo de Xabiero dos últimos vinte e cinco anos.[7] Em 2018, esta obra venceu o Prémio da Crítica.[8]

Xabiero colaborou na revista Campo de los Patos, e no seminário Les Noticies, na secção A deslláu.

Notas e referências

Notas

* Este artigo foi inicialmente traduzido do artigo da Wikipédia em asturiano, cujo título é «Xabiero Cayarga», especificamente desta versão.

Referências

  1. a b «CAYARGA, Xabiero» (em asturiano). Araz.net. Consultado em 14 de fevereiro de 2019 
  2. «XXVIII Premiu "Teodoro Cuesta" de Poesía» (em asturiano). Mieres.es. Consultado em 14 de fevereiro de 2019 
  3. «Xabiero Cayarga gana'l Premiu Críticu de les Lletres Asturianes na categoría de narrativa» (em asturiano). Xunta pola Defensa de la Llingua Asturiana. 23 de novembro de 2011 
  4. «Cayarga faise tamién col Premiu Críticu de les Lletres Asturianes na estaya de narrativa». Asturnews.com (em asturiano). 26 de novembro de 2012 
  5. «La Tertulia Malory escueye "La ñeve del cuquiellu" como meyor llibru n'asturianu del 2011» (em asturiano). Asturies.com. 11 de julho de 2012 
  6. «Xabiero Cayarga faise col Premiu de les Lletres Asturianes de poesía». Asturnews.com (em asturiano). 21 de novembro de 2012 
  7. Guardado, Pablo R. (20 de dezembro de 2017). «Xabiero Cayarga repasa 25 años d'escritura en 'El cuentu atrás'» (em asturiano). Asturies.com 
  8. «Xaime Martínez y Xabiero Cayarga son Premios de la Crítica 2018 poles sos obres n'asturianu». Formientu (em asturiano). 21 de dezembro de 2018 
Ícone de esboço Este artigo sobre um(a) escritor(a) é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.