Xilometazolina

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Xilometazolina
Alerta sobre risco à saúde
Xylometazoline Structural Formulae V 2.png
Nome IUPAC 2-[(4-tert-butyl-2,6-dimethylphenyl)methyl]

-4,5-dihydro-1H-imidazole

Identificadores
Número CAS 526-36-3,1218-35-5 (monocloridrato)
PubChem 5709
Código ATC R01AA07,S01GA03
Propriedades
Fórmula química C16H24N2
Massa molar 244.38 g mol-1
Ponto de fusão

131–133 °C[1]
327–329 °C (cloridrato)[1]

Farmacologia
Via(s) de administração intranasal
Riscos associados
Frases R R22, R41, R52/53
Frases S S22, S26, S36/37/39, S46

, S61

Exceto onde denotado, os dados referem-se a
materiais sob condições normais de temperatura e pressão

Referências e avisos gerais sobre esta caixa.
Alerta sobre risco à saúde.

Xilometazolina, vendido sob o nome comercial Otrivina,[2] é um fármaco utilizado pela medicina como descongestionante nasal.[3] É aplicado diretamente nas narinas, nas formas de spray ou em gotas.

Formas de apresentação[editar | editar código-fonte]

A xilometazolina é comercializada em diferentes nomes, com a dose adulta típica de 0.1% (peso/volume), e a dose para crianças menores de 12 anos de 0.05%

Mecanismo de ação[editar | editar código-fonte]

O fármaco funciona constringindo os vasos sanguíneos presentes nas narinas. Essa vasoconstrição significa que há menor pressão nos vasos capilares e menos fluidos a serem filtrados, sendo assim, menor obstrução nasal. (Se a cor das narinas for observada depois da aplicação, é visível uma cor mais clara).

A xilometazolina é desenvolvida para simular a estrutura molecular da adrenalina que liga às mesmas células receptoras que receptam a própria adrenalina. Por essa razão, não deve ser usada por pessoas com problemas de pressão alta ou outros problemas cardíacos. (A Xilometazolina age principalmente nos receptores alfa adrenérgicos).

Efeitos colaterais[editar | editar código-fonte]

O uso extensivo de xilometazolina pode resultar em perda da eficiência do fármaco ou uma tolerância contra o mesmo. O número de receptores diminui e quando a administração da droga é cessada, um congestionamento crônico pode ocorrer - chamado rinite medicamentosa, comumente mencionado como um congestionamento repercutido. Tratamentos de longo prazo podem causar mudanças degenerativas nas membranas da mucosa nasal, que levam a outros problemas.[4]

Referências

  1. a b Verfahren zur Herstellung einer neuen stickstoffhaltigen, heterocyclischen Verbindung. Patentschrift Nr. 3574401 des Eidgenössischen Amts für geistiges Eigentum vom 15. Okt. 1961
  2. «Otrivina». MedicinaNET. Consultado em 11 de janeiro de 2021 
  3. «Drugs & Medications». www.webmd.com (em inglês). Consultado em 11 de janeiro de 2021 
  4. Unsal, Ayse Ipek Akyuz; Basal, Yesim; Birincioglu, Serap; Kocaturk, Tolga; Cakmak, Harun; Unsal, Alparslan; Cakiroz, Gizem; Eliyatkın, Nüket; Yukselen, Ozden (janeiro de 2018). «Efeitos oftálmicos adversos de descongestionantes nasais em modelo experimental com ratos». Arquivos Brasileiros de Oftalmologia (1): 53–58. ISSN 0004-2749. doi:10.5935/0004-2749.20180012. Consultado em 11 de janeiro de 2021 


Ícone de esboço Este artigo sobre fármacos é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.